https://periodicos.ufrn.br/ambiente/issue/feed REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 2023-01-18T20:18:04-03:00 Prof. Dr. Maurí­cio Corrêa da Silva prof.mauriciocsilva@gmail.com Open Journal Systems <p style="margin: 0px; min-height: 50px; max-height: 125px; overflow: hidden; text-overflow: ellipsis;"><strong>Scope:</strong> A Revista Ambiente Contábil (<strong>Ambiente</strong>), criada em 2008 (1ª edição em abril de 2009), é um periódico que tem como base o Departamento de Ciências Contábeis (DCC) da UFRN e constitui-se como um dos veículos de divulgação do Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis (PPGCC). </p> <p style="margin: 0px; text-align: left;"><strong>Área do conhecimento</strong>: Ciências Contábeis <strong>Qualis/CAPES</strong>: A4 <strong>e-ISSN</strong>: 2176-9036 <strong>Contato</strong>: <a title="E-mail" href="mailto:prof.mauriciocsilva@gmail.com" target="_blank" rel="noopener">prof.mauriciocsilva@gmail.com</a></p> https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29421 Editorial – Revista Ambiente Contábil – Volume 14 – Número 2 – Ano 2022 (Jul./Dez. 2022) 2022-07-04T17:31:28-03:00 Prof. Dr. Maurício Corrêa da Silva prof.mauriciocsilva@gmail.com <p><strong>Editorial – Revista Ambiente Contábil – Volume 14 – Número 2 – Ano 2022 (Jul./Dez. 2022)</strong></p> <p>A <strong>Revista Ambiente Contábil</strong> (Ambiente) apresenta na sua 28ª edição 23 (vinte e três) artigos que tratam de assuntos relevantes para a área contábil (idioma português), 15 (quinze) artigos no idioma inglês e 01 (uma) resenha de livro.</p> <p><strong>Seção 1: Contabilidade Aplicada ao Setor Empresarial</strong></p> <p><strong>Artigo 1 - Ativo não circulante mantido para venda e operações descontinuadas: uma análise no nível de evidenciação e nas características das companhias de capital aberto brasileiras</strong> de Andressa Fernanda da Silva e Maíra Melo de Souza com o objetivo de analisar o nível de evidenciação e as características das companhias de capital aberto brasileiras em relação aos ativos não circulantes mantidos para venda e operações descontinuadas.</p> <p><strong>Artigo 2 -</strong> <strong>Influência dos níveis operacionais de governança corporativa no gerenciamento de resultado em empresas listadas na B3</strong> de Pedro Junior de Oliveira Trocz, Aládio Zanchet, Denis Dall Asta e Clóvis Fiirst com o objetivo de analisar a influência dos níveis operacionais de governança corporativa no gerenciamento de resultado em empresas listadas na B3.</p> <p><strong>Artigo 3 -</strong> <strong>Excesso de confiança e honorários de auditoria: o conselho fiscal exerce influência nessa relação?</strong> de Jorge Luiz de Santana Junior e Thiago Rios Sena com o objetivo de investigar o papel do conselho fiscal enquanto mecanismo capaz de alterar a capacidade do gestor de influenciar os custos de auditoria.</p> <p><strong>Artigo 4 -</strong> <strong>A relação entre as informações contábeis e o desempenho das operadoras de saúde suplementar </strong>de Rudolph Fabiano Alves Pedroza Teixeira, Marcelo Álvaro da Silva Macedo e Odilanei Morais dos Santos com o objetivo de analisar a relação entre as informações contábeis e o desempenho das operadoras de saúde suplementar (OPS), com base em indicadores econômico-financeiros.</p> <p><strong>Artigo 5 -</strong> <strong>VaR histórico como ferramenta de avaliação da diversificação de fundo de ações</strong> de Victor Amancio de Oliveira, Rafael Moreira Antônio e Rafael Confetti Gatsios com o objetivo de avaliar a potencial perda máxima em carteiras de investimentos mais concentradas e carteiras mais diversificadas utilizando como ferramenta para o controle e gerenciamento do risco de mercado, o cálculo do VaR.</p> <p><strong>Artigo 6 -</strong> <strong>Remuneração dos executivos e os desempenhos econômico-financeiro e socioambiental das empresas do IBRX-50 </strong>de Aline de Araújo dos Santos Ramos, Janaína da Silva Ferreira, Alessanderson Jacó de Carvalho e Lucas Martins Dias Maragno com o objetivo de analisar as relações entre a remuneração dos executivos e os desempenhos econômico-financeiro e socioambiental das empresas brasileiras de capital aberto.</p> <p><strong>Artigo 7 - Provisão de perdas e gerenciamento de resultados em instituições financeiras: uma análise a partir dos maiores bancos brasileiros </strong>de Emerson Silva Mazulo, Renielly Nascimento Iara e Paulo Augusto Pettenuzzo de Britto com o objetivo de analisar a prática de gerenciamento de resultados (GR) nos cinco maiores bancos brasileiros a partir do registro dos valores para provisão de perdas para créditos de liquidação duvidosa (PCLD) em suas demonstrações patrimoniais.</p> <p><strong>Artigo 8 -</strong> <strong>Responsabilidade social corporativa e o ciclo de vida das empresas brasileiras </strong>de Maria Macileya Azevedo Freire, Priscila de Azevedo Prudêncio e Jane Elly Nunes da Costa Lima com o objetivo de analisar a influência do ciclo de vida organizacional no desempenho em Responsabilidade Social Corporativa de empresas brasileiras.</p> <p><strong>Artigo 9 -</strong> <strong>A relação entre a aderência dos relatos integrados ao <em>framework </em>do IIRC e o desempenho econômico </strong>de Gabriel Romão, Cíntia de Melo de Albuquerque Ribeiro e Julio Vieira Neto com o objetivo de analisar a aderência dos Relatos Integrados (RIs) de uma amostra composta por três empresas brasileiras ao <em>Framework</em> do IIRC (<em>International Integrated Reporting Council</em>) e compreender a contribuição do nível de qualidade desses relatórios para o desempenho econômico das empresas adotantes.</p> <p><strong>Artigo 10 -</strong> <strong>Processos julgados pela CVM: análise das principais infrações cometidas por auditores independentes </strong>de Patricia Kortz e Adriano José Azeredo com o objetivo de analisar as principais infrações cometidas por auditores independentes na esfera da Comissão de Valores Mobiliários no período de 2010 a 2020.</p> <p><strong>Artigo 11 -</strong> <strong><em>Value relevance</em> do novo resultado operacional: avaliação do <em>exposure draft</em> 2019/07</strong> de Rummenigue Farias Lima, Luiz Ricardo da Costa e Jomar Miranda Rodrigues com o objetivo de analisar o <em>value relevance</em> do Novo Resultado Operacional proposto pelo ED/2019/07 nas empresas brasileiras em relação às medidas <em>gaap</em> e não-<em>gaap</em>, avaliando a relevância do novo resultado operacional associado ao valor de mercado das empresas.</p> <p><strong>Artigo 12 - Análise da estrutura de capital e heterogeneidade das dívidas das empresas de capital aberto do setor industrial e do agronegócio</strong> de Antonio Flávio Quintanilha Marongio, Vinícius Medeiros Magnani e Rafael Confetti Gatsios com o objetivo de comparar o custo do crédito subsidiado e não-subsidiado das empresas de capital aberto de dois importantes setores econômicos, o setor industrial e de setores relacionados ao agronegócio.</p> <p><strong>Seção 2: Contabilidade Aplicada ao Setor Público e ao Terceiro Setor</strong></p> <p><strong>Artigo 1 -</strong> <strong>Benefício emergencial brasileiro: implementação e controle comparado a teoria distributiva de Lowi </strong>de Marinette Santana Fraga, Cláudia Aparecida Avelar Ferreira, Armindo dos Santos de Sousa Teodósio, Mariano Yoshitake e Verônica Macário de Oliveira Motta com o objetivo de evidenciar a origem dos recursos e os processos de implementação e distribuição do benefício emergencial destinado às classes populares, comparando com a teoria distributiva de Lowi e justificar o controle e <em>accountability</em><em>.</em></p> <p><strong>Artigo 2 -</strong> <strong>Os diferentes tipos de recursos financeiros e sua utilização pelos candidatos a governador na eleição de 201</strong><strong>8</strong> de Renan Bittencourt Guerra, Laisa de Souza David, Etania Gave e de Janyluce Rezende Gama com o objetivo de examinar a distribuição dos valores do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) destinados aos candidatos a governador nas eleições de 2018, assim como outros dois tipos de recursos financeiros.</p> <p><strong>Artigo 3 -</strong> <strong>Gastos públicos e desenvolvimento humano nos municípios do Brasil</strong> de Rossana Guerra Sousa, Leandro da Costa Santos, Rebeca Silva Cavalcanti e Dimas Barreto Queiroz com o objetivo de examinar a relação entre a estrutura de composição dos gastos nos governos municipais do Brasil e o desenvolvimento humano local no período de 2005 a 2016.<strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Seção 3: Pesquisas de Campo sobre Contabilidade (<em>Survey</em>)</strong></p> <p><strong>Artigo 1</strong> - <strong>Recompensa ou fraude? Um olhar multiteórico sobre a pejotização</strong> de Felipe Borges de Santana e Ivone Vieira Pereira com o objetivo de criar uma análise sobre o fenômeno da pejotização a partir da teoria do triângulo de Cressey e das recompensas internas e externas.&nbsp; Este estudo verifica se a pejotização pode ser identificada como artifício fraudulento a partir do Triângulo de Cressey e a teorias das recompensas.</p> <p><strong>Artigo 2</strong> - <strong>Percepções discentes sobre a influência de jogos educacionais na realização e motivação, um estudo baseado na Teoria do Fluxo </strong>de Rafael Scuizato Telles, Luana Santos Mateo e Joyce Menezes da Fonseca Tonin com o objetivo de analisar a influência de jogos educacionais nas percepções de motivação e realização dos discentes de uma disciplina de Contabilidade e Análise de Custos de uma IES da região Sul do Brasil.</p> <p><strong>Artigo 3 -</strong> <strong>Análise da rotatividade de pessoal como um tipo de custo oculto em uma empresa do setor de vidros </strong>de Marcos Igor da Costa Santos e Rayane Farias dos Santos com o objetivo de analisar os impactos da rotatividade de pessoal como um tipo de custo oculto, em uma empresa do segmento vidraceiro localizada no município de João Pessoa/PB, no período de 2017 a 2019.</p> <p><strong>Artigo 4 - Percepção docente sobre a aplicabilidade do PBL no ensino contábil: desafios e limitações </strong>de Maria Auxiliadora de Oliveira Morais, Hellen Bomfim Gomes, Diogo Henrique Silva de Lima, Aneide Oliveira Araujo e Joana Darc Medeiros Martins com o objetivo de analisar a percepção dos docentes de Ciências Contábeis das IES públicas a respeito da utilização da metodologia de aprendizagem baseada em problemas (PBL) no ensino contábil.</p> <p><strong>Artigo 5 -</strong> <strong>Ensino remoto em tempos de distanciamento social: um estudo nos cursos de ciências contábeis e ciências atuariais </strong>de Maria Sueli Arnoud Fernandes, Thiago Alexandre das Neves Almeida e Henrique Cesar Melo Ribeiro com o objetivo investigar como o ensino remoto está sendo desenvolvido nos Cursos de Ciências Contábeis e Ciências Atuariais, em uma Instituição de Ensino Superior Pública (IESP), em tempos de distanciamento social.</p> <p><strong>Artigo 6 -</strong> <strong>Fatores contingenciais relacionados aos investimentos em pesquisa e desenvolvimento</strong> de Vaine Maria Folle Matiello, Silvana Dalmutt Kruger, Antonio Zanin e Cristian Baú Dal Magro com o objetivo de analisar os fatores contingenciais associados a decisões para investimentos em P&amp;D em empresas familiares e não-familiares.</p> <p><strong>Artigo 7 -</strong> <strong><em>Accountability</em> na contabilidade eleitoral: a perspectiva do eleitorado </strong>de Fabrício Martins Cantanhede com o objetivo de analisar os aspectos evidenciados pelos eleitores sobre o dever de prestação de contas eleitorais.</p> <p><strong>Artigo 8 - Perícia contábil: um panorama de seus profissionais e de suas atividades no Brasil </strong>de Claudio de Souza Miranda, João Paulo Resende de Lima, Mariana Titoto Marques e Guilherme Luiz Bertoni Pontes com o objetivo de apresentar um panorama do perfil dos profissionais de perícia contábil no Brasil e de suas atividades.</p> <p><strong>Seção 4: Casos de Ensino Aplicados a Contabilidade</strong></p> <p><strong>Não houve submissão.</strong></p> <p><strong>Seção 5: Resenhas de Teses, Dissertações e Livros sobre Contabilidade</strong></p> <p><strong>Resenha 1 - </strong>Resenha do livro: Perícia Contábil. Müller, A. N., Timi, S. R. R., &amp; Heimoski, V. T. M. (2017). São Paulo, SP: Saraiva, 224 páginas, ISBN: 978-85-472-1977-2</p> <p><strong>Autor: </strong>Pablo Eduardo Nikolais Teixeira Bonifácio da Silva<strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Seção 6: Banco de Dados (Arquivos suplementares em Excel)</strong></p> <p><strong>Não houve submissão.</strong></p> <p><strong>Seção 7: Internacional </strong>(S7)<strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>ENGLISH</strong></p> <p><strong>Section 1</strong></p> <p><strong>Article 1 (Section 1) – </strong><strong>Non-current assets held for sale and discontinued operations: an analysis in the level of evidence and the characteristics of publicly traded Brazilian companies</strong> of Andressa Fernanda da Silva and Maíra Melo de Souza. The objective of this research is to analyze the level of disclosure and the characteristics of publicly traded Brazilian companies in relation to non-current assets held for sale and discontinued operations.