REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 https://periodicos.ufrn.br/ambiente <p style="margin: 0px; min-height: 50px; max-height: 125px; overflow: hidden; text-overflow: ellipsis;"><strong>Scope:</strong> A Revista Ambiente Contábil (<strong>Ambiente</strong>), criada em 2008 (1ª edição em abril de 2009), é um periódico que tem como base o Departamento de Ciências Contábeis (DCC) da UFRN e constitui-se como um dos veículos de divulgação do Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis (PPGCC).&nbsp;</p> <p style="margin: 0px; text-align: left;"><strong>Área do conhecimento</strong>: Ciências Contábeis <strong>Qualis/CAPES</strong>: B3 <strong>e-ISSN</strong>: 2176-9036&nbsp; <strong>Contato</strong>: <a title="E-mail" href="mailto:prof.mauriciocsilva@gmail.com" target="_blank" rel="noopener">prof.mauriciocsilva@gmail.com</a></p> Portal de Periódicos Eletrônicos da UFRN pt-BR REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 2176-9036 <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:&nbsp;</p> <p>Os autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença <em>Creative Comomns Attribution</em> que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Os autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Os autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado.</p> <p>A <strong>Revista Ambiente Contábil</strong> utiliza uma licença Creative Commons CC-BY-NC-ND (Atribuição-NãoComercial – SemDerivações 4.0). Isso significa que os artigos podem ser compartilhados e que a <strong>Revista Ambiente Contábil</strong> não pode revogar estes direitos desde que se respeitem os termos da licença:</p> <p>Atribuição: Deve-se dar o crédito apropriado, prover um link para a licença e indicar se mudanças foram feitas.</p> <p>Não Comercial: Não se pode usar o material para fins comerciais.</p> <p>Sem Derivações: Se for remixar, transformar ou criar a partir do material, não se pode distribuir o material modificado.</p> <p>&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license"><img src="https://i.creativecommons.org/l/by-nc-nd/4.0/88x31.png" alt="Licença Creative Commons"></a><br><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license">Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional</a></p> Editorial – Revista Ambiente Contábil – Volume 12 – Número 2 – Ano 2020 (Jul./Dez 2020) https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/21596 <p>Editorial – Revista Ambiente Contábil – Volume 12 – Número 2 – Ano 2020 (Jul./Dez 2020)</p> <p>A Revista Ambiente Contábil (Ambiente) apresenta na sua 24ª edição 15 (quinze) artigos que tratam de assuntos relevantes para a área contábil; 01 (um) caso de ensino; 01 (uma) resenha de livro, 01 (um) banco de dados brutos de pesquisa e 09 (nove) artigos no idioma inglês.</p> <p><strong>Seção 1: Contabilidade Aplicada ao Setor Empresarial</strong></p> <p><strong>Artigo 1</strong> - <strong>Análise do <em>disclosure</em> das provisões e dos passivos contingentes: um estudo de caso das empresas aéreas listadas na B3 em relação aderência ao CPC 25 </strong>de Renata Bissi de Oliveira, Augusto César Oliveira Camelo, Franciele do Prado Daciê e Marcielle Anzilago com o objetivo de analisar o <em>disclosure</em> nas demonstrações financeiras das empresas Azul Linhas Aéreas Brasileiras S. A., Gol Linhas Aéreas Inteligentes S. A. e Latam Airlines Group S. A. a partir do enfoque teórico e normativo do CPC 25, no período de 2013 a 2018.</p> <p><strong>Artigo 2 - Avaliação comparativa, por país, da situação econômico-financeira de bancos islâmicos</strong> de Tariq Jarbou e Jorge Katsumi Niyama com o objetivo de promover uma avaliação comparativa por país da situação econômico-financeira de bancos islâmicos.</p> <p><strong>Artigo 3</strong> - <strong>Uma análise da adesão de organizações brasileiras à GRI como método de divulgação de informações de responsabilidade social corporativa</strong> de Vicente Lima Crisóstomo, Hyane Correia Forte e Priscila de Azevedo Prudêncio com o objetivo de analisar a evolução da adesão à GRI e a qualidade dos relatórios de RSC divulgados por organizações brasileiras.</p> <p><strong>Artigo 4</strong> - <strong>Distribuição dos profissionais de contabilidade nas microrregiões brasileiras: uma análise econométrica-espacial </strong>de Francine Aparecida dos Santos Zenatta e Willian Boschetti Adamczyk com o objetivo de identificar os fatores socioeconômicos que influenciam a distribuição espacial dos profissionais de contabilidade nas microrregiões brasileiras.</p> <p><strong>Artigo 5 - Retorno dos bancos públicos federais <em>versus</em> custo de oportunidade dos recursos investidos pelo Tesouro Nacional</strong> de Cristiano Rocha Campos, José Alves Dantas e Carlos André de Melo Alves com o objetivo de avaliar se os retornos auferidos pelos bancos públicos federais remuneram o Tesouro Nacional em proporção suficiente ou não para cobrir o custo de oportunidade do capital investido pelo governo Federal, definida como a taxa básica de juros da economia, a Selic.</p> <p><strong>Artigo 6 - Determinantes do reconhecimento da perda pelo <em>impaiment test</em></strong> de Karla Roberta Castro Pinheiro Alves e César Augusto Tibúrcio Silva com o objetivo de verificar quais determinantes influenciam no reconhecimento da perda por <em>Impairment Test (IT) </em>nas empresas brasileiras listadas na B3.</p> <p><strong>Seção 2: Contabilidade Aplicada ao Setor Público e ao Terceiro Setor</strong></p> <p><strong>Artigo 1 -</strong> <strong>Diamante da fraude: evidências empíricas nos relatórios de demandas externas do Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União (CGU) dos municípios brasileiros</strong> de Ana Luiza Pedrosa Paschoal, Nálbia de Araújo Santos e Walmer Faroni com o objetivo de identificar o perfil das evidências encontradas pelos auditores e das justificativas manifestadas pelo gestor classificadas com base na estrutura conceitual do Diamante da Fraude.</p> <p><strong>Artigo 2</strong> - <strong>Transparência da prestação de contas dos gastos públicos nos governos municipais: um estudo de caso no Estado de Goiás</strong> de Celma Duque Ferreira, Gilberto Crispim da Silva, Fabrícia Silva da Rosa e Luiz Alberton com o objetivo de identificar os municípios goianos que cumprem os dispositivos legais da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), quanto a transparência das prestações de contas da gestão pública no período de janeiro de 2010 a dezembro de 2018.</p> <p><strong>Artigo 3</strong> - <strong>Comportamento das despesas orçamentárias durante o período eleitoral: uma análise em painel de dados nos municípios brasileiros</strong> de Gilberto Crispim da Silva, Luiz Alberton, Celma Duque Ferreira e Jorge Expedito de Gusmão Lopes com o objetivo de investigar o comportamento das despesas empenhadas, dos gastos com investimentos e captação de empréstimos em período eleitoral, nos municípios brasileiros com população igual ou superior a 50 mil habitantes, no período de 2000-2016, compreendendo 353 <em>clusters</em> e 6001 observações. Investigou-se também se esses municípios cumprem as exigências legais sobre o uso de recursos orçamentários em ano de eleição.</p> <p><strong>Artigo 4</strong><strong> - O gasto e as fontes do financiamento do SUS nos municípios brasileiros de 2003 a 2018 </strong>de Jaime Crozatti, Albires Ferreira de Lima Junior, Leandro Nascimento Lima, Luana Lima de Oliveira e Patricia Righetto com o objetivo de identificar e descrever as fontes de financiamento da função saúde e os gastos empenhados na atenção básica e na atenção hospitalar dos municípios brasileiros no período de 2003 a 2018.</p> <p><strong>Artigo 5</strong> - <strong>Gestão pública e transparente à luz da lei de responsabilidade fiscal: uma análise nos municípios da região CRAJUBAR no período de 2012 a 2015</strong> de Antônio Rafael Valério de Oliveira, Bruno Rodrigues Cabral e Milton Jarbas Rodrigues Chagas com o objetivo de verificar nos portais eletrônicos dos municípios do Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha (CRAJUBAR), as informações divulgadas acerca da gestão pública em atendimento à lei de responsabilidade fiscal, lei complementar 131/2009 e ao Decreto nº 7185/2010.</p> <p><strong>Artigo 6 - Evidenciação contábil dos recursos auferidos pelas OSCIPs do nordeste brasileiro: um enfoque nas subvenções e assistências governamentais </strong>de Milton Jarbas Rodrigues Chagas, Danival Sousa Cavalcante, Silvana Karina de Melo Travassos, Suelem Katherinne de Macedo Pinto e Polyandra Zampiere Pessoa da Silva com o objetivo de analisar o nível de evidenciação das principais fontes de recursos das Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs) situadas na região Nordeste do Brasil, enfocando as subvenções e assistências governamentais, uma vez que estas devem seguir normas, tais como o pronunciamento CPC 07 (R1) e a norma contábil NBC TG 07 (R2).</p> <p><strong>Seção 3: Pesquisas de Campo sobre Contabilidade (<em>Survey</em>)</strong></p> <p><strong>Artigo 1</strong> - <strong>Expectativa dos concluintes de ciências contábeis em relação ao mercado de trabalho</strong> de Glauciane Costa Silva e de Cleber Augusto Pereira com o objetivo de verificar as expectativas dos alunos concluintes de uma universidade pública no sudoeste do Maranhão em relação ao mercado de trabalho, suas visões sobre as exigências do mercado, as habilidades e as competências exigidas na atuação profissional.