BiblioCanto https://periodicos.ufrn.br/bibliocanto <p style="margin: 0px; min-height: 50px; max-height: 125px; overflow: hidden; text-overflow: ellipsis;"><strong>Scope:</strong> A revista eletrônica Bibliocanto é uma publicação da Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), portanto, um espaço aberto para divulgação de pesquisas científicas, artigo, ensaio, relato de experiência, resenha, resumo, resumo expandido, na área da Biblioteconomia, Ciência da Informação e afins.</p> <p style="margin: 0px; text-align: left;"><strong>Área do conhecimento</strong>:Ciências Sociais Aplicadas <strong>Qualis/CAPES</strong>:- <strong>e-ISSN</strong>:2447-7842 <strong>Contato</strong>:<a title="E-mail" href="mailto:bibliocanto@bczm.ufrn.br" target="_blank" rel="noopener">bibliocanto@bczm.ufrn.br</a></p> pt-BR <p style="text-indent: 2em;">Os trabalhos publicados neste periódico podem ser disponibilizados em Repositórios Institucionais de Acesso Aberto.</p> <p style="text-indent: 2em;">Os conteúdos da Revista BiblioCanto estão licenciados sob uma Licença <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" rel="license">Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional</a>.</p> <p><a href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" rel="license"><img style="border-width: 0;" src="https://i.creativecommons.org/l/by/4.0/88x31.png" alt="Licença Creative Commons"></a></p> <p>Qualquer usuário tem direito de:</p> <ul> <li class="show">Compartilhar — copiar, baixar, imprimir ou redistribuir o material em qualquer suporte ou formato</li> <li class="show">Adaptar — remixar, transformar, e criar a partir do material para qualquer fim, mesmo que comercial.</li> </ul> <p>De acordo com os seguintes termos:</p> <ul> <li class="show">Atribuição — Você deve dar o crédito apropriado, prover um link para a licença e indicar se mudanças foram feitas. Você deve fazê-lo em qualquer circunstância razoável, mas de maneira alguma que sugira ao licenciante a apoiar você ou o seu uso.</li> <li class="show">Sem restrições adicionais — Você não pode aplicar termos jurídicos ou medidas de caráter tecnológico que restrinjam legalmente outros de fazerem algo que a licença permita.</li> </ul> bibliocanto@bczm.ufrn.br (Josiana Florêncio Vieira Régis/ Joyanne de Souza Medeiros) bibliocanto@bczm.ufrn.br (Monica Lima de Paiva) Fri, 11 Mar 2022 09:06:05 -0300 OJS 3.3.0.10 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Biblioteca Central Zila Mamede e o inventário de suas coleções especiais https://periodicos.ufrn.br/bibliocanto/article/view/25679 <p><span style="font-weight: 400;">No ano em que comemora sessenta anos de funcionamento, a Biblioteca Central Zila Mamede realiza o primeiro inventário automatizado do seu patrimônio bibliográfico. Patrimônio este constituído por diversas coleções, o que justifica o recorte feito à escrita do artigo: 9 coleções salvaguardadas no Setor de Coleções Especiais. A pesquisa é um relato de experiência, que objetiva documentar o planejamento, a metodologia utilizada e os resultados alcançados na realização do inventário das 9 coleções, objeto desse estudo, no intuito de contribuir com outras unidades informacionais na realização de seus inventários. Para tanto percorreu as etapas de convocação e capacitação da equipe; organização do acervo; realização da captura de códigos de barras dos materiais por meio do aplicativo Bib Inventário Mobile; avaliação dos dados; localização de erros; aplicação de soluções. Como resultados, o inventário apontou que 12,28% dos materiais cadastrados no sistema apresentavam algum tipo de ocorrência, sendo que a maioria delas não influenciava na busca e recuperação dos materiais. Após as devidas correções, 0,86% do total dos itens inventariados não foram localizados, resultado que, embora reduzido, a equipe espera eliminar nos próximos levantamentos. Finalmente, a atividade permitiu registrar e reparar possíveis erros, perdas e/ou danos, tanto nos materiais físicos como no sistema de gerenciamento do acervo, possibilitando à equipe envolvida um aprendizado significativo e, consequentemente, os seus resultados, servirão de base para o planejamento e tomada de decisões administrativas da biblioteca. </span></p> Tércia Maria Souza de Moura Marques, Maria do Socorro do Nascimento Oliveira, Rosa Ticiane de Oliveira Almeida, Angelike Katherine Pereira da Silva, Juliane medeiros de Lima Copyright (c) 2022 BiblioCanto https://periodicos.ufrn.br/bibliocanto/article/view/25679 Fri, 11 Mar 2022 00:00:00 -0300 Formação e produção científica docente: uma análise dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu da Escola de Ciência da Informação da UFMG https://periodicos.ufrn.br/bibliocanto/article/view/26880 <p><span style="font-weight: 400;">Este artigo tem por objetivo analisar a formação dos docentes dos Programas de Pós-Graduação </span><em><span style="font-weight: 400;">stricto sensu</span></em><span style="font-weight: 400;"> da Escola de Ciência da Informação (ECI) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A Escola abriga dois Programas de Pós-Graduação </span><em><span style="font-weight: 400;">stricto sensu</span></em><span style="font-weight: 400;"> em atividade, a saber: o Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) e o Programa de Pós-Graduação em Gestão e Organização do Conhecimento (PPGGOC), ambos