</p> <p><strong>Article 2 (Section 1) – </strong><strong>Influence of operational levels of corporate governance on earnings management in companies listed on B3 </strong>of Pedro Junior de Oliveira Trocz, Aládio Zanchet, Denis Dall Asta and Clóvis Fiirst. To analyze the influence of operational levels of corporate governance on earnings management in companies listed on B3.</p> <p><strong>Article 3 (Section 1) – </strong><strong>Overconfidence and audit fees: does the fiscal council influence this relationship? </strong>of Jorge Luiz de Santana Junior and Thiago Rios Sena. This study aims to investigate the role of fiscal council as a mechanism capable of changing the manager's ability to influence audit fees.</p> <p><strong>Article 4 (Section 1) – </strong><strong>The relationship between accounting information and the performance of supplementary health care providers</strong> of Rudolph Fabiano Alves Pedroza Teixeira, Marcelo Álvaro da Silva Macedo and Odilanei Morais dos Santos. Analyze the relationship between accounting information and the performance of supplementary health care providers (OPS) based on economic and financial indicators. The study assessed operational, liquidity, profitability, and capital structure indicators in addition to the influence of the size and type of provider on the Supplementary Health Performance Index (IDSS), which is a proxy for the OPS performance.</p> <p><strong>Article 5 (Section 1) – </strong><strong>Historical VaR as a stock fund diversification assessment tool </strong>of Victor Amancio de Oliveira, Rafael Moreira Antônio e Rafael Confetti Gatsios. The aim of this study is to assess the potential maximum loss in more concentrated investment portfolios and more diversified portfolios using the VaR calculation as a tool for controlling and managing market risk. For this, the study proposes to answer the following research question: "Do more diversified equity funds present less risk?"</p> <p><strong>Article 9 (Section 1) – </strong><strong>The relation between the adherence of integrated reporting to the IIRC framework and economic performance </strong>of Gabriel Romão, Cíntia de Melo de Albuquerque Ribeiro e Julio Vieira Neto.&nbsp; Analyzing the adherence of the Integrated Reports of a sample composed by three Brazilian companies to the IIRC (International Integrated Reporting Council) Framework. Also, understanding the quality contribution of these reports to the generation of economic performance for the adopting companies.</p> <p><strong>Article 10 (Section 1) – </strong><strong>Lawsuits judged by CVM: analysis of the main infractions committed by independent auditors </strong>of Patricia Kortz and Adriano José Azeredo. The purpose of this article is to analyze the main infractions committed by independent auditors in the sphere of the Brazilian Securities and Exchange Commission from 2010 to 2020.</p> <p><strong>Article 11 (Section 1) - </strong><strong>Value relevance of the new operating income: evaluation of the exposure draft 2019/07 </strong>of Rummenigue Farias Lima, Luiz Ricardo da Costa and Jomar Miranda Rodrigues. To analyze the value relevance of the new operating result proposed by ED/2019/07 in Brazilian companies in relation to the gaap and non-gaap measure, assessing the relevance of the new operating result associated with the market value of companies.<strong>&nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp;&nbsp;</strong></p> <p><strong>Article 12 (Section 1) - </strong><strong>Analysis of the capital structure and debt heterogeneity of publicly traded companies in the industrial and agribusiness sector</strong> of Antonio Flávio Quintanilha Marongio, Vinícius Medeiros Magnani and Rafael Confetti Gatsios. The purpose of this work is to verify if there was a reduction in the cost of capital of publicly traded companies in two important economic sectors, the industrial sector and sectors related to agribusiness.</p> <p><strong>Section 2&nbsp;</strong></p> <p><strong>Article 1 (Section 2) - </strong><strong>Brazilian emergency benefit: implementation and control to compared to Lowi’s distributive theory </strong>of Marinette Santana Fraga, Cláudia Aparecida Avelar Ferreira, Armindo dos Santos de Sousa Teodósio, Mariano Yoshitake and Verônica Macário de Oliveira Motta. The present study aims to evidence the origin of resources, the implementation and distribution processes of the emergency benefit destined to the popular classes, comparing with Lowi's distributive theory, and justify the control and accountability.</p> <p><strong>Article 3 (Section 2) - </strong><strong>Public expenditure and human development in Brazilian municipalities </strong>of Rossana Guerra Sousa, Leandro da Costa Santos, Rebeca Silva Cavalcanti and Dimas Barreto Queiroz. This study examines the relationship between the structure of public expenditure composition in Brazilian municipalities governments and the local human development in the period from 2005 to 2016.<strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Section 3</strong></p> <p><strong>Article 2 (Section 3) - </strong><strong>Students' perceptions about the influence of educational games on achievement and motivation, a study based on the Flow Theory </strong>of Rafael Scuizato Telles, Luana Santos Mateo and Joyce Menezes da Fonseca Tonin. The present study analyzed the influence of educational games on the perceptions of motivation and achievement of students in an Accounting and Cost Analysis course at a university in the South of Brazil.</p> <p><strong>Article 4 (Section 3) - </strong><strong>Professor perception on the applicability of PBL in accounting education: challenges and limitations </strong>of Maria Auxiliadora de Oliveira Morais, Hellen Bomfim Gomes, Diogo Henrique Silva de Lima, Aneide Oliveira Araujo and Joana Darc Medeiros Martins. Analyze the perception of accounting professors at public HEIs about the use of the Problem-Based Learning (PBL) methodology in accounting education.</p> <p><strong>Article 5 (Section 3) - </strong><strong>Remote teaching in times of social distancing: a study in the accounting and actuarial sciences courses </strong>of Maria Sueli Arnoud Fernandes, Thiago Alexandre das Neves Almeida and Henrique Cesar Melo Ribeiro. Considering the imposed social isolation measures to contain the spread of the Sars-Cov-2 virus, the cause of COVID-19 pandemic, the in-person classes started to be held remotely. Those measures had an impact on education, mainly because they had to be adopted quickly, with no time for preparation. In our current study, we investigate how remote teaching has been occurring in the undergraduate courses of Accounting and Actuarial Sciences at a Public Higher Education Institution (PHEI), in times of social distancing.</p> <p><strong>Article 7 (Section 3) - </strong><strong>Accountability in electoral accounting: the electorate perspective </strong>of Fabrício Martins Cantanhede. The objective of the work is to analyze the aspects evidenced by voters about the duty of provision of electoral accounts.</p> <p><strong>&nbsp;</strong>Boa leitura. Cordiais saudações!</p> <p>Prof. Dr. Maurício Corrêa da Silva</p> <p>Editor Gerente da Revista Ambiente Contábil</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/22975 Benefício emergencial brasileiro: implementação e controle comparado a teoria distributiva de Lowi 2021-08-16T19:32:12-03:00 Marinette Santana Fraga marinettefraga@outlook.com Cláudia Aparecida Avelar Ferreira claudiahgv@gmail.com Armindo dos Santos de Sousa Teodósio armindo.teodosio@gmail.com Mariano Yoshitake kimimarinamariano@gmail.com Verônica Macário de Oliveira Motta veronicamacario@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: O presente estudo tem por objetivo evidenciar a origem dos recursos e os processos de implementação e distribuição do benefício emergencial destinado às classes populares, comparando com a teoria distributiva de Lowi e justificar o controle e <em>accountability</em>.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Realizou-se a revisão de literatura referente a abordagem da teoria distributiva de Lowi e uma pesquisa documental em sítios da transparência do executivo federal para construção deste ensaio teórico.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados apontam para a existência de mera mutação das origens de recursos nas áreas da educação e saúde para o Ministério da Cidadania, deixando dúvidas se houve efetividade de investimentos. O benefício emergencial atende de forma imediata as pessoas mais desfavorecidas, mas não reparam os danos permanentes da trajetória de vulnerabilidade e subcidadania da população das classes populares. A ação de controle e <em>accountability </em>dos recursos pelo Tribunal de Contas da União evidencia que houve falta de foco com a política social, como previsto pela teoria distributiva de Lowi (Marcuso &amp; Moreira, 2013).</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: No âmbito acadêmico e científico, o presente estudo contribui para o debate da teoria distributiva de Lowi aplicada em situações contingenciais, como no contexto de pandemia denominada de Covid 19. Para a sociedade, suas contribuições perpassam pela necessidade de informações mais transparentes, confiáveis e de maior compreensibilidade na utilização e origens dos recursos públicos, de forma a evitar manipulações orçamentárias. Possibilita a observância da intervenção de instituições controladoras para garantir o uso adequado do erário público.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/23016 Os diferentes tipos de recursos financeiros e sua utilização pelos candidatos a governadores na eleição de 2018 2021-08-18T16:42:03-03:00 Renan Bittencourt Guerra renanbittencourtguerra@gmail.com Laisa de Souza David laisad23@gmail.com Etania Gave etania_gave@hotmail.com Janyluce Rezende Gama janylucegama@gmail.com <p><strong>Objetivo: </strong>Examinar a distribuição dos valores do FEFC destinados aos candidatos a governador nas eleições de 2018, assim como outros dois tipos de recursos financeiros. Para tanto, analisa a Reforma Eleitoral Brasileira ocorrida em 2017, destacando a criação do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), que repassou R$ 1,7 bilhão aos partidos políticos brasileiros em 2018. Utiliza literatura que afirma sobre o conflito informacional apresentado pela Teoria da Agência e a participação social no processo eleitoral.</p> <p><strong>&nbsp;</strong><strong>Metodologia: </strong>Utilizando uma amostra de 193 candidatos, a metodologia utilizada adotou uma abordagem quali-quanti, com análise de estatística descritiva e aplicação do teste de Kruskal-Wallis, além de um estudo documental que consistiu na análise dos extratos de prestação de contas dos candidatos publicados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Deste modo, analisaram-se as distribuições dos três tipos de recursos (Outros Recursos, Fundo Partidário e FEFC) entre as regiões brasileiras, assim como as devoluções (sobras de campanha) declaradas pelos candidatos.</p> <p><strong>Resultados: </strong>Os resultados indicam que cerca de 60% de todos os recursos financeiros utilizados pelos candidatos estudados foram originados do fundo instituído pelo governo. Das cinco regiões brasileiras, o Sudeste representou os candidatos que mais gastaram com dois tipos de recursos: Outros Recursos e Fundo Partidário; enquanto a região Nordeste figurou como a região com maior recebimento de recurso do FEFC.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo: </strong>O estudo contribui com a verificação da distribuição financeira dos candidatos a governador no âmbito nacional. Tendo em vista que os pleiteadores gastaram mais do FEFC e devolveram menos desse mesmo recurso, em relação aos tipos de financiamento, indica-se uma priorização por parte dos candidatos do consumo do FEFC, resguardando assim recursos próprios e de origem partidária.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/25515 Gastos públicos e desenvolvimento humano nos municípios do Brasil 2021-12-24T07:03:59-03:00 Rossana Guerra Sousa rossanagsousa@yahoo.com.br Leandro da Costa Santos leandrosantoscont@gmail.com Rebeca Silva Cavalcanti rebcav96@gmail.com Dimas Barreto Queiroz dimasqueiroz@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: Este estudo examina a relação entre a estrutura de composição dos gastos nos governos municipais do Brasil e o desenvolvimento humano local no período de 2005 a 2016.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Foi utilizado um teste de hipótese para analisar a relação entre os gastos públicos nos municípios, que foram categorizados de acordo com seus Índices de Gastos (IG) e o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), <em>proxy</em> utilizada para o desenvolvimento humano, baseado no conceito proposto por Sen (1999). Para tanto, foram utilizados dados de todos os 5.570 municípios brasileiros, tratados em forma agregada com a utilização de análise em Painel de Dados e com Regressão Quantílica para abordar de maneira mais abrangente a heterogeneidade dos municípios.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados permitem inferir que para a amostra estudada as mudanças na composição do gasto público não produziram uma melhora significativa no bem-estar da população. Evidencia-se ainda que apesar da manutenção das políticas de cunho social por forte regulação do governo central, os gastos, ainda que crescentes nestas áreas, não vêm produzindo os efeitos desejados na melhoria dos indicadores de bem-estar da população.