</p> <p><strong>Artigo 2</strong> - <strong>Tratamento e análise de resíduos da produção de açaí: um estudo sob a ótica da ecoeficiência</strong> de Márcia Athayde Moreira e Ana Lidia Ferreira de Sousa com o objetivo de levantar junto aos estabelecimentos de venda de açaí da Região Metropolitana de Belém – PA (RMB), qual tratamento está sendo designado aos resíduos (caroços de açaí), tendo como parâmetros de análise o ponto de vista contábil e o socioambiental, sob a ótica da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), dentro de um contexto de ecoeficiência.</p> <p><strong>Artigo 3</strong> - <strong>Influência das características do decisor sobre os vieses da heurística da representatividade</strong> de Adriano Massa Fernandes, Darci Schnorrenberger e Rodrigo Rengel com o objetivo de verificar a influência das características demográficas na presença da heurística da representatividade e seus vieses na tomada de decisões.</p> <p><strong>Seção 4: Casos de Ensino Aplicados a Contabilidade</strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong><strong>Artigo 1</strong> - <strong>Estratégias para a economia de impostos: o caso da Udi Bolos</strong> de Larissa Ribeiro Soares e Sabrina Rafaela Pereira Borges com o objetivo de discutir sobre o planejamento tributário e o melhor regime de tributação a ser adotado por uma empresa de pequeno porte: o caso da Udi Bolos.</p> <p><strong>Seção 5: Resenhas de Teses, Dissertações e Livros sobre Contabilidade</strong></p> <p><strong>Resenha 1:</strong> Resenha do livro: Estrutura e análise de balanços: um enfoque econômico-financeiro. Assaf Neto, A. (2020). (12a ed). São Paulo, SP: Editora Atlas, 339 páginas, ISBN: 978-85-97-02484-5.</p> <p><strong>Autores da resenha: </strong>Geovane Camilo dos Santos e Dryelle Laiana de Jesus Silva dos Santos.</p> <p><strong>Seção 6: Banco de Dados (Arquivos suplementares em Excel)</strong></p> <p><strong>Artigo 5 da Seção 1- Retorno dos bancos públicos federais <em>versus</em> custo de oportunidade dos recursos investidos pelo Tesouro Nacional</strong> de Cristiano Rocha Campos, José Alves Dantas e Carlos André de Melo Alves com o objetivo de avaliar se os retornos auferidos pelos bancos públicos federais remuneram o Tesouro Nacional em proporção suficiente ou não para cobrir o custo de oportunidade do capital investido pelo governo Federal, definida como a taxa básica de juros da economia, a Selic.</p> <p><strong>Seção 7: Internacional </strong>(<strong>S7</strong>)</p> <p><strong>English</strong></p> <p><strong>Section 1</strong></p> <p><strong>Article 2 (Section 1) - </strong><strong>Country comparative assessment of Islamic banks' financial economic situation </strong>of Tariq Jarbou and Jorge Katsumi Niyama. Promote a country comparative assessment of the Islamic banks economic and financial situation.</p> <p><strong>Article 3 (Section 1) -</strong><strong> An analysis of the adherence of Brazilian organizations to GRI as a method of disclosure of corporate social responsibility </strong>of Vicente Lima Crisóstomo, Hyane Correia Forte e Priscila de Azevedo Prudêncio. Organizations have published corporate social responsibility reports aimed at spreading their social responsibility. In this sense, the Global Reporting Initiative (GRI) develops structured models of sustainability reports that help organizations design and disseminate them. The objective of this paper is to analyze the evolution of GRI adherence and the quality of CSR reports provided by Brazilian organizations.</p> <p><strong>Article 5 (Section 1) -</strong><strong> Returns on the federal public banks versus the opportunity cost of funds invested by the National Treasury </strong>of Cristiano Rocha Campos, José Alves Dantas and Carlos André de Melo Alves. The aim of this study is to assess whether the yields earned by the federal public banks remunerate the National Treasury to a enough degree, to cover the opportunity cost of the capital invested by the Federal Government, which is defined as the benchmark Selic base interest rate.</p> <p><strong>Section 2</strong></p> <p><strong>Article 2 (Section 2) - </strong><strong>Transparency of public expenditure accountability in municipal governments: a case study in the State of Goiás</strong> of Celma Duque Ferreira, Gilberto Crispim da Silva, Fabrícia Silva da Rosa and Luiz Alberton. To identify the municipalities of Goiás that comply with the legal provisions of the Fiscal Responsibility Law (LRF) regarding the transparency of public management accounts from January 2010 to December 2018.</p> <p><strong>Article 3 (Section 2) - </strong><strong>Behavior of budget expenditures during the election period: an analysis in panel data in the Brazilian municipalities</strong> of Gilberto Crispim da Silva, Luiz Alberton, Celma Duque Ferreira and Jorge Expedito de Gusmão Lopes. From the political budget cycle (PDC) lens, we investigated the behavior of committed expenditures, investment spending and borrowing in the electoral period, in Brazilian municipalities with a population of 50,000 or more, in the period 2000-2016, comprising 353 clusters and 6001 observations. It was also investigated whether these municipalities meet the legal requirements on the use of budget resources in an election year. The study was motivated by the lack of consensus in the literature on the subject in question.</p> <p><strong>Article 5 (Section 2) -</strong> <strong>Transparent public management under the law of fiscal responsibility: an analysis in the municipalities of the CRAJUBAR region in the period from 2012 to 2015 </strong>of Antônio Rafael Valério de Oliveira, Bruno Rodrigues Cabral e Milton Jarbas Rodrigues Chagas. This study aimed to verify on the websites of the municipalities of Crato, Juazeiro do Norte and Barbalha (CRAJUBAR), whether information about public management was in compliance with the Fiscal Responsibility Law, Supplementary Law 131/2009 and Decree No. 7185/2010.</p> <p><strong>Article 6 (Section 2) - </strong><strong>Accounting disclosure of resources earned by OSCIPs in northeastern Brazil: a focus on government grants and assistance </strong>of Milton Jarbas Rodrigues Chagas, Danival Sousa Cavalcante, Silvana Karina de Melo Travassos, Suelem Katherinne de Macedo Pinto and Polyandra Zampiere Pessoa da Silva. To analyze the level of disclosure of the main sources of funds of Civil Society Organizations of Public Interest (CSOPIs) located in the Northeast region of Brazil, focusing on government subsidies and assistance, since they must follow rules, such as the CPC pronouncement 07 (R1) and the accounting standard NBC TG 07 (R2).</p> <p><strong>Section 3</strong></p> <p><strong>Article 2 (Section 3) - </strong><strong>Treatment and analysis of açai berry production waste: a study by the optics of eco-efficiency </strong>of Marcia Athayde Moreira and Ana Lidia Ferreira de Sousa. The main objective of this research was to find out with the açai berry sales establishments of the Belém Metropolitan Region – Pa. (RMB), which treatment has been assigned to wastes (açai berry pits) by the açai beaters, having as analysis parameters the accounting and socio-environmental standpoint, under the optics of&nbsp; PNRS, within a context of eco-efficiency</p> <p><strong>Section 4</strong></p> <p><strong>Article 1 (Section 4) - </strong><strong>Tax saving strategies: Udi Bolos’ Case </strong>of Larissa Ribeiro Soares e Sabrina Rafaela Pereira Borges. Udi Bolos’ case discusses tax planning and the best taxation regime to be adopted by a small company.</p> <p>&nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp;</p> <p>Boa leitura. Cordiais saudações!</p> <p>Prof. Dr. Maurício Corrêa da Silva</p> <p>Editor Gerente da Revista Ambiente Contábil</p> Maurício Corrêa da Silva Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-02 2020-07-02 12 2 i vi 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID21596 Análise do disclosure das provisões e dos passivos contingentes: um estudo de caso das empresas aéreas listadas na B3 em relação aderência ao CPC 25 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/18700 <p><strong>Objetivo</strong>: Considerando que o setor de aviação civil brasileiro registrou representativa participação no PIB brasileiro e tem gerado significativa contribuição no valor agregado para economia, este artigo tem como objetivo analisar o disclosure nas demonstrações financeiras das empresas Azul Linhas Aéreas Brasileiras S. A., Gol Linhas Aéreas Inteligentes S. A. e Latam Airlines Group S. A. a partir do enfoque teórico e normativo do CPC 25 no período de 2013 a 2018.