https://periodicos.ufrn.br/mneme/issue/feed Mneme - Revista de Humanidades 2018-08-23T23:06:13+00:00 Helder Alexandre Medeiros de Macedo- Editor da Mneme heldermacedox@gmail.com Open Journal Systems <p style="margin: 0px;"><strong>Scope:</strong> Mneme - Revista de Humanidades (ISSN 1518-3394) é publicação semestral da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Departamento de História (CERES). Visa divulgar pesquisas acadêmicas originais e atuais no campo das Ciências Humanas.</p> <p style="margin: 0px; text-align: left;"><strong>Área do conhecimento</strong>:Ciências Humanas <strong>Qualis/CAPES</strong>:B2 <strong>e-ISSN</strong>:1518-3394 <strong>Contato</strong>:<a title="E-mail" href="mailto:heldermacedox@gmail.com" target="_blank" rel="noopener">heldermacedox@gmail.com</a></p> https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/15382 Editorial – História Política: novas propostas, velhos desafios 2018-08-22T19:07:43+00:00 Arthur Luís de Oliveira Torquato arthurlot@gmail.com Jailma Maria de Lima jailmalima@ig.com.br 2018-08-22T18:54:21+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/13352 Uma pequena revisão historiográfica sobre o Partido dos Trabalhadores e um objeto de pesquisa em pauta: 2018-08-23T22:33:50+00:00 Glauber Eduardo Ribeiro Cruz glaubereduardoribeirocruz@gmail.com <p>O texto tem o objetivo de revisar a historiografia do Partido dos Trabalhadores ressaltando as diferentes visões já estudadas e o objeto de pesquisa omisso, o parlamentar. Por meio das escolhas em cada tempo histórico ficou compreendido que os deputados federais e os senadores não tiveram importância nas análises realizadas. Com isso, ressaltamos três estudos envolvendo diretamente os congressistas petistas, as fontes partidárias como foco na função do parlamentar para o partido e como estes atuaram em três momentos distintos da história política do Brasil entre os anos de 1980 e 2000. O texto visa colocar o parlamentar como sujeito importante na política partidária e institucional no cenário brasileiro.</p> 2018-08-16T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/12947 Em nome(s) da imprensa no Rio Grande do Norte: 2018-08-23T22:37:33+00:00 Anderson Dantas da Silva Brito andersondsb16@yahoo.com.br <p>O presente trabalho analisa a organização político-partidária presente na Província do Rio Grande do Norte na penúltima década do século XIX, mais especificamente no momento de clivagem entre Império e República (1889), a partir de suas relações com a imprensa escrita visibilizada pelas atuações de atores políticos em alguns periódicos (jornais). Para aquela cultura política, os nomes - sejam os dos jornais; os dos principais representantes da política partidária que militavam nos periódicos; e, os de algumas espacialidades com representações associadas aos periódicos ou àqueles atores -, podem e são analisados para além da compreensão das ações cotidianas na política, sendo também visibilizados por suas formações educações e pelos cabedais que dispunham. O trabalho orientado pelas discussões teóricas sobre o imaginário social e a linguagem, discutidos por Cornelius Castoriadis (1982), articulado ao diálogo com fontes escritas, que foram orientadas pela Nova História Política problematizada por René Rèmond (1996), constatou que, para esse recorte temporal, as lideranças políticas se apropriaram dos “espaços” da imprensa escrita para divulgar os seus interesses. Considerando que, nesse recorte temporal, os jornais eram os principais veículos de divulgação de ideologismos, procuramos conduzir o caminho histórico para a compreensão da instauração da República no Rio Grande do Norte a partir das denominações.</p> 2018-08-16T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/13782 “Vamos para o club”: 2018-08-23T22:40:09+00:00 Paulo Rikardo Pereira Fonseca da Cunha prpfc1@yahoo.com.br <p>Pretende-se compreender como se organizou o movimento operário de Natal após o “movimento de 1930”, quando dois grupos distintos passaram a disputar a primazia entre dos trabalhadores da cidade: de um lado encontrava-se Café Filho e seus partidários, adeptos do sindicalismo oficial do governo Vargas; do outro os comunistas, que militavam por um movimento mais radical, contrários ao novo regime político e suas políticas sindicais. As ações de grupos tão diversos como os comunistas e os “cafeístas” foram pautadas pela necessidade de controlar uma maior parcela dos territórios operários de Natal, para com isso conseguir uma sólida base política. Controlar territórios significa controlar quem entra e quem sai e, principalmente, as condutas que devem seguir os que frequentam esses espaços. Nesse contexto, os trabalhadores não se estabeleciam como simples sujeitos passivos, eles ativamente aderiam a uma vertente política por acreditar que lhes traria maiores benefícios. A vertente de Café ofereceu aos trabalhadores as leis trabalhistas e a redução da jornada de trabalho; em troca, eles retribuíam com a sindicalização oficial e o apoio político. Os principais esteios que sustentam esse trabalho foram os conceitos de <em>culturas políticas</em> (BERSTEIN, 1998), <em>indivíduo e sociedade</em> (ELIAS, 1994;1995), <em>memória</em> (PORTELLI, 1993a;1993b) e <em>território</em> (GOMES, 2010). Quanto ao corpus documental foram analisados os periódicos <em>A República</em>, órgão oficial do governo, e O Jornal, de propriedade de Café Filho, além dos relatos memorialísticos de José Praxedes, liderança comunista, Café Filho e João Maria Furtado, juiz de direito e correligionário deste último.