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Esta pesquisa contribui para a academia e a sociedade, pois evidencia que, para que os municípios brasileiros deem passos efetivos rumo ao crescimento e aos indicadores de desenvolvimento humano sustentável de forma mais incisiva, a hegemonização da política de gastos públicos requer ajustes. Esses ajustes poderiam levar em consideração as condições idiossincráticas das diferentes etapas do desenvolvimento humano nos municípios.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29383 Ativo não circulante mantido para venda e operações descontinuadas: uma análise no nível de evidenciação e nas características das companhias de capital aberto brasileiras 2022-07-03T08:22:17-03:00 Andressa Fernanda da Silva andressafsf@hotmail.com Maíra Melo de Souza mairameloufsc@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: O objetivo desta pesquisa é analisar o nível de evidenciação e as características das companhias de capital aberto brasileiras em relação aos ativos não circulantes mantidos para venda e operações descontinuadas.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Para analisar o nível de evidenciação, elaborou-se uma lista de verificação com base no CPC 31 (2009). Este estudo se enquadra como documental, tendo em vista que foram analisadas as Notas Explicativas, o Balanço Patrimonial (BP) e a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) das empresas componentes da amostra. A abordagem do problema foi qualitativa. A amostra é constituída por todas as companhias da Brasil, Bolsa, Balcão (B3) que apresentaram ativos não circulantes mantidos para venda (ANCMV) e/ou operações descontinuadas (OD) no ano de 2018, o que corresponde a 67 empresas divididas em 10 setores de atuação. As características analisadas foram: setor de atuação, governança corporativa, rentabilidade, empresa de auditoria, e se negociam ações na <em>New York Stock Exchange</em> (NYSE).</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados sugerem que as companhias que se enquadram no Novo Mercado, possuem rentabilidade negativa e negociam ações na NYSE tendem, em média, a realizar um maior nível de evidenciação dos ANCMV e OD. Os setores que apresentaram maior concentração dos ANCMV e OD foram o de Bens Industriais e Consumo Cíclico, ambos compostos por 16 empresas das 67 da amostra. A natureza do ANCMV que mais se destacou foram as controladas, com representatividade de 49%. Observou-se que as empresas ainda precisam melhorar quanto a evidenciação, pois a média da amostra foi de 44%.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: A realização da presente investigação contribui no sentido que a prática contábil pertinente aos ANCMV e OD é relativamente recente no Brasil e muitos acadêmicos ainda podem ter dúvidas sobre o tema, considerando que o pronunciamento contábil CPC 31 trouxe novos procedimentos de evidenciação. Nesse sentido, esta pesquisa contribui no sentido de apresentar a maneira como as companhias de capital aberto brasileiras estão evidenciando os ANCMV e das OD num contexto atualizado, demonstrando que elas precisam melhorar o nível das informações divulgadas para atender plenamente o CPC 31.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29384 Influência dos níveis operacionais de governança corporativa no gerenciamento de resultado em empresas listadas na B3 2022-07-03T08:33:59-03:00 Pedro Junior de Oliveira Trocz pedrojunior94@yahoo.com Aládio Zanchet aladio.unioeste@gmail.com Denis Dall Asta denis.asta@unioeste.br Clóvis Fiirst cfiirst@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: Analisar a influência dos níveis operacionais de governança corporativa no gerenciamento de resultado em empresas listadas na B3.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Foi adotada uma pesquisa descritiva com procedimento documental e abordagem quantitativa. A amostra foi composta de 207 empresas listadas na B3 que estão classificadas nos níveis operacionais de governança corporativa. Os dados foram coletados através da Economática® no período de 2013 a 2018 e, posteriormente, foi empregado o modelo desenvolvido por Kang e Sivaramakrishnan (1995). Para estimar o gerenciamento de resultado foram utilizados os softwares SPSS, LhStat e Excel.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados mostram que no aspecto de gerenciamento de resultado não há uma tendência ou uma linha evolutiva que os segmentos que exigem maiores padrões de governança corporativa, as empresas tenham escolhas contábeis de gerenciar menos resultado, ou, que nos segmentos com menores exigências de governança corporativa, as empresas tenham escolhas contábeis de gerenciar mais resultado. Afinal, os níveis operacionais que possuem os melhores conceitos de governança corporativa não influenciam negativamente na prática de gerenciamento de resultado, bem como, os níveis operacionais que não dispõem dos melhores conceitos, não influenciam positivamente na prática de gerenciamento de resultado.</p> <p><strong>Contribuições do estudo</strong>: O estudo trouxe contribuições para o âmbito corporativo, ao abordar a relevância da governança como mecanismo de transparência na prestação de contas das companhias no aspecto de gerenciamento de resultado. Isso possibilita aos usuários inferirem sobre a qualidade da informação contábil divulgada pela B3. Do mesmo modo, contribuições no âmbito acadêmico ao analisar as escolhas contábeis diretamente das demonstrações contábeis das empresas, ocasionando aproximação da teoria discutida na academia com a realidade das organizações.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29385 Excesso de confiança e honorários de auditoria: o conselho fiscal exerce influência nessa relação? 2022-07-03T08:48:22-03:00 Jorge Luiz De Santana Júnior santanajr.prof@gmail.com Thiago Rios Sena thiagoriossena@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: Esse estudo tem como objetivo investigar o papel do conselho fiscal enquanto mecanismo capaz de alterar a capacidade do gestor de influenciar os custos de auditoria.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> Foram analisadas 231 observações de empresas abertas que negociaram suas ações na [B]³ no ano de 2017. Para investigar a relação objeto desse estudo, realizou-se análise por meio de regressão linear múltipla com estimador MQO.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Na amostra analisada, foi identificado que o excesso de confiança dos gestores aumenta os custos de auditoria, sendo consistente com o argumento de que o excesso de confiança dos gestores pode elevar o risco de erro material. Contudo, possivelmente em função de características do ambiente emergente ou diferentes níveis de eficiência do conselho fiscal, não foi possível confirmar a hipótese de que o conselho fiscal exerce influência significativa na relação entre o excesso de confiança do gestor e os custos de auditoria.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo:</strong> No campo empírico, essa pesquisa fornece subsídios para investidores e reguladores no tocante a atuação dos mecanismos de governança - mais especificamente o conselho fiscal - na relação entre o auditor e o cliente. Sob a perspectiva teórica, acrescenta-se a literatura contábil ao preencher lacuna existente acerca das consequências dos vieses comportamentais dos gestores no custo de auditoria sob a moderação do conselho fiscal.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29386 A relação entre as informações contábeis e o desempenho das operadoras de saúde suplementar 2022-07-03T08:57:22-03:00 Rudolph Fabiano Alves Pedroza Teixeira rudolphteixeira@gmail.com Marcelo Álvaro da Silva Macedo malvaro@facc.ufrj.br Odilanei Morais dos Santos profodilanei@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: Analisar a relação entre as informações contábeis e o desempenho das operadoras de saúde suplementar (OPS), com base em indicadores econômico-financeiros. Para tanto, foram avaliados indicadores operacionais, de liquidez, rentabilidade, estrutura de capital, além da influência exercida pelo tamanho e o tipo de operadora sobre a pontuação do Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS), que é uma <em>proxy</em> para o desempenho das OPS.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Primeiramente foi realizada uma Análise Fatorial em 18 indicadores econômico-financeiros de 568 OPS, que resultaram em cinco fatores (operacional, liquidez, rentabilidade, estrutura de capital e tamanho). Por fim, foi elaborado um modelo em que se aplicou regressões por Mínimos Quadrados Ordinários (MQO) e TOBIT para explicar o IDSS, como função dos cinco fatores calculados mais quatro variáveis <em>dummies</em> para os tipos de OPS.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados mostraram que os dados e indicadores econômico-financeiros das OPS são relevantes em conjunto para explicar o IDSS, indicando que a informação contábil possui capacidade de retratar aspectos do setor de saúde suplementar, que vão além da dimensão puramente financeira.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: O estudo contribui com a literatura ao trazer fortes indícios de que as informações contábeis das OPS são importantes para explicar parcela do ambiente econômico da saúde suplementar, superando em mais de duas vezes seu próprio conteúdo informacional contido no IDSS, o que evidencia a utilidade e a relevância de tais informações para os usuários das OPS.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29387 VaR histórico como ferramenta de avaliação da diversificação de fundo de ações 2022-07-03T09:08:08-03:00 Victor Amancio de Oliveira victor-amancio@hotmail.com Rafael Moreira Antônio rafael.antonio@fgv.br Rafael Confetti Gatsios rafaelgatsios@hotmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: O objetivo do presente estudo é avaliar a potencial perda máxima em carteiras de investimentos mais concentradas e carteiras mais diversificadas utilizando como ferramenta para o controle e gerenciamento do risco de mercado, o cálculo do VaR. Para isso, o estudo se propôs a responder a seguinte questão de pesquisa: “Os fundos de ações mais diversificados apresentam menor risco?”.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: O modelo de simulação histórica foi aplicado, considerando sete carteiras de fundos de investimentos em ações (FIAs) e 493 retornos diários, sob o nível de confiança de 95%.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados indicaram que a perda máxima esperada é superior em carteiras mais concentradas. Portanto, a estratégia de diversificação auxiliou na redução do risco e é um instrumento importante a ser considerado em um portfólio de ações.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: A contribuição central do estudo é a de fornecer subsídios para investidores e gestores de recursos ao passo em que traz uma simulação e uma aplicação prática do VaR na análise da diversificação das carteiras dos fundos de investimentos em ações.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29388 A relação entre a aderência dos relatos integrados ao framework do IIRC e o desempenho econômico 2022-07-03T09:18:05-03:00 Gabriel Romão gromao@id.uff.br Cíntia de Melo de Albuquerque Ribeiro cintiaalbuquerque@id.uff.br Júlio Vieira Neto julion@id.uff.br <p><strong>Objetivo</strong>: Analisar a aderência dos Relatos Integrados (RIs) de uma amostra composta por três empresas brasileiras ao <em>Framework</em> do IIRC (<em>International Integrated Reporting Council</em>) e compreender a contribuição do nível de qualidade desses relatórios para o desempenho econômico das empresas adotantes.</p> <p><strong>Metodologia: </strong>As empresas foram selecionadas no banco de dados do IIRC. Utilizando como referência o método apresentado por Kiliç e Kuzey (2018), foi adaptado um modelo de ID (Índice de Divulgação), através da técnica de análise de conteúdo, para mensurar o nível de aderência dos Relatos ao <em>Framework</em>.&nbsp; Após o cálculo dos IDs, foram analisados o Coeficiente de Variação (CV) de índices de liquidez e solvência das empresas e o desempenho macroeconômico do período pesquisado, objetivando constatar se os RIs aderentes ao <em>Framework</em> estão associados ao desempenho econômico das empresas.</p> <p><span style="text-decoration: line-through;">&nbsp;</span><strong>Resultados: </strong>Os resultados da análise apontam que não é possível afirmar que elevados níveis de aderência ao <em>Framework</em> estão associados ao desempenho econômico das empresas, haja vista que o cálculo do CV dos índices financeiros, durante o período de publicações dos RIs, não apresenta uma dispersão menor quando comparados ao período anterior a tais publicações</p> <p><strong>Contribuição do estudo: </strong>As pesquisas recentes a respeito do tema Relato Integrado não apresentam uma relação entre a aderência das publicações ao <em>Framework</em> do IIRC e o desempenho econômico de empresas brasileiras. Desse modo, este estudo demonstra-se relevante ao pesquisar o conteúdo dos Relatos Integrados publicados por empresas brasileiras e o relacionamento dessas informações com o desempenho econômico, verificando se os Relatos Integrados cumprem a promessa de entregar benefícios econômicos aos adotantes do modelo.