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Realizou-se uma pesquisa qualitativa e descritiva, onde se analisou como ocorre a divulgação das Provisões e Passivos Contingentes apresentadas nas demonstrações financeiras das companhias aéreas brasileiras listadas no Brasil, Bolsa, Bovespa (B3) – Azul Linhas Aéreas Brasileiras S. A., Gol Linhas Aéreas Inteligentes S. A. e Latam Airlines Group S. A., no período de 2013 a 2018. A técnica utilizada foi a análise de conteúdo, onde buscou-se verificar, primeiramente, como são classificadas as provisões e os passivos contingentes divulgadas pelas companhias de linhas aéreas. Em seguida, se apurou o quanto cada categoria representa (em valores) em relação as provisões e passivos contingentes divulgados. &nbsp;</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados apontam que as informações ainda são falhas em relação à aderência às orientações do CPC 25 (2009) quanto à evidenciação de passivos contingentes, fato que pode representar uma barreira na análise da transparência dos dados e das informações aos potenciais usuários da informação contábil. Quanto às provisões, observou-se maior frequência de divulgação de informações que se referem a tributos, área cível, trabalhista e devolução de aeronaves.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Esse estudo permite analisar aspectos relativos à natureza, reconhecimento e mensuração das provisões e passivos contingentes, sobretudo, em relação à transparência na divulgação e classificação desses itens, estimulando a diminuição da assimetria informacional dentre os usuários das informações contábeis.</p> Renata Bissi de Oliveira Augusto César Oliveira Camelo Franciele do Prado Daciê Marcielle Anzilago Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 1 24 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID18700 Avaliação comparativa, por país, da situação econômico-financeira de bancos islâmicos https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/19456 <p><strong>Objetivo</strong>: Este estudo visa promover uma avaliação comparativa por país da situação econômico-financeira de bancos islâmicos.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Foi utilizada uma abordagem analítica descritiva e documental. Realizou-se uma coleta de dados sobre indicadores financeiros de bancos islâmicos em 21 países e procedeu-se a análise desses dados à luz das normas recomendadas pelo Conselho de Serviços Financeiros Islâmicos (IFSB) e pelo Comitê de Supervisão Bancária de Basileia (BCBS). A amostra foi composta pelos países com dados disponíveis na base de dados do IFSB (PSIFIs). Os dados referem-se ao segundo trimestre de 2018 agrupados por países. Uma estatística descritiva simples, na forma de figuras, foi utilizada para analisar os dados coletados.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Este documento ressalta que 90% das instituições financeiras islâmicas (IFIs) nos países da amostra calculam o índice de adequação de capital (CAR) de acordo com as recomendações do BCBS. Além disso, 95% apresentam CAR superior a 8% (o mínimo estabelecido pelo BCBS e IFSB). Portanto, 95% dos países possuem sistemas financeiros seguros em termos da solvência bancária. Em termos de qualidade de ativos, o sistema financeiro islâmico em Omã apresentou a melhor qualidade no gerenciamento dos seus recursos. O Sudão demonstrou os maiores índices de rentabilidade em seus bancos islâmicos. Na análise de liquidez, não foi possível identificar com precisão qual é o país de melhor índice de liquidez no curto e longo prazo uma vez que mais de 60% dos países não apresentaram dados suficientes. Em termos de ativos líquidos sobre o total de ativos, e o cumprimento de obrigações a curto prazo, os sistemas financeiros islâmicos do Egito e do Afeganistão, respectivamente, lideraram com melhores índices de liquidez da amostra, mostrando capacidade e segurança para cumprir suas obrigações.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Identificar os países com maior/menor risco considerando os requerimentos e recomendações do IFSB e do BCBS.</p> Tariq Jarbou Jorge Katsumi Niyama Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 25 46 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID19456 Uma análise da adesão de organizações brasileiras à GRI como método de divulgação de informações de responsabilidade social corporativa https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/19005 <p><strong>Objetivo: </strong>As organizações têm publicado relatórios de responsabilidade social corporativa (RSC) visando divulgar sua responsabilidade social. Nesse sentido, a <em>Global Reporting Initiative</em> (GRI) desenvolve modelos estruturados de relatórios de sustentabilidade que auxiliam as organizações na sua elaboração e divulgação. O presente trabalho tem como objetivo analisar a evolução da adesão à GRI e a qualidade dos relatórios de RSC divulgados por organizações brasileiras.</p> <p><strong>Metodologia: </strong>Coletou-se os dados de todas as organizações brasileiras que aderiram à GRI, no período 2000-2017, num total de 461 organizações e 2.142 observações. Fez-se uma análise descritiva e testes de diferença de proporções.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Os resultados mostram que houve um crescimento relevante do número de organizações brasileiras que aderiram à GRI, observando-se um crescimento anual médio em torno de 48%. As organizações empresariais são as que mais divulgam ação social via GRI, embora também haja organizações de outra natureza. Verifica-se uma predominância forte de empresas de grande porte. Relativamente à qualidade da informação, percebe-se que cerca de 90% das demonstrações já seguem as diretrizes da GRI, e mais da metade ainda não é submetido a processo de auditoria externa. Observa-se um avanço, mesmo que pequeno, da divulgação de relatórios que integram informações financeiras e de cunho social.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo: </strong>O estudo sobre o <em>disclosure</em> de relatório de RSC no formato GRI fornece à comunidade acadêmica informação sobre o quanto este instrumento de divulgação tem sido considerado relevante por organizações empresariais ou não no Brasil. Esta busca crescente por divulgação de RSC via GRI pode dever-se ao objetivo de legitimação de estratégias e práticas organizacionais, como também de criação de valor e melhoria de reputação organizacional.&nbsp; Como contribuição tem-se a análise detalhada da evolução da divulgação de relatórios GRI pelas organizações brasileiras. Além disso, o estudo contribui ao sinalizar que a GRI tem se firmado como um importante meio para a divulgação de informações de ações socioambientais para organizações brasileiras. Do ponto de vista acadêmico, a pesquisa colabora ao avançar nos estudos relativos ao <em>disclosure </em>voluntário e ao aprofundar a análise da qualidade dos relatórios GRI elaborado pelas organizações.</p> Vicente Lima Crisóstomo Hyane Correia Forte Priscila de Azevedo Prudêncio Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 47 73 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID19005 Distribuição dos profissionais de contabilidade nas microrregiões brasileiras: uma análise econométrica-espacial https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/18913 <p><strong>Objetivo</strong>: Identificar os fatores socioeconômicos que influenciam a distribuição espacial dos profissionais de contabilidade nas microrregiões brasileiras.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Utiliza-se os microdados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) de 2016, dados socioeconômicos do IBGE para produto per capita, densidade demográfica, número de empresas e organizações atuantes e o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal de 2016 estimado pela FIRJAN. Os métodos quantitativos empregados para investigar o relacionamento entre as variáveis incluem métodos de análise exploratória espacial, como os testes de correlação espacial I de Moran. Aplica-se técnicas de regressão múltipla e regressão espacial, considerando como variável explicada a proporção de profissionais contábeis por microrregiões brasileiras.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados obtidos apontam o IDHM como a variável mais explicativa para a presença de profissionais de contabilidade, além do número de estabelecimentos atuantes em uma região. Assim, a distribuição de profissionais contábeis é heterogênea em consequência da dependência espacial das variáveis.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Incorpora os efeitos de dependência espacial a fim de identificar a contribuição individual de cada fator socioeconômico para a localização dos profissionais de contabilidade.</p> Francine Aparecida dos Santos Zenatta Willian Boschetti Adamczyk Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 74 91 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID18913 Retorno dos bancos públicos federais versus custo de oportunidade dos recursos investidos pelo Tesouro Nacional https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/19372 <p><strong>Objetivo</strong>: O objetivo deste estudo foi avaliar se os retornos auferidos pelos bancos públicos federais remuneram o Tesouro Nacional em proporção suficiente ou não para cobrir o custo de oportunidade do capital investido pelo governo Federal, definida como a taxa básica de juros da economia, a Selic.