</p> 2018-08-14T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/12366 A Relação entre Participação, Representação e Compartilhamento do Poder: Uma Análise sobre os Conselhos Municipais De Assistência Social de Natal e Parnamirim 2018-08-23T22:41:46+00:00 Marta Maria Bezerra martass@hotmail.com.br <p>A Assistência Social, instituída pela Constituição de 1988, é dever do Estado e direito do cidadão que se realiza através de um sistema descentralizado e participativo a partir de um modelo de gestão democrática articulando Estado e sociedade civil no processo decisório e na fiscalização da sua execução, financiamento e efetividade. Os conselhos gestores assumem institucionalmente a prerrogativa de materializar a participação para a democratização e efetividade das políticas públicas. A literatura demonstra que essas instituições estão consolidadas para esse processo, contudo é necessário compreender a dinâmica de funcionamento dos conselhos e a sua relação com os órgãos gestores. Assim, o objetivo desse trabalho é analisar os conselhos municipais de Natal e Parnamirim no Rio Grande do Norte com base nos pressupostos das teorias da democracia participativa e deliberativa, bem como nas discussões sobre a <em>accountability</em>, buscando compreender como a participação, representação e compartilhamento do poder acontecem nessas instituições e como influenciam as gestões municipais.</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>Participação. Representação. Compartilhamento do Poder. Gestão Democrática.</p> 2018-08-16T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/9456 “Quem é rei nunca perde a majestade”? 2018-08-23T22:45:27+00:00 Marcos Lobato Martins lobatohistoria@hotmail.com <p>Há muitas pesquisas sobre a atuação de Juscelino Kubitschek de Oliveira na política de Belo Horizonte, Minas Gerais e do Brasil, mas pouco se escreveu sobre sua atuação em Diamantina, sua cidade natal. Com base em fontes locais diversas, este trabalho investiga a trajetória de JK na política diamantinense durante as décadas de 1930-70, analisando a construção da hegemonia juscelinista no município e as razões de sua derrocada após o golpe civil-militar de 1964.</p> 2018-08-16T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/15355 História, militância política e pesquisa 2018-08-23T22:49:45+00:00 Raimundo Nonato Pereira Moreira raimundononatopereiramoreira@yahoo.com.br Jailma Maria de Lima jailmalima@ig.com.br Arthur Luís de Oliveira Torquato arthurlot@gmail.com <p>Entrevista concedida à Professora Jailma Lima, da UFRN, pelo Prof. Raimundo Nonato Pereira Moreira, da UNEB, logo após sua participação no VII Colóquio Nacional de História Cultural e Sensibilidades, ocorrido no período de 07 a 11 de novembro de 2017 na cidade de Caicó-RN.</p> 2018-08-19T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/15391 Contrastación de un modelo de redes decisionales 2018-08-23T22:57:40+00:00 Cruz Garcí­a Lirios garcialirios@yahoo.com <p>Si consideramos a Internet como una red intencional de búsqueda de información destacaría una brecha digital entre quienes usan las redes sociales para entretenimiento y diversión frente a quienes buscan información en páginas de revistas. En este sentido, se llevó a cabo un estudio transversal de corte cuantitativo con una selección no probabilística de 253 estu-diantes del Estado de México para contrastar el supuesto de ocho dimensiones de la inten-ción de buscar información para fines académicos. Se construyó una escala para medir la variable psicosocial y poder establecer su distribución normal, confiabilidad y validez. A partir de un modelo estructural [X2 = 24,36 (16gl) p = 0,000; GFI = 1,000M RMR = 0,000], la ansiedad fue el factor reflejante del constructo “Red Intencional” (β = 0,53) en referencia a las otras siete dimensiones especificadas el aporte de la presente investigación fue discutido.</p> 2018-08-23T22:57:40+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/10663 A japonologia de Lafcadio Hearn 2018-08-23T23:01:15+00:00 Edelson Geraldo Gonçalves edelsongeraldo@yahoo.com.br <p>Este artigo tem como tema a japonologia (campo do orientalismo que estuda a cultura japonesa) de Lafcadio Hearn (1850-1904), buscando identificar o contexto no qual o autor conduziu suas pesquisas e quais foram as principais influências sobre seu trabalho (Percival Lowell e Fustel de Coulanges), assim como a natureza das conclusões que tirou sobre a cultura japonesa. Para isso definiremos o conceito de “japonologia” e abordaremos o “estado da arte” desse campo existente no momento em que Hearn conduzia suas pesquisas, e posteriormente faremos uma análise de seus livros <em>Glimpses of Unfamiliar Japan </em>(1894) e <em>Japan: An Attempt at Interpretation</em> (1904).</p> 2018-08-19T00:00:00+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/15392 Anais do I Seminário Interno do LHCP 2018-08-23T23:06:13+00:00 Evandro dos Santos evansantos.hist@gmail.com <p>Seminário do Laboratório de História e Práticas de Pesquisa (LHCP), do Departamento de História do Centro de Ensino Superior do Seridó (CERES), da UFRN, realizado no dia 26 de outubro de 2016</p> 2018-08-23T23:06:12+00:00 ##submission.copyrightStatement##