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29389 Processos julgados pela CVM: análise das principais infrações cometidas por auditores independentes 2022-07-03T09:28:33-03:00 Patricia Kortz patricia.kortz@universo.univates.br Adriano José Azeredo adrianoj@univates.br <p><strong>Objetivo: </strong>O objetivo deste artigo é analisar as principais infrações cometidas por auditores independentes na esfera da Comissão de Valores Mobiliários no período de 2010 a 2020.</p> <p><strong>Metodologia: </strong>O estudo caracteriza-se como descritivo e documental com abordagem quali-quantitativa. Utilizou-se das informações de processos administrativos sancionadores julgados pela CVM no período de 2010 a 2020 para identificar características como o perfil dos acusados e as penalidades aplicadas, as quais foram submetidas a análise de correlação para verificar se há alguma relação direta dessas variáveis com as infrações cometidas.</p> <p><strong>Resultados: </strong>O estudo aponta que entre as infrações mais recorrentes estão “Ausência de planejamento e procedimentos de auditoria que acarretam em divergências no relatório do auditor independente” e “Irregularidades no Programa de Revisão Externa de Qualidade”, as quais representam 39,47% e 34,21% da amostra analisada, respectivamente. Na análise de correlação, identificou-se que a ocorrência da infração “b” está vinculada com os acusados “reincidentes” e com a penalidade “suspensão temporária”. Além disso, evidenciou-se que o aumento de acusados “reincidentes” está ligado principalmente ao aumento de acusados classificados como “não<em> Big Four</em>”.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo: </strong>Os resultados do estudo evidenciam aos usuários das demonstrações financeiras a motivação da abertura de processos contra auditores independentes junto à CVM e quais as infrações por eles cometidas com o intuito de contribuir para a melhoria do cumprimento das normas e procedimentos de auditoria pela revelação das infrações mais recorrentes sob três metodologias e períodos diferentes. Apresenta ainda o grau de correlação existente entre a infração cometida, o perfil dos acusados (segregando Big Four e não Big Four) e a penalidade aplicada.&nbsp;</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29390 Value relevance do novo resultado operacional: avaliação do exposure draft 2019/07 2022-07-03T09:35:52-03:00 Rummenigue Farias Lima rummenigue@gmail.com Luiz Ricardo da Costa lricardo.costa@hotmail.com Jomar Miranda Rodrigues jomar@unb.br <p><strong>Objetivo: </strong>Analisar o <em>value relevance</em> do Novo Resultado Operacional proposto pelo ED/2019/07 nas empresas brasileiras em relação às medidas <em>gaap</em> e não-<em>gaap</em>, avaliando a relevância do novo resultado operacional associado ao valor de mercado das empresas.</p> <p><strong>Metodologia: </strong>Utilizou-se dados econômico-financeiros, disponíveis na Economatica, de 149 empresas de 9 setores econômicos da B3, que detinham as informações anuais necessárias para a realização do estudo no período de 2010 a 2019. Para análise dos dados utilizou-se de um <em>restatement</em> da atual demonstração de resultado, para avaliar o novo resultado operacional disposto no <em>Exposure Draft</em>. Para avaliação do <em>value relevance</em> foi utilizado o modelo de Ohlson (1995), que permite avaliar o poder explicativo do R<sup>2</sup> da regressão.</p> <p><strong>Resultados: </strong>Os resultados das análises sugerem que, para as empresas analisadas, o <em>value relevance</em> do Novo Resultado Operacional (R<sup>2</sup>=0.4439) é superior ao EBITDA (R<sup>2</sup> = 0.4321), seguido pelo Lucro Líquido (R<sup>2</sup> = 0.4094). Tais resultados evidenciam que o Novo Resultado Operacional possui maior poder explicativo para o valor de mercado das empresas. Neste sentido, os resultados corroboram com as conclusões de Barton et al. (2010) em que o Resultado Operacional e o EBITDA possuem maior <em>value relevance</em> que a medida <em>gaap</em> e, consequentemente, maior associação com os retornos das ações.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo: </strong>O estudo traz evidências empíricas sobre os possíveis impactos da nova demonstração do resultado, com implicações práticas, e de como a alteração na forma de apresentação da demonstração de resultado pode impactar na previsibilidade das ações. No âmbito social, por tratar-se de uma futura norma que, ao que tudo indica, será implementada nos próximos anos, a presente pesquisa pode contribuir com profissionais contábeis, auditores e órgãos normativos no entendimento dos benefícios e impactos das alterações propostas.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29391 Análise da estrutura de capital e heterogeneidade das dívidas das empresas de capital aberto do setor industrial e do agronegócio 2022-07-03T09:48:14-03:00 Antonio Flávio Quintanilha Marongio marongio@fcfrp.usp.br Vinícius Medeiros Magnani vinicius_magnani@hotmail.com Rafael Confetti Gatsios rafaelgatsios@hotmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> O crédito subsidiado fornecido pelo governo brasileiro a alguns setores da economia, nos últimos anos, por meio de linhas de financiamento, tais como FINAME, FIDIC, do BNDES, pode ter determinado uma redução dos custos da estrutura de capital. Assim, a proposta deste trabalho é verificar se, de fato, houve uma redução do custo do capital das empresas de capital aberto de dois importantes setores econômicos, o setor industrial e de setores relacionados ao agronegócio.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> Informações referentes às fontes de financiamento, montante do financiamento, moeda e taxas de juros foram coletados das Notas Explicativas das demonstrações financeiras de 84 empresas de capital aberto e utilizadas para calcular o custo médio ponderado de capital das fontes de financiamento com taxas subsidiadas e não subsidiadas.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Os resultados apontam que os empréstimos com taxas subsidiadas apresentam uma grande variabilidade na participação de empréstimos com taxas subsidiadas na composição de financiamento das empresas, porém apresentando, em média, um baixo percentual na composição do endividamento, e ainda, que as taxas efetivas médias de empréstimos subsidiados pode ser maior que as taxas efetivas médias dos empréstimos não subsidiados sugerindo que os créditos subsidiados na proporção em que tem sido utilizados para compor o financiamento, podem não exercer um papel relevante na redução dos custos da estrutura de capital das empresas</p> <p><strong>Contribuições do Estudo:</strong> Este trabalho colabora com a identificação de fatores relevantes que explicam a forma como as empresas determinam sua estrutura de capital, fornecendo aos administradores indicações sobre que fatores são preponderantes no desempenho prático da política de estrutura de capital das empresas.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29392 Benefício emergencial brasileiro: implementação e controle comparado a teoria distributiva de Lowi 2022-07-03T09:57:50-03:00 Marinette Santana Fraga marinettefraga@outlook.com Cláudia Aparecida Avelar Ferreira claudiahgv@gmail.com Armindo dos Santos de Sousa Teodósio armindo.teodosio@gmail.com Mariano Yoshitake kimimarinamariano@gmail.com Verônica Macário de Oliveira Motta veronicamacario@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: O presente estudo tem por objetivo evidenciar a origem dos recursos e os processos de implementação e distribuição do benefício emergencial destinado às classes populares, comparando com a teoria distributiva de Lowi e justificar o controle e <em>accountability</em>.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Realizou-se a revisão de literatura referente a abordagem da teoria distributiva de Lowi e uma pesquisa documental em sítios da transparência do executivo federal para construção deste ensaio teórico.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados apontam para a existência de mera mutação das origens de recursos nas áreas da educação e saúde para o Ministério da Cidadania, deixando dúvidas se houve efetividade de investimentos. O benefício emergencial atende de forma imediata as pessoas mais desfavorecidas, mas não reparam os danos permanentes da trajetória de vulnerabilidade e subcidadania da população das classes populares. A ação de controle e <em>accountability </em>dos recursos pelo Tribunal de Contas da União evidencia que houve falta de foco com a política social, como previsto pela teoria distributiva de Lowi (Marcuso &amp; Moreira, 2013).</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: No âmbito acadêmico e científico, o presente estudo contribui para o debate da teoria distributiva de Lowi aplicada em situações contingenciais, como no contexto de pandemia denominada de Covid 19. Para a sociedade, suas contribuições perpassam pela necessidade de informações mais transparentes, confiáveis e de maior compreensibilidade na utilização e origens dos recursos públicos, de forma a evitar manipulações orçamentárias. Possibilita a observância da intervenção de instituições controladoras para garantir o uso adequado do erário público.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29393 Gastos públicos e desenvolvimento humano nos municípios do Brasil 2022-07-03T10:11:08-03:00 Rossana Guerra Sousa rossanagsousa@yahoo.com.br Leandro da Costa Santos leandrosantoscont@gmail.com Rebeca Silva Cavalcanti rebcav96@gmail.com Dimas Barreto Queiroz dimasqueiroz@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: Este estudo examina a relação entre a estrutura de composição dos gastos nos governos municipais do Brasil e o desenvolvimento humano local no período de 2005 a 2016.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Foi utilizado um teste de hipótese para analisar a relação entre os gastos públicos nos municípios, que foram categorizados de acordo com seus Índices de Gastos (IG) e o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), <em>proxy</em> utilizada para o desenvolvimento humano, baseado no conceito proposto por Sen (1999). Para tanto, foram utilizados dados de todos os 5.570 municípios brasileiros, tratados em forma agregada com a utilização de análise em Painel de Dados e com Regressão Quantílica para abordar de maneira mais abrangente a heterogeneidade dos municípios.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados permitem inferir que para a amostra estudada as mudanças na composição do gasto público não produziram uma melhora significativa no bem-estar da população. Evidencia-se ainda que apesar da manutenção das políticas de cunho social por forte regulação do governo central, os gastos, ainda que crescentes nestas áreas, não vêm produzindo os efeitos desejados na melhoria dos indicadores de bem-estar da população.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Esta pesquisa contribui para a academia e a sociedade, pois evidencia que, para que os municípios brasileiros deem passos efetivos rumo ao crescimento e aos indicadores de desenvolvimento humano sustentável de forma mais incisiva, a hegemonização da política de gastos públicos requer ajustes. Esses ajustes poderiam levar em consideração as condições idiossincráticas das diferentes etapas do desenvolvimento humano nos municípios.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29394 Percepções discentes sobre a influência de jogos educacionais na realização e motivação, um estudo baseado na Teoria do Fluxo 2022-07-03T10:23:28-03:00 Rafael Scuizato Telles rafael_telles@usp.br Luana Santos Mateo luanasantosmateo@hotmail.com Joyce Menezes da Fonseca Tonin jmftonin@uem.br <p><strong>Objetivo</strong>: O presente estudo teve como objetivo analisar a influência de jogos educacionais nas percepções de motivação e realização dos discentes de uma disciplina de Contabilidade e Análise de Custos de uma IES da região Sul do Brasil.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Aplicou-se um jogo seguido de um questionário a 32 (trinta e dois) estudantes. O jogo aplicado chama-se <em>Space Race</em>. O questionário baseou-se na Teoria do Fluxo com intuito de captar as percepções dos alunos quanto à experiência de fluxo vivenciada durante a aplicação do jogo. A Teoria do Fluxo analisa o estado mental caracterizado pela concentração e foco em uma atividade, tendo como consequência a realização e a motivação, baseando-se no equilíbrio entre habilidades e o desafio enfrentado. Os dados quantitativos foram tratados por meio de estatística descritiva e Teste de Kruskal-Wallis.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados evidenciaram que os alunos vivenciaram uma experiência de fluxo, sendo as dimensões Clareza do Objetivo e o <em>Feedback</em> as que mais contribuíram para esse resultado. Outros resultados foram que: i) o <em>Feedback</em> imediato motivou os alunos que estavam acertando as questões, porém frustrou os que estavam errando; ii) a competição oriunda do jogo gerou reações diversas de ansiedade a motivação nos alunos e; iii) problemas com a conexão com a internet durante a realização do jogo revelam uma barreira tecnológica.