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Para isso, foram utilizadas quatro diferentes métricas de retorno econômico do capital investido pelo Tesouro, tendo por base as demonstrações do Banco do Brasil (BB), Caixa Econômica Federal (CEF), Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e Banco da Amazônia (BASA), de 2002 a 2018.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os testes empíricos paramétricos e não paramétricos revelaram que os bancos públicos federais, no conjunto, oferecem retornos econômicos superiores aos custos de captação de recursos do Tesouro Nacional. Por outro lado, quando observados individualmente: BB e CEF, que possuem atuação de varejo, oferecem resultados consistentemente superiores à Selic; BNDES e BNB, apesar de retorno nominais superiores, não registram diferença estatisticamente relevantes; e BASA registra retornos inferiores ao custo de oportunidade.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Os resultados deste estudo contribuem para a melhor compreensão das relações entre o Tesouro Nacional e as instituições financeiras públicas, com a ressalva de restringir-se aos aspectos econômico-financeiros dessa relação, não contemplando inferências ou exames de dimensões como eficiência ou prioridades na aplicação de recursos públicos.</p> Cristiano Rocha Campos José Alves Dantas Carlos André de Melo Alves Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 92 111 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID19372 Determinantes do reconhecimento da perda pelo impaiment test https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/19759 <p><strong>Objetivo:</strong> Verificar quais determinantes influenciam no reconhecimento da perda por <em>Impairment Test (IT) </em>nas empresas brasileiras listadas na B3.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> A pesquisa foi realizada com 169 empresas não financeiras listadas na B3, que apresentaram informações ou não de perdas no <em>IT</em>, no período de análise de 2009 até 2017. Para testar as hipóteses desta pesquisa foi aplicado o modelo <em>logit. </em>Para evitar o problema de <em>outliers</em>, que poderiam afetar os coeficientes estimados, todas as variáveis foram <em>winsorizadas</em> em 1% em cada lado da sua distribuição. Todavia, os resultados das estimações com e sem <em>winsorização</em> foram mantidos para atestar a robustez dos achados. Os erros padrão foram <em>clusterizados</em>, para evitar problemas de autocorrelação nos resíduos do modelo.</p> <p><strong>Resultados: </strong>Constatou-se que a variação Retorno sobre o Patrimônio Líquido, o índice de <em>Book-to-Market, </em>Mudança de Gestão, <em>Big Bath </em>e Controle de Propriedade são considerados os determinantes que influenciam no reconhecimento da perda por <em>IT </em>nas empresas listadas na B3.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo:</strong> O estudo traz justificativas práticas sobre a aplicabilidade <em>IT, </em>fornecendo informações contábeis importantes para gestores, investidores, profissionais contábeis, normatizadores e reguladores<em>. </em>Do ponto de vista teórico contribui com a literatura acerca dos fatores determinantes da perda por <em>IT </em>de ativo.</p> Karla Roberta Castro Pinheiro Alves César Augusto Tibúrcio Silva Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 112 135 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID19759 Diamante da fraude: evidências empíricas nos relatórios de demandas externas do Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União (CGU) dos municípios brasileiros https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/18732 <p><strong>Objetivo</strong>: Este estudo objetivou identificar e classificar as evidências de irregularidades encontradas pelos auditores e as justificativas dos gestores, presentes nas constatações e manifestações descritas nos relatórios da CGU, como os seguintes fatores: oportunidade, pressão, racionalização e a capacidade. Adicionalmente, analisa-se o perfil das evidências encontradas conforme características geográficas e populacionais dos Municípios brasileiros auditados pela CGU.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: A interpretação do conteúdo dos relatórios de demanda externa foi fundamentada na técnica de análise de conteúdo e, a análise dos dados foi realizada com base em estatísticas descritivas, utilizando uma mostra de 259 relatórios de um total inicial de 725 relatórios. Os relatórios de Demanda Externa da CGU foram escolhidos em virtude de seu conteúdo possibilitar coletar informações relativas aos quatro constructos propostos no Diamante da Fraude.</p> <p><strong>Resultados</strong>: O estudo permitiu observar a presença dos quatro fatores da estrutura conceitual do Diamante da Fraude nas constatações dos auditores, e justificativas dos gestores descritas nos relatórios da CGU. Assim, os resultados apontam que as teorias do Triângulo e Diamante da Fraude podem explicar a ocorrência da prática de atos fraudulentos por parte dos gestores municipais brasileiros. Outro achado foi a significativa frequência de oportunidades para a execução de ato fraudulento. O elemento capacidade também se mostrou frequente nos achados do estudo, demonstrando que o cargo ocupado pelo indivíduo pode estar associado à ocorrência de irregularidades. Os constructos racionalização e pressão foram observados com menor frequência no conteúdo dos relatórios de fiscalização.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Esses indicadores podem revelar possíveis ações de ineficácia, ineficiência, não efetividade social, risco político, risco moral e risco de investimento na aplicação dos recursos dos programas.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> Ana Luiza Pedrosa Paschoal Nálbia de Araújo Santos Walmer Faroni Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 136 156 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID18732 Transparência da prestação de contas dos gastos públicos nos governos municipais: um estudo de caso no Estado de Goiás https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/19090 <p><strong>Objetivo</strong>: Identificar os municípios goianos que cumprem os dispositivos legais da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), quanto a transparência das prestações de contas da gestão pública no período de janeiro de 2010 a dezembro de 2018.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Com características descritivas, o estudo realizou consultas em <em>sites</em> das prefeituras, Tribunais de Contas da União (TCU), Estados e Secretaria do Tesouro Nacional (STN). A coleta de dados foi realizada por meio de <em>check-list</em> construído com base nos dispositivos legais atuais, e correios eletrônicos aos responsáveis pela publicidade de cada município quando não encontrado os dados. O instrumento de análise utilizado foi a estatística descritiva, coeficiente de correlação de <em>Pearson</em> e <em>Spearman</em> e Qui-Quadrado (associação de <em>Pearson</em>).</p> <p><strong>Resultados</strong>: Concluiu-se que não há uniformidade da informações entre os municípios, apesar de transcorrido dezoito anos de promulgação da LRF; os municípios goianos cumprem parcialmente as exigências legais; há municípios que não possuem &nbsp;<em>site</em> próprio e não disponibilizam <em>link</em> de acesso ao portal da transparência em suas <em>homepages</em>; há municípios que não publicam os instrumentos de planejamento orçamentários (PPA, LDO e LOA), bem como a prestação de contas da realização da receita e execução das despesas orçamentárias. Em alguns casos, foi encontrado dificuldades na identificação do <em>link</em> no portal da transparência em suas <em>homepages</em>, e assim optou-se ao envio de e-mail aos responsáveis indagando sobre os resultados.</p> <p><strong>Contribuições</strong>: O estudo contribui para a gestão do governo do Estado de Goiás, motivo pelo qual financiou a pesquisa por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG); para a literatura específica, porque apresenta estudo empírico sobre regulações com mais de dezoito anos de vigência e fomenta discussão para futuras pesquisas.</p> Celma Duque Ferreira Gilberto Crispim da Silva Fabricia Silva da Rosa Luiz Alberton Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 157 178 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID19090 Comportamento das despesas orçamentárias durante o período eleitoral: uma análise em painel de dados nos municípios brasileiros https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/19072 <p><strong>Objetivo</strong>: A partir da lente de ciclo orçamentário político (COP), investigou-se o comportamento das despesas empenhadas, dos gastos com investimentos e captação de empréstimos em período eleitoral, nos municípios brasileiros com população igual ou superior a 50 mil habitantes, no período de 2000-2016, compreendendo 353 <em>clusters</em> e 6001 observações. Investigou-se também se esses municípios cumprem as exigências legais sobre o uso de recursos orçamentários em ano de eleição. O estudo foi motivado pela falta de consenso na literatura sobre o tema em questão.