integrantes da área de Comunicação e Informação com nota cinco na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior (CAPES). Os procedimentos de coleta de dados foram feitos na plataforma de currículos lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que reúne dados e informações acadêmicas de pesquisadores brasileiros. Os nomes dos docentes credenciados nos Programas de Pós-Graduação foram identificados nos sites destes. Quanto aos procedimentos de análise dos dados, utilizaram-se as seguintes categorias: Graduação, Mestrado, Doutorado, Mestrado e Doutorado, sem formação em Ciência da Informação. Os resultados apontaram um total de 44 professores/pesquisadores: 22 do PPGCI, 10 dos quais não possuem formação em Ciência da Informação, e 22 do PPGGOC, cinco dos quais sem formação em Ciência da Informação. Os professores/pesquisadores são oriundos de 13 áreas científicas em nível de graduação. A maioria deles (14) tem graduação em Biblioteconomia. Nota-se um percentual significativo de professores /pesquisadores sem formação em Ciência da informação. Excluídas a Biblioteconomia e Ciência da Informação, convém ressaltar que outras 11 áreas do conhecimento também estão presentes nas atividades de docência e pesquisa nos Programas de Pós-Graduação analisados.</span></p> Edcleyton Bruno Fernandes da Silva, Marlene Oliveira Copyright (c) 2022 BiblioCanto https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://periodicos.ufrn.br/bibliocanto/article/view/26880 Wed, 20 Apr 2022 00:00:00 -0300 Estratégia, método e conteúdo: três componentes para compreensão das campanhas contemporâneas de desinformação https://periodicos.ufrn.br/bibliocanto/article/view/27527 <p><strong>&nbsp;</strong><span style="font-weight: 400;">A profusão de desinformação na web atualmente ocorre com emprego de crescente refinamento e emprego de recursos tecnológicos, linguísticos e métodos capazes de amplificar seu alcance. O presente trabalho buscou compreender, a partir de revisão de literatura, estratégias, métodos e forma de organização do conteúdo nas campanhas de desinformação contemporâneas para propor um modelo para compreensão e análise dessas campanhas. Foram realizadas pesquisas em diversas bases de dados que resultaram na identificação de 18 trabalhos que discutem a dinâmica da desinformação – elementos constitutivos anteriores à manifestação do fenômeno. O conteúdo dessa revisão foi organizado em uma tipologia própria que permitiu conceber três componentes básicos das campanhas de desinformação contemporâneas: estratégia, método e conteúdo. O trabalho descreve e discute esses componentes, cuja compreensão contribui para a análise da desinformação e o desenvolvimento de ferramentas dissuasivas, mitigatórias ou corretivas. O trabalho evidenciou que as campanhas ocorrem com elevado grau de profissionalismo, planejamento e financiamento, de tal forma que soluções simplórias de enfrentamento da desinformação tendem a ser pouco eficazes. Ações de letramento e desenvolvimento de competências informacionais precisam ser acompanhadas de outras iniciativas por parte de governos e empresas de tecnologia da informação.&nbsp;</span></p> Max Silva, Beatriz Valadares Cendón Copyright (c) 2022 BiblioCanto https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://periodicos.ufrn.br/bibliocanto/article/view/27527 Thu, 21 Apr 2022 00:00:00 -0300 Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina: https://periodicos.ufrn.br/bibliocanto/article/view/28118 <p><span style="font-weight: 400;">Propõe-se como objetivo desse texto analisar a função social do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina na manutenção da memória nacional e na disseminação das informações custodiadas em seu acervo documental. Como procedimento metodológico, caracteriza-se como uma pesquisa qualitativa, que utiliza revisão bibliográfica e análise de fontes documentais para sua construção. Para atingir o objetivo proposto, optou-se por realizar uma contextualização da conjuntura histórica do final do século XIX, período em que o Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina foi criado. Também se analisa os impactos advindos da ausência de políticas públicas que impossibilitam o aperfeiçoamento dos serviços ofertados pela Instituição e aponta-se quais grupos sociais foram representados e esquecidos nas publicações da Instituição e como as múltiplas culturas contribuíram para formulação da identidade catarinense. Além disso, especifica-se a composição do acervo documental custodiada pela biblioteca e pelo arquivo, como também se discute como a Instituição pode contribuir com as práticas de acesso às informações para o efetivo uso dos registros documentais e para a ressignificação da memória. Como resultados, observa-se que um fator indispensável para as releituras da memória é o imperativo informacional custodiado pelas instituições de memória. Por fim, conclui-se que o Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina é um considerável </span><em><span style="font-weight: 400;">locus</span></em><span style="font-weight: 400;"> de memória nacional e produção do conhecimento identitários da sociedade catarinense.</span></p> Igor Oliveira Silva Copyright (c) 2022 BiblioCanto https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://periodicos.ufrn.br/bibliocanto/article/view/28118 Fri, 11 Nov 2022 00:00:00 -0300