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: O estudo contribui ao: i) apresentar a Teoria do Fluxo e suas dimensões, ferramenta que pode ser utilizada para mensuração da motivação e realização discente; ii) analisar as percepções dos discentes diante da aplicação de um jogo educacional; iii) introduzir um jogo gratuito adequado ao contexto do ensino em contabilidade.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29395 Percepção docente sobre a aplicabilidade do PBL no ensino contábil: desafios e limitações 2022-07-03T10:34:06-03:00 Maria Auxiliadora de Oliveira Morais auxiliadora.o.morais@gmail.com Hellen Bomfim Gomes hellenbomfim@hotmail.com Diogo Henrique Silva de Lima diogoh4@ufrnet.br Aneide Oliveira Araujo aneide@ufrnet.br Joana Darc Medeiros Martins joanadarc@ufrnet.br <p><strong>Objetivo</strong>: Analisar a percepção dos docentes de Ciências Contábeis das IES públicas a respeito da utilização da metodologia de aprendizagem baseada em problemas (PBL) no ensino contábil.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com unidade de análise composta por nove docentes de cursos de graduação em Ciências Contábeis de universidades públicas localizadas no Rio Grande do Norte. As informações obtidas nas entrevistas foram transcritas e, posteriormente, passaram por um processo de codificação, realizado com o auxílio do <em>software</em> ATLAS.ti®, possibilitando identificar as unidades de significados contidas no discurso dos entrevistados, permitindo a análise de conteúdo. Realizou-se uma triangulação de dados utilizando os planos de curso das disciplinas ministradas pelos entrevistados e as informações das entrevistas.&nbsp;</p> <p><strong>Resultados</strong>: Com base nos resultados obtidos por meio das entrevistas, foi constatado que os entrevistados consideram que o <em>problem-based learning</em> é um método aplicável ao ensino da Ciência Contábil, principalmente nas disciplinas julgadas como de cunho prático. Além disso, verificou-se que o papel do docente é fundamental para o sucesso da utilização dessa metodologia. No entanto, a análise dos planos de curso das disciplinas ministradas pelos entrevistados demonstrou que os métodos de ensino tradicionais ainda são preponderantes. Foi observado que a desmotivação dos discentes, a falta de conhecimento dos professores sobre o método PBL, a falta de interesse e incentivos para utilizar uma abordagem de aprendizagem baseada em problemas e aspectos institucionais são fatores que dificultam e limitam a utilização dessa intervenção pedagógica.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Os achados contribuem para a discussão acerca da implementação de metodologias ativas no ensino de contabilidade, especificamente o PBL, ao identificar aspectos que se apresentam como desafios que precisam ser observados e superados em sua utilização.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29396 Ensino remoto em tempos de distanciamento social: um estudo nos cursos de ciências contábeis e ciências atuariais 2022-07-03T10:45:59-03:00 Maria Sueli Arnoud Fernandes sueliarnoud@gmail.com Thiago Alexandre das Neves Almeida thiagoalmeidapb@hotmail.com Henrique Cesar Melo Ribeiro hcmribeiro@gmail.com <p><strong>Objetivo: </strong>Considerando as medidas de isolamento social, impostas para conter a disseminação do vírus <em>Sars-Cov-2</em>, causador da pandemia COVID-19, as aulas presenciais passaram a ser realizadas de forma remota. Essas medidas impactaram na Educação, principalmente por terem ocorrido de forma brusca, sem tempo sequer para preparação. O estudo se propõe a investigar como o ensino remoto está sendo desenvolvido nos Cursos de Ciências Contábeis e Ciências Atuariais, em uma Instituição de Ensino Superior Pública (IESP), em tempos de distanciamento social.</p> <p><strong>Metodologia: </strong>Foi realizada uma pesquisa tipo <em>e-survey</em> com os docentes e discentes para obter informações sobre o tema. Os dados coletados foram processados utilizando técnicas estatísticas para gerar resultados.</p> <p><strong>Resultados: </strong>Observou-se que a IES estudada não dispõe de recursos como Sala Invertida, Lousa Digital e outras ferramentas tecnológicas para auxiliar nas aulas remotas, uma vez que a modalidade “ensino remoto” se deu pela pandemia da COVID-19, que impediu os cursos de serem realizados presencialmente. A IES lançou programas de inclusão digital por meio de editais para aquisição de dados móveis e compra de equipamentos, como computadores/<em>smartphones</em>/<em>tablets</em> para os alunos, só que poucos alunos conseguiram esses recursos.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo: </strong>Esta pesquisa contribuiu com resultados em estado da arte, no tocante aos cursos de graduação ao investigar sua evolução para o ensino remoto. Tais contribuições puderam vislumbrar informações e conhecimentos sobre o referido tema para a literatura científica nacional e para alicerçar e nortear outros cursos de instituições públicas e/ou privadas.</p> <p>&nbsp;</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29397 Accountability na contabilidade eleitoral: a perspectiva do eleitorado 2022-07-03T11:06:36-03:00 Fabrício Martins Cantanhede fabriciocantanhede@hotmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> O objetivo do trabalho é analisar os aspectos evidenciados pelos eleitores sobre o dever de prestação de contas eleitorais.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> Os dados foram coletados em Imperatriz/MA por aplicação de questionário <em>on-line</em>. Ao final, obtiveram-se 329 respostas, que compuseram o <em>corpus</em> textual para a análise lexical. No tratamento dos dados foi empregada uma combinação de abordagens quantitativas e qualitativas. Utilizou-se o <em>software</em> IRaMuTeQ como apoio às seguintes análises: lexicográfica, de nuvem de palavras, de similitude e de correspondência.</p> <p><strong>Resultados:</strong> As campanhas são úteis para demonstrar como os patrimônios eleitorais são administrados, e o meio adequado a esse fim é a prestação de contas. Há um conflito de interesses no relacionamento de agência analisado, isto é, entre cidadãos e governantes. É que, para o eleitorado, cabe aos seus representantes comprovar o cumprimento até mesmo das promessas, o que é justificável com base no princípio de que o povo detém o poder. Ocorre que, por lei, os agentes políticos só estão obrigados à escrituração das informações contábil-financeiras de campanha eleitoral. Outro indício da disparidade informacional é que os eleitores percebem uma carência de fidedignidade nos dados das próprias prestações de contas eleitorais. Contudo, o problema da qualidade das informações prestadas pode ser solucionado por meio da conservação de um ambiente político ético, da participação política permanente dos cidadãos e da atuação incisiva dos poderes e órgãos constitucionais.</p> <p><strong>Contribuições do estudo:</strong> Investiga como a prestação de contas eleitorais é enxergada pelos eleitores, que são alguns dos principais interessados na exatidão das informações contábil-financeiras. Define, portanto, um panorama baseado na visão desses usuários sobre o referido dever, considerado como um mecanismo necessário à representação política, mas ideal também à garantia do cumprimento do plano de governo. A assimetria informacional foi identificada no discurso dos participantes no momento em que eles pontuaram determinados problemas para os quais também indicaram possíveis soluções.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29132 Resenha do Livro: Perícia Contábil. Müller, A. N., Timi, S. R. R., & Heimoski, V. T. M. (2017). São Paulo, SP: Saraiva, 224 páginas, ISBN: 978-85-472-1977-2. 2022-06-08T14:50:47-03:00 Pablo Eduardo Nikolais Teixeira Bonifácio da Silva nikolais@outlook.com.br <div> <p>A presente resenha tem o objetivo de apresentar uma síntese das principais ideias e percepções expostas no livro de Aderbal Nicolas Müller, Sônia Regina Ribas Timi e Vanya Trevisan Marcon Heimoski, lançado no ano de 2017 pela editora Saraiva.</p> </div> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/24079 Recompensa ou fraude? Um olhar multiteórico sobre a pejotização 2021-07-15T16:11:33-03:00 Felipe Borges de Santana feelip-borges@hotmail.com Ivone Vieira Pereira ivoneprecisao@gmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> Este estudo se propôs a fazer uma investigação acerca do fenômeno da pejotização a partir da teoria do triângulo de Cressey e das recompensas internas e externas, buscando verificar se a pejotização pode ser identificada como artifício fraudulento a partir do Triângulo de Cressey e da teoria das recompensas.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> A metodologia empregada segue os preceitos de uma pesquisa com abordagem qualitativa, cuja coleta dos dados foi realizada por meio da técnica de questionários estruturados e, para a análise dos dados, aportou-se na técnica bardiniana da análise de conteúdo.</p> <p><strong>Resultados: </strong>Neste estudo, os resultados alcançados revelam que os participantes diagnosticaram a existência da pejotização e se enquadraram nessa realidade. E a linearidade da hipótese segue na assertividade das respostas nas quais o grupo que não percebeu recompensas é o mesmo grupo que considera a pejotização como uma fraude aos direitos trabalhistas, já o outro grupo não considerou a pejotização como fraude, pois priorizaram as recompensas concedidas, com a finalidade de maximizar seus próprios interesses.</p> <p><strong>Contribuições:</strong> A pesquisa consegue contribuir assertivamente ao Triângulo da fraude no que condiz à caracterização da pejotização quanto à fraude, adjunto do cumprimento dos vértices.&nbsp; No entanto, no caso da teoria das recompensas internas e externas, a caracterização da pejotização como fraude está paralela à proporcionalidade dada pelos sujeitos a essas recompensas, pois se os benefícios financeiros forem mais relevantes do que a moral para esses empregados, o autoconceito moral pesa mais para as recompensas, ignorando, dessa forma, a presença da fraude.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/23027 Percepções discentes sobre a influência de jogos educacionais na realização e motivação, um estudo baseado na Teoria do Fluxo 2021-08-11T20:23:52-03:00 Rafael Scuizato Telles rafael_telles@outlook.com Luana Santos Mateo luanasantosmateo@hotmail.com Joyce Menezes da Fonseca Tonin joycemftonin@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: O presente estudo teve como objetivo analisar a influência de jogos educacionais nas percepções de motivação e realização dos discentes de uma disciplina de Contabilidade e Análise de Custos de uma IES da região Sul do Brasil.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Aplicou-se um jogo seguido de um questionário a 32 (trinta e dois) estudantes. O jogo aplicado chama-se <em>Space Race</em>. O questionário baseou-se na Teoria do Fluxo com intuito de captar as percepções dos alunos quanto à experiência de fluxo vivenciada durante a aplicação do jogo. A Teoria do Fluxo analisa o estado mental caracterizado pela concentração e foco em uma atividade, tendo como consequência a realização e a motivação, baseando-se no equilíbrio entre habilidades e o desafio enfrentado. Os dados quantitativos foram tratados por meio de estatística descritiva e Teste de Kruskal-Wallis.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados evidenciaram que os alunos vivenciaram uma experiência de fluxo, sendo as dimensões Clareza do Objetivo e o <em>Feedback</em> as que mais contribuíram para esse resultado. Outros resultados foram que: i) o <em>Feedback</em> imediato motivou os alunos que estavam acertando as questões, porém frustrou os que estavam errando; ii) a competição oriunda do jogo gerou reações diversas de ansiedade a motivação nos alunos e; iii) problemas com a conexão com a internet durante a realização do jogo revelam uma barreira tecnológica.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: O estudo contribui ao: i) apresentar a Teoria do Fluxo e suas dimensões, ferramenta que pode ser utilizada para mensuração da motivação e realização discente; ii) analisar as percepções dos discentes diante da aplicação de um jogo educacional; iii) introduzir um jogo gratuito adequado ao contexto do ensino em contabilidade.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/24088 Análise da rotatividade de pessoal como um tipo de custo oculto em uma empresa do setor de vidros 2021-08-19T22:29:32-03:00 Marcos Igor da Costa Santos marcosigor2508@gmail.com Rayane Farias dos Santos rayane.farias10@hotmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: Analisar os impactos da rotatividade de pessoal como um tipo de custo oculto, em uma empresa do segmento vidraceiro localizada no município de João Pessoa/PB, no período de 2017 a 2019.