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> Foram construídas quatro hipóteses de pesquisa para auxiliar na consecução dos objetivos propostos. Os dados foram coletados dos <em>sites</em> do IBGE, STE e STN. Os dados foram analisados por meio do método de dados em painel balanceado, agrupados por municípios e região, com aplicação de regressão <em>tobit</em> e testes de robustez de <em>Hausman</em>, <em>Breusch-Pagan Lagrange</em> e <em>F</em> de <em>Chow</em>. Esse método abrangeu intervalos de confiança em 99%, 77%, 79% e 84% de explicação de comportamento entre as variáveis.</p> <p><strong>Resultado:</strong> Os resultados apontam que não houve mudanças das despesas empenhadas antes, durante e após período eleitoral, independente de igualdades partidárias e eleições em dois turnos, diferente do resultado de alguns estudos. Já quanto aos gastos com investimentos e captação de empréstimos em período eleitoral, o estudo sugere aumento médio em 9% e 68% respectivamente, e isso é mais intenso quando há igualdade partidária entre governos municipais e estaduais, principalmente em processo de reeleição. Quanto ao cumprimento das exigências legais sobre uso de recursos orçamentários em ano eleitoral, o estudo indica que os governos locais não cumprem as exigências normativas.</p> <p><strong>Contribuições do estudo: </strong>Contribui para a literatura específica, porque apresenta resultados robustos sobre a falta de consenso existente no tema em questão, com também para futuras pesquisas envolvendo municípios com menor população e comparação entre regiões e países.</p> Gilberto Crispim da Silva Luiz Alberton Celma Duque Ferreira Jorge Expedito de Gusmão Lopes Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 179 199 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID19072 O gasto e as fontes do financiamento do SUS nos municípios brasileiros de 2003 a 2018 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/18708 <p><strong>Objetivo</strong>: Identificar e descrever as fontes de financiamento da função saúde e os gastos empenhados na atenção básica e na atenção hospitalar dos municípios brasileiros no período de 2003 a 2018.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Os dados oficiais de 5.561 municípios foram sistematizados por porte de população e região geográfica em Tabelas e Figuras com o uso dos <em>softwares</em> Microsoft Excel e STATA.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os municípios brasileiros empenharam gastos no orçamento em montante próximo a 1,8 trilhões de reais na função saúde no período de 2003 a 2018. Os maiores valores <em>percapta</em> são dos municípios das Regiões Sudeste e Sul; os menores do Nordeste e do Norte. A principal fonte destes recursos é a arrecadação própria, que inclui as transferências obrigatórias da União e dos Estados. As transferências da União exclusiva para as políticas de saúde nos municípios são a segunda maior fonte destes recursos. Estas transferências aumentaram significativamente no período entre os anos 2003 e 2014, diminuíram nos anos 2015 e 2016 com pequeno aumento em 2017 e 2018. Os municípios do Nordeste e do Norte têm maior dependência dos recursos federais para a saúde.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: A evidência sistematizada de o quanto aumentou os gastos empenhados nos municípios brasileiros e o esforço destes entes federativos em atender a demanda local dos sistemas de saúde com recursos próprios e/ou com recursos federais mostra a relevância das políticas incentivadas pelo Ministério da Saúde como a Estratégia Saúde da Família e a regionalização dos atendimentos especializados nas unidades hospitalares. Contribui para a discussão da forma do financiamento da saúde nos municípios brasileiros, parte relevante do arranjo institucional complexo consolidado para a saúde pública pós-Constituição de 1988, bem como questionam o modelo hospitalocêntrico da saúde pública no Brasil.</p> Jaime Crozatti Albires Ferreira de Lima Junior Leandro Nascimento Lima Luana Lima de Oliveira Patrícia Righetto Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 200 218 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID18708 Gestão pública e transparente à luz da lei de responsabilidade fiscal: uma análise nos municípios da região CRAJUBAR no período de 2012 a 2015 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/18576 <p><strong>Objetivo</strong>: Verificar nos portais eletrônicos dos municípios do Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha (CRAJUBAR), as informações divulgadas acerca da gestão pública em atendimento à lei de responsabilidade fiscal, lei complementar 131/2009 e ao Decreto nº 7185/2010.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Estudo descritivo com abordagem qualitativa. Foram analisados os municípios da Região CRAJUBAR, localizados no sul do Ceará. Os dados utilizados para análise desta pesquisa correspondem ao período de 2012 a 2015 no que se refere aos instrumentos de transparência da gestão fiscal da LRF 101/2000 e o mês de janeiro de 2017 no que se refere à LC 131/2009 e ao Decreto nº 7.185/ 2010. A coleta destes ocorreu por meio dos portais eletrônicos de cada prefeitura. Para análise dos dados coletados, utilizou-se como ferramentas de apoio, a planilha eletrônica Excel versão 2013.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Concluiu-se que os gestores municipais das prefeituras pesquisadas não obedecem, na integralidade, à publicação em meio eletrônico dos instrumentos referente à transparência da gestão fiscal, no tocante à divulgação de informações pormenorizadas e em tempo real.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Constatou-se a desobediência aos normativos analisados, implicando em uma verificação da eficiência da aplicação da legislação em análise. A evidenciação da transparência é essencial no processo de gestão. Aborda a discussão sobre a transparência dos recursos públicos constante na LRF e na Lei Complementar nº 131/2009, além de demonstrar a discussão sobre a gestão dos recursos em municípios do estado do Ceará.</p> Antônio Rafael Valério de Oliveira Oliveira Bruno Rodrigues Cabral Cabral Milton Jarbas Rodrigues Chagas Chagas Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 219 235 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID18576 Evidenciação contábil dos recursos auferidos pelas OSCIPs do nordeste brasileiro: um enfoque nas subvenções e assistências governamentais https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/19282 <p><strong>Objetivo:</strong> Analisar o nível de evidenciação das principais fontes de recursos das Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs) situadas na região Nordeste do Brasil, enfocando as subvenções e assistências governamentais, uma vez que estas devem seguir normas, tais como o pronunciamento CPC 07 (R1) e a norma contábil NBC TG 07 (R2).</p> <p><strong>Metodologia: </strong>A pesquisa se caracteriza como um estudo descritivo, de natureza qualitativa e quantitativa, cujos dados foram coletados das demonstrações contábeis obtidas do <em>website</em> do Ministério da Justiça, referente aos anos de 2010 a 2014.</p> <p><strong>Resultados: </strong>Observou-se que apenas 27% das OSCIPs da região Nordeste evidenciaram as subvenções e assistências em conformidade com o pronunciamento e a norma citados, e que algumas instituições dessa região não publicam suas demonstrações contábeis em todo o período em análise. Além disso, os testes mostram que as OSCIPs da região Nordeste não apresentaram conformidade contábil quanto à evidenciação das subvenções e assistências governamentais auferidas, demonstrando uma necessidade de melhoria do processo de <em>accountability</em> pelas OSCIPs.</p> <p><strong>Contribuições do estudo: </strong>espera-se trazer o debate a respeito da necessidade da elaboração das demonstrações contábeis pelas OSCIPs, bem como da evidenciação de informações que são exigidas pelos CPCs e normas, para que os usuários tenham informações fidedignas sobre a realidade das organizações para o processo de tomada de decisão.</p> Milton Jarbas Rodrigues Chagas Danival Sousa Cavalcante Silvana Karina de Melo Travassos Suelem Katherinne de Macedo Pinto Polyandra Zampiere Pessoa da Silva Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 236 253 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID19282 Expectativa dos concluintes de ciências contábeis em relação ao mercado de trabalho https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/18594 <p><strong>Objetivo: </strong>A pesquisa teve como objetivo verificar as expectativas dos alunos concluintes de uma universidade pública no sudoeste do Maranhão em relação ao mercado de trabalho, suas visões sobre as exigências do mercado, as habilidades e as competências exigidas na atuação profissional.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> A metodologia empregada teve por base a pesquisa descritiva com abordagem quantitativa através de uma <em>survey </em>com perguntas predominantemente fechadas aplicando a escala Likert. Investigaram-se formandos (n=70), com um intervalo de confiança de 95%. Predominantemente homens e mulheres com idade entre 20 e 55 anos. Os dados da pesquisa foram coletados nas salas de aula e tratados com o auxílio do software<em> Statistical Package for the Social Sciences - SPSS 22 </em>e do <em>Excel</em>, possibilitando a construção dos gráficos para análise.