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Foram aplicadas entrevistas com o gerente de Recursos Humanos e<em> Controller</em> da empresa, contemplando questões abertas sobre os custos referentes a rotatividade de pessoal. Além disso, foram analisados documentos financeiros como planilhas e controles internos, como também foram realizadas observações das atividades desenvolvidas na empresa. Todas as informações necessárias ao estudo foram levantadas durante os meses de janeiro e fevereiro de 2020.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados evidenciaram que o ano de 2018 apresentou os maiores custos ocultos com turnover (R$ 699.202,43), seguidos de 2019 (R$ 645.661,14) e 2017 (R$ 600.307,34), demonstrando a necessidade de que a empresa reconheça que a rotatividade significa um custo oculto e a carência de maior análise dos seus efeitos nos resultados empresariais, a fim de que seja realizado um melhor controle desse tipo de custo, considerando que foi revelado um percentual alto em relação ao Custo de Produtos Vendidos.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: A relevância do trabalho se apoia na necessidade de continuidade de estudos de forma a aprofundar conhecimentos e incentivar novas pesquisas sobre custos ocultos com rotatividade de pessoal, no sentido de trazer contribuições para a academia. Do ponto de vista social, ampara-se na importância de demonstrar o impacto que esses custos impactam a sobrevivência organizacional. E, por isso, os estudos dessa natureza promovem uma oportunidade para as empresas investigarem sobre a análise dos motivos e os reflexos financeiros da rotatividade de pessoal, além de verificar como isso impacta no orçamento empresarial e o que poderia ser feito para reduzir a rotatividade.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/25953 Percepção docente sobre a aplicabilidade do PBL no ensino contábil: desafios e limitações 2021-12-06T06:52:36-03:00 Maria Auxiliadora de Oliveira Morais auxiliadora.o.morais@gmail.com Hellen Bomfim Gomes hellenbomfim@hotmail.com Diogo Henrique Silva de Lima diogoh4@ufrnet.br Aneide Oliveira Araujo aneide@ufrnet.br Joana Darc Medeiros Martins joanadarc@ufrnet.br <p><strong>Objetivo</strong>: Analisar a percepção dos docentes de Ciências Contábeis das IES públicas a respeito da utilização da metodologia de aprendizagem baseada em problemas (PBL) no ensino contábil.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com unidade de análise composta por nove docentes de cursos de graduação em Ciências Contábeis de universidades públicas localizadas no Rio Grande do Norte. As informações obtidas nas entrevistas foram transcritas e, posteriormente, passaram por um processo de codificação, realizado com o auxílio do <em>software</em> ATLAS.ti®, possibilitando identificar as unidades de significados contidas no discurso dos entrevistados, permitindo a análise de conteúdo. Realizou-se uma triangulação de dados utilizando os planos de curso das disciplinas ministradas pelos entrevistados e as informações das entrevistas.&nbsp;</p> <p><strong>Resultados</strong>: Com base nos resultados obtidos por meio das entrevistas, foi constatado que os entrevistados consideram que o <em>problem-based learning</em> é um método aplicável ao ensino da Ciência Contábil, principalmente nas disciplinas julgadas como de cunho prático. Além disso, verificou-se que o papel do docente é fundamental para o sucesso da utilização dessa metodologia. No entanto, a análise dos planos de curso das disciplinas ministradas pelos entrevistados demonstrou que os métodos de ensino tradicionais ainda são preponderantes. Foi observado que a desmotivação dos discentes, a falta de conhecimento dos professores sobre o método PBL, a falta de interesse e incentivos para utilizar uma abordagem de aprendizagem baseada em problemas e aspectos institucionais são fatores que dificultam e limitam a utilização dessa intervenção pedagógica.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Os achados contribuem para a discussão acerca da implementação de metodologias ativas no ensino de contabilidade, especificamente o PBL, ao identificar aspectos que se apresentam como desafios que precisam ser observados e superados em sua utilização.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/26358 Ensino remoto em tempos de distanciamento social: um estudo nos cursos de ciências contábeis e ciências atuariais 2021-12-12T07:19:39-03:00 Maria Sueli Arnoud Fernandes sueliarnoud@gmail.com Thiago Alexandre das Neves Almeida thiagoalmeidapb@hotmail.com Henrique César Melo Ribeiro hcmribeiro@gmail.com <p><strong>Objetivo: </strong>Considerando as medidas de isolamento social, impostas para conter a disseminação do vírus <em>Sars-Cov-2</em>, causador da pandemia COVID-19, as aulas presenciais passaram a ser realizadas de forma remota. Essas medidas impactaram na Educação, principalmente por terem ocorrido de forma brusca, sem tempo sequer para preparação. O estudo se propõe a investigar como o ensino remoto está sendo desenvolvido nos Cursos de Ciências Contábeis e Ciências Atuariais, em uma Instituição de Ensino Superior Pública (IESP), em tempos de distanciamento social.</p> <p><strong>Metodologia: </strong>Foi realizada uma pesquisa tipo <em>e-survey</em> com os docentes e discentes para obter informações sobre o tema. Os dados coletados foram processados utilizando técnicas estatísticas para gerar resultados.</p> <p><strong>Resultados: </strong>Observou-se que a IES estudada não dispõe de recursos como Sala Invertida, Lousa Digital e outras ferramentas tecnológicas para auxiliar nas aulas remotas, uma vez que a modalidade “ensino remoto” se deu pela pandemia da COVID-19, que impediu os cursos de serem realizados presencialmente. A IES lançou programas de inclusão digital por meio de editais para aquisição de dados móveis e compra de equipamentos, como computadores/<em>smartphones</em>/<em>tablets</em> para os alunos, só que poucos alunos conseguiram esses recursos.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo: </strong>Esta pesquisa contribuiu com resultados em estado da arte, no tocante aos cursos de graduação ao investigar sua evolução para o ensino remoto. Tais contribuições puderam vislumbrar informações e conhecimentos sobre o referido tema para a literatura científica nacional e para alicerçar e nortear outros cursos de instituições públicas e/ou privadas.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/27300 Fatores contingenciais relacionados aos investimentos em pesquisa e desenvolvimento 2022-02-02T08:43:20-03:00 Vaine Maria Folle Mattiello vaine.matiello@unochapeco.edu.br Silvana Dalmutt Kruger silvanak@unochapeco.edu.br Antonio Zanin zanin.antonio@ufms.br Cristian Bau Dal Magro crisbau@unochapeco.edu.br <p><strong>Objetivo</strong>: O estudo tem por objetivo analisar os fatores contingenciais associados a decisões para investimentos em P&amp;D em empresas familiares e não-familiares.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: A pesquisa foi realizada por meio de levantamento, sendo a amostra composta por 47 empresas do ramo industrial localizadas nos Estados da região Sul do Brasil. Das 47 empresas respondentes, 26 são familiares e 21 são caracterizadas como empresas não-familiares. As empresas são observadas a partir das características contingenciais: (i) quanto ao tempo de atividade, (ii) quantidade de colaboradores e (iii) estrutura de gestão – se empresas familiares ou não-familiares, e como tais fatores se relacionam com os investimentos em P&amp;D. A análise foi realizada a partir das técnicas de estatísticas descritivas e de análise por meio do Teste Qui-Quadrado.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados evidenciam significância entre o tempo de atividade das empresas, o número de empregados e a estrutura de gestão, com a percepção de que os investimentos em P&amp;D são necessários para a continuidade dos negócios. Identificou-se que as empresas com maior número de empregados (acima de mil) possuem maior interesse nos investimentos em P&amp;D para a continuidade dos negócios. Empresas com tempo de atividade superior a 50 anos estão mais interessadas nos investimentos em P&amp;D como estratégia de competitividade. A pandemia Covid-19 não interferiu nos investimentos em P&amp;D na maioria das empresas da amostra. De forma geral, os resultados evidenciam que os fatores contingenciais relacionados à estrutura das organizações se relacionam com os investimentos em P&amp;D, tanto nas empresas familiares como nas não-familiares.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Os achados sugerem que as empresas familiares (de maior porte e com maior número de funcionários) tendem a investir em P&amp;D, tanto quanto as empresas não-familiares, visando se manterem competitivas. Tais resultados contribuem com reflexões e possibilidades de novos estudos acerca das especificidades das empresas familiares.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/26548 Accountability na contabilidade eleitoral: a perspectiva do eleitorado 2022-02-22T09:40:00-03:00 Fabrício Martins Cantanhede fabriciocantanhede@hotmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> O objetivo do trabalho é analisar os aspectos evidenciados pelos eleitores sobre o dever de prestação de contas eleitorais.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> Os dados foram coletados em Imperatriz/MA por aplicação de questionário <em>on-line</em>. Ao final, obtiveram-se 329 respostas, que compuseram o <em>corpus</em> textual para a análise lexical. No tratamento dos dados foi empregada uma combinação de abordagens quantitativas e qualitativas. Utilizou-se o <em>software</em> IRaMuTeQ como apoio às seguintes análises: lexicográfica, de nuvem de palavras, de similitude e de correspondência.</p> <p><strong>Resultados:</strong> As campanhas são úteis para demonstrar como os patrimônios eleitorais são administrados, e o meio adequado a esse fim é a prestação de contas. Há um conflito de interesses no relacionamento de agência analisado, isto é, entre cidadãos e governantes. É que, para o eleitorado, cabe aos seus representantes comprovar o cumprimento até mesmo das promessas, o que é justificável com base no princípio de que o povo detém o poder. Ocorre que, por lei, os agentes políticos só estão obrigados à escrituração das informações contábil-financeiras de campanha eleitoral. Outro indício da disparidade informacional é que os eleitores percebem uma carência de fidedignidade nos dados das próprias prestações de contas eleitorais. Contudo, o problema da qualidade das informações prestadas pode ser solucionado por meio da conservação de um ambiente político ético, da participação política permanente dos cidadãos e da atuação incisiva dos poderes e órgãos constitucionais.</p> <p><strong>Contribuições do estudo:</strong> Investiga como a prestação de contas eleitorais é enxergada pelos eleitores, que são alguns dos principais interessados na exatidão das informações contábil-financeiras. Define, portanto, um panorama baseado na visão desses usuários sobre o referido dever, considerado como um mecanismo necessário à representação política, mas ideal também à garantia do cumprimento do plano de governo. A assimetria informacional foi identificada no discurso dos participantes no momento em que eles pontuaram determinados problemas para os quais também indicaram possíveis soluções.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/27983 Perícia contábil: um panorama de seus profissionais e de suas atividades no Brasil 2022-03-07T08:57:10-03:00 Claudio de Souza Miranda csmiranda@gmail.com João Paulo Resende de Lima jp.resendelima@hotmail.com Mariana Titoto Marques marianatitoto@gmail.com Guilherme Luiz Bertoni Pontes glbpontes@gmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> O presente estudo visa apresentar um panorama do perfil dos profissionais de perícia contábil no Brasil e de suas atividades.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> Foi desenvolvida uma pesquisa de levantamento (survey) com 556 peritos cujos dados foram obtidos por meio do Cadastro Nacional de Peritos (CNPC), de todas regiões do Brasil. A pesquisa teve enfoque quali-quanti, ao analisar os dados do questionário, bem como as declarações efetudas pelos profissionais.</p> <p><strong>Resultados:</strong> O perito contador brasileiro atua, principalmente de forma individual principalmente na esfera judicial, e de forma concentrada nas áreas Financeira, Contábil e Trabalhista. Mais da metade dos profissionais, não tem a perícia como sua atividade profissional principal, e esta é a principal fatia de profissionais que não está satisfeita com os rendimentos que a atividade proporciona. A atuação profissional se da principalmente por meio perícias judiciais e de apuração de cálculos, principalmente em perícias financeiras, contábeis e trabalhistas. Entre os principais problemas enfrentados pelos peritos está a falta de apoio dos conselhos de classe para o desenvolvimento e defesa da atividade e a dificuldade de compreensão do processo de nomeação dos peritos, que não foi resolvida com a implantação do CNPC. Os peritos, de maneira geral, acreditam que a atividade é pouco valorizada nas universidades, e que os estudantes aprendem pouco sobre ela no curso de graduação.</p> <p><strong>Contribuições do estudo:</strong> Os resultados contribuem para a literatura visto não haver estudos que avaliem de forma ampla a profissão de perito contador no Brasil, tanto no contexto de seu perfil quanto de suas atividades. E no que se refere ao aspecto prático, os dados do estudo fornecem subsídios para que órgãos de classe, associações e o sistema judiciário possam melhorar aspectos do trabalho e da valorização do períto no Brasil.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/23254 Ativo não circulante mantido para venda e operações descontinuadas: uma análise no nível de evidenciação e nas características das companhias de capital aberto brasileiras 2021-08-12T07:48:58-03:00 Andressa Fernanda da Silva andressafsf@hotmail.com Maíra Melo de Souza mairameloufsc@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: O objetivo desta pesquisa é analisar o nível de evidenciação e as características das companhias de capital aberto brasileiras em relação aos ativos não circulantes mantidos para venda e operações descontinuadas.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Para analisar o nível de evidenciação, elaborou-se uma lista de verificação com base no CPC 31 (2009). Este estudo se enquadra como documental, tendo em vista que foram analisadas as Notas Explicativas, o Balanço Patrimonial (BP) e a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) das empresas componentes da amostra. A abordagem do problema foi qualitativa. A amostra é constituída por todas as companhias da Brasil, Bolsa, Balcão (B3) que apresentaram ativos não circulantes mantidos para venda (ANCMV) e/ou operações descontinuadas (OD) no ano de 2018, o que corresponde a 67 empresas divididas em 10 setores de atuação. As características analisadas foram: setor de atuação, governança corporativa, rentabilidade, empresa de auditoria, e se negociam ações na <em>New York Stock Exchange</em> (NYSE).</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados sugerem que as companhias que se enquadram no Novo Mercado, possuem rentabilidade negativa e negociam ações na NYSE tendem, em média, a realizar um maior nível de evidenciação dos ANCMV e OD. Os setores que apresentaram maior concentração dos ANCMV e OD foram o de Bens Industriais e Consumo Cíclico, ambos compostos por 16 empresas das 67 da amostra. A natureza do ANCMV que mais se destacou foram as controladas, com representatividade de 49%. Observou-se que as empresas ainda precisam melhorar quanto a evidenciação, pois a média da amostra foi de 44%.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: A realização da presente investigação contribui no sentido que a prática contábil pertinente aos ANCMV e OD é relativamente recente no Brasil e muitos acadêmicos ainda podem ter dúvidas sobre o tema, considerando que o pronunciamento contábil CPC 31 trouxe novos procedimentos de evidenciação. Nesse sentido, esta pesquisa contribui no sentido de apresentar a maneira como as companhias de capital aberto brasileiras estão evidenciando os ANCMV e das OD num contexto atualizado, demonstrando que elas precisam melhorar o nível das informações divulgadas para atender plenamente o CPC 31.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/22615 Influência dos níveis operacionais de governança corporativa no gerenciamento de resultado em empresas listadas na B3 2021-08-18T15:54:51-03:00 Pedro Junior Oliveira Trocz pedrojunior94@yahoo.com Aládio Zanchet aladio.unioeste@gmail.com Denis Dall Asta denis.asta@unioeste.br Clóvis Fiirst cfiirst@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: Analisar a influência dos níveis operacionais de governança corporativa no gerenciamento de resultado em empresas listadas na B3.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Foi adotada uma pesquisa descritiva com procedimento documental e abordagem quantitativa. A amostra foi composta de 207 empresas listadas na B3 que estão classificadas nos níveis operacionais de governança corporativa. Os dados foram coletados através da Economática® no período de 2013 a 2018 e, posteriormente, foi empregado o modelo desenvolvido por Kang e Sivaramakrishnan (1995). Para estimar o gerenciamento de resultado foram utilizados os softwares SPSS, LhStat e Excel.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados mostram que no aspecto de gerenciamento de resultado não há uma tendência ou uma linha evolutiva que os segmentos que exigem maiores padrões de governança corporativa, as empresas tenham escolhas contábeis de gerenciar menos resultado, ou, que nos segmentos com menores exigências de governança corporativa, as empresas tenham escolhas contábeis de gerenciar mais resultado. Afinal, os níveis operacionais que possuem os melhores conceitos de governança corporativa não influenciam negativamente na prática de gerenciamento de resultado, bem como, os níveis operacionais que não dispõem dos melhores conceitos, não influenciam positivamente na prática de gerenciamento de resultado.</p> <p><strong>Contribuições do estudo</strong>: O estudo trouxe contribuições para o âmbito corporativo, ao abordar a relevância da governança como mecanismo de transparência na prestação de contas das companhias no aspecto de gerenciamento de resultado. Isso possibilita aos usuários inferirem sobre a qualidade da informação contábil divulgada pela B3. Do mesmo modo, contribuições no âmbito acadêmico ao analisar as escolhas contábeis diretamente das demonstrações contábeis das empresas, ocasionando aproximação da teoria discutida na academia com a realidade das organizações.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/24241 Excesso de confiança e honorários de auditoria: o conselho fiscal exerce influência nessa relação? 2021-09-02T20:15:47-03:00 Jorge Luiz De Santana Júnior santanajr.prof@gmail.com Thiago Rios Sena thiagoriossena@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: Esse estudo tem como objetivo investigar o papel do conselho fiscal enquanto mecanismo capaz de alterar a capacidade do gestor de influenciar os custos de auditoria.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> Foram analisadas 231 observações de empresas abertas que negociaram suas ações na [B]³ no ano de 2017. Para investigar a relação objeto desse estudo, realizou-se análise por meio de regressão linear múltipla com estimador MQO.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Na amostra analisada, foi identificado que o excesso de confiança dos gestores aumenta os custos de auditoria, sendo consistente com o argumento de que o excesso de confiança dos gestores pode elevar o risco de erro material. Contudo, possivelmente em função de características do ambiente emergente ou diferentes níveis de eficiência do conselho fiscal, não foi possível confirmar a hipótese de que o conselho fiscal exerce influência significativa na relação entre o excesso de confiança do gestor e os custos de auditoria.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo:</strong> No campo empírico, essa pesquisa fornece subsídios para investidores e reguladores no tocante a atuação dos mecanismos de governança - mais especificamente o conselho fiscal - na relação entre o auditor e o cliente. Sob a perspectiva teórica, acrescenta-se a literatura contábil ao preencher lacuna existente acerca das consequências dos vieses comportamentais dos gestores no custo de auditoria sob a moderação do conselho fiscal.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/25894 A relação entre as informações contábeis e o desempenho das operadoras de saúde suplementar 2021-10-17T08:06:20-03:00 Rudolph Fabiano Alves Pedroza Teixeira rudolphteixeira@gmail.com Marcelo Álvaro da Silva Macedo malvaro@facc.ufrj.br Odilanei Morais dos Santos profodilanei@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: Analisar a relação entre as informações contábeis e o desempenho das operadoras de saúde suplementar (OPS), com base em indicadores econômico-financeiros. Para tanto, foram avaliados indicadores operacionais, de liquidez, rentabilidade, estrutura de capital, além da influência exercida pelo tamanho e o tipo de operadora sobre a pontuação do Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS), que é uma <em>proxy</em> para o desempenho das OPS.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Primeiramente foi realizada uma Análise Fatorial em 18 indicadores econômico-financeiros de 568 OPS, que resultaram em cinco fatores (operacional, liquidez, rentabilidade, estrutura de capital e tamanho). Por fim, foi elaborado um modelo em que se aplicou regressões por Mínimos Quadrados Ordinários (MQO) e TOBIT para explicar o IDSS, como função dos cinco fatores calculados mais quatro variáveis <em>dummies</em> para os tipos de OPS.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados mostraram que os dados e indicadores econômico-financeiros das OPS são relevantes em conjunto para explicar o IDSS, indicando que a informação contábil possui capacidade de retratar aspectos do setor de saúde suplementar, que vão além da dimensão puramente financeira.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: O estudo contribui com a literatura ao trazer fortes indícios de que as informações contábeis das OPS são importantes para explicar parcela do ambiente econômico da saúde suplementar, superando em mais de duas vezes seu próprio conteúdo informacional contido no IDSS, o que evidencia a utilidade e a relevância de tais informações para os usuários das OPS.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/25998 VaR histórico como ferramenta de avaliação da diversificação de fundo de ações 2021-10-23T17:03:29-03:00 Victor Amancio de Oliveira victor-amancio@hotmail.com Rafael Moreira Antônio rafaelmantonio@gmail.com Rafael Confetti Gatsios rafaelgatsios@hotmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: o objetivo do presente estudo e? avaliar a potencial perda máxima em carteiras de investimentos mais concentradas e carteiras mais diversificadas utilizando como ferramenta para o controle e gerenciamento do risco de mercado, o cálculo do VaR. Para isso, o estudo se propôs a responder a seguinte questão de pesquisa: “Os fundos de ações mais diversificados apresentam menor risco?”.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: o modelo de simulação histórica foi aplicado, considerando sete carteiras de fundos de investimentos em ações (FIAs) e 493 retornos diários, sob o nível de confiança de 95%.</p> <p><strong>Resultados</strong>: os resultados indicaram que a perda máxima esperada é superior em carteiras mais concentradas. Portanto, a estratégia de diversificação auxiliou na redução do risco e é um instrumento importante a ser considerado em um portfólio de ações.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: a contribuição central do estudo é a de fornecer subsídios para investidores e gestores de recursos ao passo em que traz uma simulação e uma aplicação prática do VaR na análise da diversificação das carteiras dos fundos de investimentos em ações.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/26094 Remuneração dos executivos e os desempenhos econômico-financeiro e socioambiental das empresas do IBRX-50 2021-11-21T19:51:52-03:00 Aline de Araújo dos Santos Ramos aline.raamos@hotmail.com Janaína da Silva Ferreira janix_17@msn.com Alessanderson Jacó de Carvalho alessanderson.carvalho@hotmail.com Lucas Martins Dias Maragno ucasmaragno@facc.ufrj.br <p><strong>Objetivo: </strong>Este estudo objetivou analisar as relações entre a remuneração dos executivos e os desempenhos econômico-financeiro e socioambiental das empresas brasileiras de capital aberto.</p> <p><strong>Metodologia: </strong>A amostra do estudo compreende as empresas do Índice Brasil 50 (IBrX-50), carteira de maio a agosto de 2020. Após exclusões a amostra final da pesquisa compõe 34 empresas, um total de 68 observações e o período de análise de 2018 a 2019. Os dados foram coletados manualmente no item 13 do Formulário de Referência e no <em>website</em> de cada empresa. Para a análise dos dados utilizou-se de técnicas estatísticas, como descritivas, correlações e regressões lineares múltiplas.</p> <p><strong>Resultados: </strong>No modelo 1 as variáveis Retorno sobre Patrimônio Líquido (ROE) e Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) apresentaram relações significativas e negativas com a Remuneração Total Média (RTM), indicando que quanto maior o ROE das empresas, menor é a RTM. Também, a variável Endividamento (ENDIV) apresentou uma relação significativa e positiva, onde quanto maior o ENDIV da empresa, maior é a RTM. Para o modelo 2 de Remuneração Fixa (RF), o ROE também apresentou relação significativa e negativa. As variáveis Lucro por Ação (LPA) e ENDIV apresentaram uma relação significativa e positiva, indicando que maiores valores nessas variáveis irão aumentar a RF dada aos executivos.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo: </strong>Este estudo contribui para literatura sobre remuneração e desempenho ao acrescentar variáveis socioambientais ao arcabouço teórico e prático por meio da interconexão da remuneração dos executivos. Assim, foi possível compreender novas relações entre os fatores econômico-financeiros tradicionais e socioambientais, ao mesmo tempo que, a boa comunicação e as boas práticas de governança com os <em>stakeholders</em> apresentam resultados positivos para a organização.