</p> <p><strong>Resultados: </strong>Quanto à expectativa profissional, após a conclusão do curso, existe uma variação entre as diversas áreas de atuação, porém a maior parte afirmou ter interesse em prestar concursos e trabalhar em órgãos públicos. A maioria dos concluintes, 95,70% concordaram que o contador precisa manter-se atualizado para permanecer atuante no mercado. Os achados da pesquisa apresentaram incertezas dos concluintes sobre estarem preparados para atuação no mercado de trabalho.</p> <p><strong>Contribuições do estudo: </strong>A pesquisa apresenta a visão dos alunos concludentes do curso de Ciências Contábeis em relação ao mercado, apresentando informações que visam contribuir para uma reflexão quanto ao percurso acadêmico na área contábil. Para novas pesquisas sugere-se expandir a população para outras instituições de forma que seja realizado um comparativo entre as expectativas profissionais dos alunos de diferentes universidades.</p> Glauciane Costa Silva Cleber Augusto Pereira Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 254 278 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID18594 Tratamento e análise de resíduos da produção de açaí: um estudo sob a ótica da ecoeficiência https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/18923 <p><strong>Objetivo</strong>: Esta pesquisa teve como principal objetivo levantar junto aos estabelecimentos de venda de açaí da Região Metropolitana de Belém – PA (RMB), qual tratamento está sendo designado aos resíduos (caroços de açaí), tendo como parâmetros de análise o ponto de vista contábil e o socioambiental, sob a ótica da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), dentro de um contexto de ecoeficiência.</p> <p><strong>Metodologia</strong>:&nbsp; Foi realizada pesquisa exploratória, transversal, por meio de levantamento, junto à 80 estabelecimentos de produção de açaí da RMB.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados apontaram que os respondentes, em parte, possuem conhecimento acerca da gestão socioambiental e do que é impacto socioambiental, entretanto, não possuem plano de gerenciamento de resíduos sólidos, e, na percepção da maioria deles, a obrigatoriedade de realizar a correta destinação dos caroços de açaí é da prefeitura, o que demonstra desconhecimento acerca das diretrizes da PNRS. Quanto ao tratamento dos resíduos do açaí, a maioria respondeu que os caroços são destinados a aterros, a despeito das possibilidades de reaproveitamento. Quando analisado o tratamento dos resíduos pela ótica contábil-financeira, observou-se como inexistente, o que pode estar associado com o tipo de formalização (ou a sua falta) e o fato de não terem apoio profissional para realizar a gestão do negócio.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: O presente trabalho visa contribuir para a discussão acerca da importância de estabelecer planos de incentivo e/ou orientação para o reaproveitamento, para que os empreendedores de açaí possam desfrutar dos benefícios financeiros e melhor contribuir para a redução dos impactos ambientais, realizando uma gestão ecoeficiente.</p> Márcia Athayde Moreira Ana Lidia Ferreira de Sousa Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 279 297 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID18923 Influência das características do decisor sobre os vieses da heurística da representatividade https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/19180 <p><strong>Objetivo</strong>: Esta pesquisa tem como objetivo verificar a influência das características demográficas na presença da heurística da representatividade e seus vieses na tomada de decisões.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Trata-se de uma pesquisa dedutiva, do tipo <em>survey</em>, quantitativa e descritiva. A amostra é composta por 93 alunos de Ciências Contábeis de uma universidade federal do Sul do Brasil. Utilizou-se o percentual de respostas e Regressão Logística para análise dos dados.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados apontam que há equilíbrio ao analisar a média de respostas, sendo que 49,46% das respostas apresentam a influência de vieses da heurística da representatividade. Em contrapartida, 50,54% dos casos, os mecanismos racionais (sem viés) embasaram as decisões. Quanto as características demográficas, três dos cinco cenários apresentaram razão de chance significativa sobre a influência destes sobre as decisões de vieses da heurística de representatividade. Dentre as características, têm-se a idade, o gênero e o semestre que o respondente está cursando, como as mais significativas. Estes resultados reforçam a importância de atentar para a presença e uso de heurísticas e vieses na hora de tomar decisões e as consequências potenciais, nem sempre agradáveis, delas decorrentes.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Contribui-se com a literatura e prática ao demonstrar quais características demográficas mais influenciaram a tomada de decisões com presença de vieses cognitivos.</p> Adriano Massa Fernandes Darci Schnorrenberger Rodrigo Rengel Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 298 317 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID19180 Estratégias para a economia de impostos: o Caso da Udi Bolos https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/19820 <p><strong>Objetivo</strong>: O caso da Udi Bolos discute sobre o planejamento tributário e o melhor regime de tributação a ser adotado por uma empresa de pequeno porte.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Este caso utiliza conteúdos tributários e apresenta discussões sobre a evasão e elisão fiscal, evidenciando elementos de um dilema ético-contábil vivenciado por muitos negócios familiares.</p> <p><strong>Resultados</strong>: O empresário da Udi Bolo Sr. Marcelo em busca de diminuir os seus custos recebe duas opiniões divergentes de dois contadores: agir dentro da legalidade fiscal ou sonegar. Após uma análise cuidadosa, o proprietário percebeu que é possível com um bom planejamento tributário obter economias para o negócio dentro da legalidade.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: O presente caso estimula a reflexão crítica dos discentes sobre os regimes tributários com o intuito de reduzir a carga tributária paga por empresas, sendo útil para a aprendizagem de conceitos em disciplinas associadas à tributária e análise de custos. Além disso, são realizadas reflexões éticas sobre o papel do contador diante do fornecimento de informações e manipulação de dados econômico-financeiros.</p> <p>&nbsp;</p> Sabrina Rafaela Pereira Borges Larissa Ribeiro Soares Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 318 331 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID19820 Resenha do livro: Estrutura e análise de balanços: um enfoque econômico-financeiro. Assaf Neto, A. (2020). (12a ed). São Paulo, SP: Editora Atlas, 339 páginas, ISBN: 978-85-97-02484-5. https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/21347 <p>Esta resenha tem o objetivo de apresentar uma síntese das principais ideias discutidas no livro do Professor Doutor Alexandre Assaf Neto, Emérito da Universidade de São Paulo (USP), lançado no ano de 2020, pela Editora Atlas.</p> Geovane Camilo Santos Dryelle Laiana de Jesus Silva dos Santos Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID21347 Retorno dos bancos públicos federais versus custo de oportunidade dos recursos investidos pelo Tesouro Nacional https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/21533 <p>Banco de dados brutos de pesquisa.</p> Cristiano Rocha Campos José Alves Dantas Carlos André de Melo Alves Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID21533 Avaliação comparativa, por país, da situação econômico-financeira de bancos islâmicos https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/21527 <p><strong>Objetivo</strong>: Este estudo visa promover uma avaliação comparativa por país da situação econômico-financeira de bancos islâmicos.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Foi utilizada uma abordagem analítica descritiva e documental. Realizou-se uma coleta de dados sobre indicadores financeiros de bancos islâmicos em 21 países e procedeu-se a análise desses dados à luz das normas recomendadas pelo Conselho de Serviços Financeiros Islâmicos (IFSB) e pelo Comitê de Supervisão Bancária de Basileia (BCBS). A amostra foi composta pelos países com dados disponíveis na base de dados do IFSB (PSIFIs). Os dados referem-se ao segundo trimestre de 2018 agrupados por países. Uma estatística descritiva simples, na forma de figuras, foi utilizada para analisar os dados coletados.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Este documento ressalta que 90% das instituições financeiras islâmicas (IFIs) nos países da amostra calculam o índice de adequação de capital (CAR) de acordo com as recomendações do BCBS. Além disso, 95% apresentam CAR superior a 8% (o mínimo estabelecido pelo BCBS e IFSB). Portanto, 95% dos países possuem sistemas financeiros seguros em termos da solvência bancária. Em termos de qualidade de ativos, o sistema financeiro islâmico em Omã apresentou a melhor qualidade no gerenciamento dos seus recursos. O Sudão demonstrou os maiores índices de rentabilidade em seus bancos islâmicos. Na análise de liquidez, não foi possível identificar com precisão qual é o país de melhor índice de liquidez no curto e longo prazo uma vez que mais de 60% dos países não apresentaram dados suficientes. Em termos de ativos líquidos sobre o total de ativos, e o cumprimento de obrigações a curto prazo, os sistemas financeiros islâmicos do Egito e do Afeganistão, respectivamente, lideraram com melhores índices de liquidez da amostra, mostrando capacidade e segurança para cumprir suas obrigações.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Identificar os países com maior/menor risco considerando os requerimentos e recomendações do IFSB e do BCBS.</p> Tariq Jarbou Jorge Katsumi Niyama Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID21527 Uma análise da adesão de organizações brasileiras à GRI como método de divulgação de informações de responsabilidade social corporativa https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/21526 <p><strong>Objetivo: </strong>As organizações têm publicado relatórios de responsabilidade social corporativa (RSC) visando divulgar sua responsabilidade social. Nesse sentido, a <em>Global Reporting Initiative</em> (GRI) desenvolve modelos estruturados de relatórios de sustentabilidade que auxiliam as organizações na sua elaboração e divulgação. O presente trabalho tem como objetivo analisar a evolução da adesão à GRI e a qualidade dos relatórios de RSC divulgados por organizações brasileiras.</p> <p><strong>Metodologia: </strong>Coletou-se os dados de todas as organizações brasileiras que aderiram à GRI, no período 2000-2017, num total de 461 organizações e 2.142 observações. Fez-se uma análise descritiva e testes de diferença de proporções.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Os resultados mostram que houve um crescimento relevante do número de organizações brasileiras que aderiram à GRI, observando-se um crescimento anual médio em torno de 48%. As organizações empresariais são as que mais divulgam ação social via GRI, embora também haja organizações de outra natureza. Verifica-se uma predominância forte de empresas de grande porte. Relativamente à qualidade da informação, percebe-se que cerca de 90% das demonstrações já seguem as diretrizes da GRI, e mais da metade ainda não é submetido a processo de auditoria externa. Observa-se um avanço, mesmo que pequeno, da divulgação de relatórios que integram informações financeiras e de cunho social.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo: </strong>O estudo sobre o <em>disclosure</em> de relatório de RSC no formato GRI fornece à comunidade acadêmica informação sobre o quanto este instrumento de divulgação tem sido considerado relevante por organizações empresariais ou não no Brasil. Esta busca crescente por divulgação de RSC via GRI pode dever-se ao objetivo de legitimação de estratégias e práticas organizacionais, como também de criação de valor e melhoria de reputação organizacional.&nbsp; Como contribuição tem-se a análise detalhada da evolução da divulgação de relatórios GRI pelas organizações brasileiras. Além disso, o estudo contribui ao sinalizar que a GRI tem se firmado como um importante meio para a divulgação de informações de ações socioambientais para organizações brasileiras. Do ponto de vista acadêmico, a pesquisa colabora ao avançar nos estudos relativos ao <em>disclosure </em>voluntário e ao aprofundar a análise da qualidade dos relatórios GRI elaborado pelas organizações.</p> Vicente Lima Crisóstomo Hyane Correia Forte Priscila de Azevedo Prudêncio Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID21526 Retorno dos bancos públicos federais versus custo de oportunidade dos recursos investidos pelo Tesouro Nacional https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/21525 <p><strong>Objetivo</strong>: O objetivo deste estudo foi avaliar se os retornos auferidos pelos bancos públicos federais remuneram o Tesouro Nacional em proporção suficiente ou não para cobrir o custo de oportunidade do capital investido pelo governo Federal, definida como a taxa básica de juros da economia, a Selic.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Para isso, foram utilizadas quatro diferentes métricas de retorno econômico do capital investido pelo Tesouro, tendo por base as demonstrações do Banco do Brasil (BB), Caixa Econômica Federal (CEF), Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e Banco da Amazônia (BASA), de 2002 a 2018.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os testes empíricos paramétricos e não paramétricos revelaram que os bancos públicos federais, no conjunto, oferecem retornos econômicos superiores aos custos de captação de recursos do Tesouro Nacional. Por outro lado, quando observados individualmente: BB e CEF, que possuem atuação de varejo, oferecem resultados consistentemente superiores à Selic; BNDES e BNB, apesar de retorno nominais superiores, não registram diferença estatisticamente relevantes; e BASA registra retornos inferiores ao custo de oportunidade.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Os resultados deste estudo contribuem para a melhor compreensão das relações entre o Tesouro Nacional e as instituições financeiras públicas, com a ressalva de restringir-se aos aspectos econômico-financeiros dessa relação, não contemplando inferências ou exames de dimensões como eficiência ou prioridades na aplicação de recursos públicos.</p> Cristiano Rocha Campos José Alves Dantas Carlos André de Melo Alves Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID21525 Transparência da prestação de contas dos gastos públicos nos governos municipais: um estudo de caso no Estado de Goiás https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/21524 <p><strong>Objetivo</strong>: Identificar os municípios goianos que cumprem os dispositivos legais da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) quanto a transparência das prestações de contas da gestão pública no período de janeiro de 2010 a dezembro de 2018.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Com características descritivas, o estudo realizou consultas em <em>sites</em> das prefeituras, Tribunais de Contas da União (TCU), Estados e Secretaria do Tesouro Nacional (STN). A coleta de dados foi realizada por meio de <em>check-list</em> construído com base nos dispositivos legais atuais, e correios eletrônicos aos responsáveis pela publicidade de cada município quando não encontrado os dados. O instrumento de análise utilizado foi a estatística descritiva, coeficiente de correlação de <em>Pearson</em> e <em>Spearman</em> e Qui-Quadrado (associação de <em>Pearson</em>).</p> <p><strong>Resultados</strong>: Concluiu-se que não há uniformidade da informações entre os municípios, apesar de transcorrido dezoito anos de promulgação da LRF; os municípios goianos cumprem parcialmente as exigências legais; há municípios que não possuem&nbsp; <em>site</em> próprio e não disponibilizam <em>link</em> de acesso ao portal da transparência em suas <em>homepages</em>; há municípios que não publicam os instrumentos de planejamento orçamentários (PPA, LDO e LOA), bem como a prestação de contas da realização da receita e execução das despesas orçamentárias. Em alguns casos, foi encontrado dificuldades na identificação do <em>link</em> no portal da transparência em suas <em>homepages</em>, e assim optou-se ao envio de e-mail aos responsáveis indagando sobre os resultados.</p> <p><strong>Contribuições</strong>: O estudo contribui para a gestão do governo do Estado de Goiás, motivo pelo qual financiou a pesquisa por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG); para a literatura específica, porque apresenta estudo empírico sobre regulações com mais de dezoito anos de vigência e fomenta discussão para futuras pesquisas.</p> Celma Duque Ferreira Gilberto Crispim Fabrícia Silva da Rosa Luiz Alberton Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID21524 Comportamento das despesas orçamentárias durante o período eleitoral: uma análise em painel de dados nos municípios brasileiros https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/21523 <p><strong>Objetivo</strong>: A partir da lente de ciclo orçamentário político (COP), investigou-se o comportamento das despesas empenhadas, dos gastos com investimentos e captação de empréstimos em período eleitoral, nos municípios brasileiros com população igual ou superior a 50 mil habitantes, no período de 2000-2016, compreendendo 353 <em>clusters</em> e 6001 observações. Investigou-se também se esses municípios cumprem as exigências legais sobre o uso de recursos orçamentários em ano de eleição. O estudo foi motivado pela falta de consenso na literatura sobre o tema em questão.