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/25930 Provisão de perdas e gerenciamento de resultados em instituições financeiras: uma análise a partir dos maiores bancos brasileiros 2021-12-01T20:43:31-03:00 Emerson Silva Mazulo emersonmazulo@yahoo.com.br Renielly Nascimento Iara renyelly@gmail.com Paulo Augusto Pettenuzzo de Britto pbritto@unb.br <p><strong>Objetivo</strong>: O artigo tem por objetivo analisar a prática de gerenciamento de resultados (GR) nos cinco maiores bancos brasileiros a partir do registro dos valores para provisão de perdas para créditos de liquidação duvidosa (PCLD) em suas demonstrações patrimoniais.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: A metodologia empregada neste estudo reconhece (i) que o GR pode decorrer tanto de registros contábeis discricionários e como de decisões reais das empresas e (ii) que, no caso de instituições financeiras, a apuração e o registro das PCLD não obedecem a uma regra detalhada, mas a princípios gerais. A partir deste reconhecimento, utiliza de uma amostra composta pelos cinco maiores bancos com atuação no mercado brasileiro, no período de 2004-2019, com dados trimestrais, para a estimação de diferentes especificações em painel de forma a testar como o retorno, o tamanho e o uso de derivativos financeiros afetam o GR.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados da pesquisa sugerem, a partir da identificação do modelo de efeitos aleatórios, que o retorno e o uso de derivativos exercem influência inversamente proporcional, e que o tamanho exerce influência proporcional, sobre a PCLD, corroborando a tese do uso da PCLD como instrumento para o gerenciamento de resultados por parte dos maiores bancos brasileiros.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: A contribuição geral deste estudo para com a literatura está na discussão sobre o das PCLD como medida de gerenciamento de resultados por decisões reais e de registros discricionários nas demonstrações patrimoniais discricionárias; o estudo também contribui para um melhor entendimento acerca das decisões de gerenciamento de resultados em instituições financeiras brasileiras de grande porte.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/24672 Responsabilidade social corporativa e o ciclo de vida das empresas brasileiras 2021-12-03T13:43:17-03:00 Maria Macileya Azevedo Freire macileya@hotmail.com Priscila de Azevedo Prudêncio priscilaprudencio.ufc@gmail.com Jane Elly Nunes da Costa Lima jane_elly@hotmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> Analisar a influência do ciclo de vida organizacional no desempenho em Responsabilidade Social Corporativa de empresas brasileiras.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> Foram estudadas as organizações que estão listadas na B3 e apresentam informações no banco de dados da CSRHub e do Economatica<sup>®</sup>, no período de 2014 a 2018. A análise dos dados se deu por meio de estatística descritiva e regressão linear múltipla.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Os resultados da pesquisa indicam que o estágio de vida turbulência influencia negativamente as ações de RSC. Enquanto os estágios de nascimento, crescimento, maturidade e declínio não foram estatisticamente significantes. O estágio de turbulência representa um momento difícil para a empresa, marcado pela diminuição de vendas e lucratividade, tal fato pode comprometer os recursos disponíveis para financiar os investimentos em RSC.</p> <p><strong>Contribuições do estudo:</strong> A discursão e resultados do estudo avançam no conhecimento de quais fatores antecedentes, como o ciclo de vida das empresas, são capazes de influenciar o engajamento das empresas em RSC. Além disso, a relação entre RSC e o ciclo de vida ainda é pouco explorada na literatura brasileira, o estudo desse relacionamento pode trazer relevantes contribuições ao apresentar o modo que as empresas se comportam diante de restrições de recursos.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/24355 A relação entre a aderência dos relatos integrados ao framework do IIRC e o desempenho econômico 2022-02-14T19:46:10-03:00 Gabriel Romão gromao@id.uff.br Cíntia de Melo de Albuquerque Ribeiro cintiaalbuquerque@id.uff.br Julio Vieira Neto julion@id.uff.br <p><strong>Objetivo</strong>: Analisar a aderência dos Relatos Integrados (RIs) de uma amostra composta por três empresas brasileiras ao <em>Framework</em> do IIRC (<em>International Integrated Reporting Council</em>) e compreender a contribuição do nível de qualidade desses relatórios para o desempenho econômico das empresas adotantes.</p> <p><strong>Metodologia: </strong>As empresas foram selecionadas no banco de dados do IIRC. Utilizando como referência o método apresentado por Kiliç e Kuzey (2018), foi adaptado um modelo de ID (Índice de Divulgação), através da técnica de análise de conteúdo, para mensurar o nível de aderência dos Relatos ao <em>Framework</em>.&nbsp; Após o cálculo dos IDs, foram analisados o Coeficiente de Variação (CV) de índices de liquidez e solvência das empresas e o desempenho macroeconômico do período pesquisado, objetivando constatar se os RIs aderentes ao <em>Framework</em> estão associados ao desempenho econômico das empresas.</p> <p><strong>Resultados: </strong>Os resultados da análise apontam que não é possível afirmar que elevados níveis de aderência ao <em>Framework</em> estão associados ao desempenho econômico das empresas, haja vista que o cálculo do CV dos índices financeiros, durante o período de publicações dos RIs, não apresenta uma dispersão menor quando comparados ao período anterior a tais publicações</p> <p><strong>Contribuição do estudo: </strong>As pesquisas recentes a respeito do tema Relato Integrado não apresentam uma relação entre a aderência das publicações ao <em>Framework</em> do IIRC e o desempenho econômico de empresas brasileiras. Desse modo, este estudo demonstra-se relevante ao pesquisar o conteúdo dos Relatos Integrados publicados por empresas brasileiras e o relacionamento dessas informações com o desempenho econômico, verificando se os Relatos Integrados cumprem a promessa de entregar benefícios econômicos aos adotantes do modelo.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/26971 Processos julgados pela CVM: análise das principais infrações cometidas por auditores independentes 2022-03-21T21:11:03-03:00 Patricia Kortz patricia.kortz@universo.univates.br Adriano José Azeredo adrianoj@univates.br <p><strong>Objetivo: </strong>O objetivo deste artigo é analisar as principais infrações cometidas por auditores independentes na esfera da Comissão de Valores Mobiliários no período de 2010 a 2020.</p> <p><strong>Metodologia: </strong>O estudo caracteriza-se como descritivo e documental com abordagem quali-quantitativa. Utilizou-se das informações de processos administrativos sancionadores julgados pela CVM no período de 2010 a 2020 para identificar características como o perfil dos acusados e as penalidades aplicadas, as quais foram submetidas a análise de correlação para verificar se há alguma relação direta dessas variáveis com as infrações cometidas.</p> <p><strong>Resultados: </strong>O estudo aponta que entre as infrações mais recorrentes estão “Ausência de planejamento e procedimentos de auditoria que acarretam em divergências no relatório do auditor independente” e “Irregularidades no Programa de Revisão Externa de Qualidade”, as quais representam 39,47% e 34,21% da amostra analisada, respectivamente. Na análise de correlação, identificou-se que a ocorrência da infração “b” está vinculada com os acusados “reincidentes” e com a penalidade “suspensão temporária”. Além disso, evidenciou-se que o aumento de acusados “reincidentes” está ligado principalmente ao aumento de acusados classificados como “não<em> Big Four</em>”.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo: </strong>Os resultados do estudo evidenciam aos usuários das demonstrações financeiras a motivação da abertura de processos contra auditores independentes junto à CVM e quais as infrações por eles cometidas com o intuito de contribuir para a melhoria do cumprimento das normas e procedimentos de auditoria pela revelação das infrações mais recorrentes sob três metodologias e períodos diferentes. Apresenta ainda o grau de correlação existente entre a infração cometida, o perfil dos acusados (segregando Big Four e não Big Four) e a penalidade aplicada.&nbsp;</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/27315 Value relevance do novo resultado operacional: avaliação do exposure draft 2019/07 2022-03-24T17:14:09-03:00 Rummenigue Farias Lima rummenigue@gmail.com Luiz Ricardo da Costa lricardo.costa@hotmail.com Jomar Miranda Rodrigues jomar@unb.br <p><strong>Objetivo: </strong>Analisar o <em>value relevance</em> do Novo Resultado Operacional proposto pelo ED/2019/07 nas empresas brasileiras em relação às medidas <em>gaap</em> e não-<em>gaap</em>, avaliando a relevância do novo resultado operacional associado ao valor de mercado das empresas.</p> <p><strong>Metodologia: </strong>Utilizou-se dados econômico-financeiros, disponíveis na Economatica, de 149 empresas de 9 setores econômicos da B3, que detinham as informações anuais necessárias para a realização do estudo no período de 2010 a 2019. Para análise dos dados utilizou-se de um <em>restatement</em> da atual demonstração de resultado, para avaliar o novo resultado operacional disposto no <em>Exposure Draft</em>. Para avaliação do <em>value relevance</em> foi utilizado o modelo de Ohlson (1995), que permite avaliar o poder explicativo do R<sup>2</sup> da regressão.</p> <p><strong>Resultados: </strong>Os resultados das análises sugerem que, para as empresas analisadas, o <em>value relevance</em> do Novo Resultado Operacional (R<sup>2</sup>=0.4439) é superior ao EBITDA (R<sup>2</sup> = 0.4321), seguido pelo Lucro Líquido (R<sup>2</sup> = 0.4094). Tais resultados evidenciam que o Novo Resultado Operacional possui maior poder explicativo para o valor de mercado das empresas. Neste sentido, os resultados corroboram com as conclusões de Barton et al. (2010) em que o Resultado Operacional e o EBITDA possuem maior <em>value relevance</em> que a medida <em>gaap</em> e, consequentemente, maior associação com os retornos das ações.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo: </strong>O estudo traz evidências empíricas sobre os possíveis impactos da nova demonstração do resultado, com implicações práticas, e de como a alteração na forma de apresentação da demonstração de resultado pode impactar na previsibilidade das ações. No âmbito social, por tratar-se de uma futura norma que, ao que tudo indica, será implementada nos próximos anos, a presente pesquisa pode contribuir com profissionais contábeis, auditores e órgãos normativos no entendimento dos benefícios e impactos das alterações propostas.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/27694 Análise da estrutura de capital e heterogeneidade das dívidas das empresas de capital aberto do setor industrial e do agronegócio 2022-03-24T15:43:54-03:00 Antonio Flávio Quintanilha Marongio afqmarongio@gmail.com Vinícius Medeiros Magnani vinicius_magnani@hotmail.com Rafael Confetti Gatsios rafaelgatsios@hotmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: O crédito subsidiado fornecido pelo governo brasileiro a alguns setores da economia, nos últimos anos, por meio de linhas de financiamento, tais como FINAME, FIDIC, do BNDES, pode ter determinado uma redução dos custos da estrutura de capital. Assim, a proposta deste trabalho é comparar o custo do crédito subsidiado e não-subsidiado das empresas de capital aberto de dois importantes setores econômicos, o setor industrial e de setores relacionados ao agronegócio.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Informações referentes às fontes de financiamento, montante do financiamento, moeda e taxas de juros foram coletados das Notas Explicativas das demonstrações financeiras de 84 empresas de capital aberto e utilizadas para calcular o custo médio ponderado de capital das fontes de financiamento com taxas subsidiadas e não subsidiadas.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados apontam que os empréstimos com taxas subsidiadas apresentam uma grande variabilidade na participação de empréstimos com taxas subsidiadas na composição de financiamento das empresas, porém apresentando, em média, um baixo percentual na composição do endividamento, e ainda, que as taxas efetivas médias de empréstimos subsidiados pode ser maior que as taxas efetivas médias dos empréstimos não subsidiados sugerindo que os créditos subsidiados na proporção em que tem sido utilizados para compor o financiamento, podem não exercer um papel relevante na redução dos custos da estrutura de capital das empresas.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Este trabalho colabora com a identificação de fatores relevantes que explicam a forma como as empresas determinam sua estrutura de capital, fornecendo aos administradores indicações sobre que fatores são preponderantes no desempenho prático da política de estrutura de capital das empresas. Este trabalho contribui com a literatura com a evidenciação da participação dos tipos de crédito e dos setores na determinação da estrutura de capital apresentando os resultados sobre o custo de capital das empresas.</p> 2022-07-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036