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> Foram construídas quatro hipóteses de pesquisa para auxiliar na consecução dos objetivos propostos. Os dados foram coletados dos <em>sites</em> do IBGE, STE e STN. Os dados foram analisados por meio do método de dados em painel balanceado, agrupados por municípios e região, com aplicação de regressão <em>tobit</em> e testes de robustez de <em>Hausman</em>, <em>Breusch-Pagan Lagrange</em> e <em>F</em> de <em>Chow</em>. Esse método abrangeu intervalos de confiança em 99%, 77%, 79% e 84% de explicação de comportamento entre as variáveis.</p> <p><strong>Resultado:</strong> Os resultados apontam que não houve mudanças das despesas empenhadas antes, durante e após período eleitoral, independente de igualdades partidárias e eleições em dois turnos, diferente do resultado de alguns estudos. Já quanto aos gastos com investimentos e captação de empréstimos em período eleitoral, o estudo sugere aumento médio em 9% e 68% respectivamente, e isso é mais intenso quando há igualdade partidária entre governos municipais e estaduais, principalmente em processo de reeleição. Quanto ao cumprimento das exigências legais sobre uso de recursos orçamentários em ano eleitoral, o estudo indica que os governos locais não cumprem as exigências normativas.</p> <p><strong>&nbsp;</strong><strong>Contribuições do Estudo: </strong>contribui para a literatura específica, porque apresenta resultados robustos sobre a falta de consenso existente no tema em questão, com também para futuras pesquisas envolvendo municípios com menor população e comparação entre regiões e países.</p> Gilberto Crispim Luiz Alberton Celma Duque Ferreira Jorge Expedito de Gusmão Lopes Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID21523 Gestão pública e transparente à luz da lei de responsabilidade fiscal: uma análise nos municípios da região CRAJUBAR no período de 2012 a 2015 https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/21522 <p><strong>Objetivo</strong>: Verificar nos portais eletrônicos dos municípios do Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha (CRAJUBAR), as informações divulgadas acerca da gestão pública em atendimento à lei de responsabilidade fiscal, lei complementar 131/2009 e ao Decreto nº 7185/2010.</p> <p><strong>Metodologia</strong>: Estudo descritivo com abordagem qualitativa. Foram analisados os municípios da Região CRAJUBAR, localizados no sul do Ceará. Os dados utilizados para análise desta pesquisa correspondem ao período de 2012 a 2015 no que se refere aos instrumentos de transparência da gestão fiscal da LRF 101/2000 e o mês de janeiro de 2017 no que se refere à LC 131/2009 e ao Decreto nº 7.185/ 2010. A coleta destes ocorreu por meio dos portais eletrônicos de cada prefeitura. Para análise dos dados coletados, utilizou-se como ferramentas de apoio, a planilha eletrônica Excel versão 2013.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Concluiu-se que os gestores municipais das prefeituras pesquisadas não obedecem, na integralidade, à publicação em meio eletrônico dos instrumentos referente à transparência da gestão fiscal, no tocante à divulgação de informações pormenorizadas e em tempo real.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: Constatou-se a desobediência aos normativos analisados, implicando em uma verificação da eficiência da aplicação da legislação em análise. A evidenciação da transparência é essencial no processo de gestão. Aborda a discussão sobre a transparência dos recursos públicos constante na LRF e na Lei Complementar nº 131/2009, além de demonstrar a discussão sobre a gestão dos recursos em municípios do estado do Ceará.</p> Antonio Rafael Valério de Oliveira Bruno Rodrigues Cabral Milton Jarbas Rodrigues Chagas Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID21522 Evidenciação contábil dos recursos auferidos pelas OSCIPs do nordeste brasileiro: um enfoque nas subvenções e assistências governamentais https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/21520 <p><strong>Objetivo:</strong> Analisar o nível de evidenciação das principais fontes de recursos das Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs) situadas na região Nordeste do Brasil, enfocando as subvenções e assistências governamentais, uma vez que estas devem seguir normas, tais como o pronunciamento CPC 07 (R1) e a norma contábil NBC TG 07 (R2).</p> <p><strong>Metodologia: </strong>A pesquisa se caracteriza como um estudo descritivo, de natureza qualitativa e quantitativa, cujos dados foram coletados das demonstrações contábeis obtidas do <em>website</em> do Ministério da Justiça, referente aos anos de 2010 a 2014.</p> <p><strong>Resultados: </strong>Observou-se que apenas 27% das OSCIPs da região Nordeste evidenciaram as subvenções e assistências em conformidade com o pronunciamento e a norma citados, e que algumas instituições dessa região não publicam suas demonstrações contábeis em todo o período em análise. Além disso, os testes mostram que as OSCIPs da região Nordeste não apresentaram conformidade contábil quanto à evidenciação das subvenções e assistências governamentais auferidas, demonstrando uma necessidade de melhoria do processo de <em>accountability</em> pelas OSCIPs.</p> <p><strong>Contribuições do estudo: </strong>espera-se trazer o debate a respeito da necessidade da elaboração das demonstrações contábeis pelas OSCIPs, bem como da evidenciação de informações que são exigidas pelos CPCs e normas, para que os usuários tenham informações fidedignas sobre a realidade das organizações para o processo de tomada de decisão.</p> Milton Jarbas Rodrigues Chagas Danival Sousa Cavalcante Silvana Karina de Melo Travassos Suelem Katherinne de Macedo Pinto Polyandra Zampiere Pessoa da Silva Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 Tratamento e análise de resíduos da produção de açaí: um estudo sob a ótica da ecoeficiência https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/21519 <p><strong>Objetivo</strong>: Esta pesquisa teve como principal objetivo levantar junto aos estabelecimentos de venda de açaí da Região Metropolitana de Belém – PA (RMB), qual tratamento está sendo designado aos resíduos (caroços de açaí), tendo como parâmetros de análise o ponto de vista contábil e o socioambiental, sob a ótica da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), dentro de um contexto de ecoeficiência.</p> <p><strong>Metodologia</strong>:Foi realizada pesquisa exploratória, transversal, por meio de levantamento, junto à 80 estabelecimentos de produção de açaí da RMB.</p> <p><strong>Resultados</strong>: Os resultados apontaram que os respondentes, em parte, possuem conhecimento acerca da gestão socioambiental e do que é impacto socioambiental, entretanto, não possuem plano de gerenciamento de resíduos sólidos, e, na percepção da maioria deles, a obrigatoriedade de realizar a correta destinação dos caroços de açaí é da prefeitura, o que demonstra desconhecimento acerca das diretrizes da PNRS. Quanto ao tratamento dos resíduos do açaí, a maioria respondeu que os caroços são destinados a aterros, a despeito das possibilidades de reaproveitamento. Quando analisado o tratamento dos resíduos pela ótica contábil-financeira, observou-se como inexistente, o que pode estar associado com o tipo de formalização (ou a sua falta) e o fato de não terem apoio profissional para realizar a gestão do negócio.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo</strong>: O presente trabalho visa contribuir para a discussão acerca da importância de estabelecer planos de incentivo e/ou orientação para o reaproveitamento, para que os empreendedores de açaí possam desfrutar dos benefícios financeiros e melhor contribuir para a redução dos impactos ambientais, realizando uma gestão ecoeficiente.</p> Marcia Athayde Moreira Ana Lidia Ferreira de Sousa Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID21519 Estratégias para a economia de impostos: o Caso da Udi Bolos https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/21518 <p><strong>Objetivo</strong>: O caso da Udi Bolos discute sobre o planejamento tributário e o melhor regime de tributação a ser adotado por uma empresa de pequeno porte.</p> <p><strong>Metodologia:</strong> Este caso utiliza conteúdos tributários e apresenta discussões sobre evasão e elisão fiscais, evidenciando elementos de um dilema ético-contábil vivenciado por muitos negócios familiares.</p> <p><strong>Resultados:</strong> O empresário da Udi Bolos, Sr. Marcelo, em busca de diminuir os custos, recebe opiniões divergentes de dois contadores: agir dentro da legalidade fiscal ou sonegar. Após uma análise cuidadosa, o proprietário percebeu que é possível, com um bom planejamento tributário, obter economias para o negócio dentro da legalidade.</p> <p><strong>Contribuições do Estudo:</strong> O presente caso estimula a reflexão crítica dos discentes sobre os regimes tributários, com o intuito de reduzir a carga de impostos paga por empresas, sendo útil para a aprendizagem de conceitos em disciplinas associadas à legislação tributária e à análise de custos. Além disso, são realizadas reflexões éticas sobre o papel do contador no fornecimento de informações e na manipulação de dados econômico-financeiros.</p> Larissa Ribeiro Soares Sabrina Rafaela Pereira Borges Copyright (c) 2020 REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2020-07-01 2020-07-01 12 2 10.21680/2176-9036.2020v12n2ID21518