CHAMADA PARA SUBMISSÃO DE ARTIGOS PARA O DOSSIÊ "De(s)colonizando a pandemia"

22-02-2021

                                                               De(s)colonizando a pandemia

                                                                                                                                       

 

                                                                                                                                                    Jean Segata (UFRGS, Brasil)

                                                                                                         Andrea Mastrangelo (UNSAM/CONICET, Argentina)

                                                                                                                                                      Rozeli Porto (UFRN, Brasil)

 

 

A natureza episódica e excepcional de uma crise em tempo real, como a pandemia de Covid-19, impele respostas imediatas. Acontece que quase sempre elas tendem a dificultar modelos explicativos locais. O discurso vírus-cêntrico é o melhor exemplo. A pandemia tem sido encapsulada pelo novo coronavírus e as explicações tecnocráticas e elitistas da biomedicina hegemônica em torno dele. Algumas vezes, conhecimentos e terapêuticas tradicionais ou culturalmente situadas para o cuidado e a cura de si e de certas coletividades são rechaçados pela opinião pública e acadêmica no registro do que é fake ou do negacionismo. Conhecer o vírus é fundamental, mas a sua superexposição costuma desviar a atenção dos agravantes locais constituídos de profundas estruturas de desigualdade e injustiça social.

O conhecimento científico e o desenvolvimento tecnológico associado são um porto seguro, mas a sua hegemonização centrada nos modelos globais da biomedicina enfraquece a diversidade de saberes. O ponto é que o negacionismo científico é tão perigoso quanto o negacionismo social e cultural. Assim, o propósito deste dossiê de Vivência - Revista de Antropologia é de de(s)colonizar a pandemia. Por meio de trabalhos que ajudem a tensionar a narrativa hegemônica que se constituiu em torno do “coronavírus”, o objetivo é colocar em evidência a complexidade do que mais compõe com ele uma situação de pandemia e os conhecimentos e as práticas locais para a sua análise e resposta.

As/os autores/as devem submeter seus textos, seguindo normas do periódico, por meio do portal https://periodicos.ufrn.br/vivencia/index até o dia 31 de julho de 2021. O número está previsto para o segundo semestre de 2021. A revista Vivência publica textos em português, francês, espanhol e inglês.

Para mais informações, enviar mensagem para o e-mail: vivenciareant@yahoo.com.br indicando como assunto da mensagem o tema do dossiê: "De(s)colonizando a pandemia".

É indispensável que as/os autores que observem as normas da Vivência [em: https://periodicos.ufrn.br/vivencia/about/submissions] antes de submeterem as suas propostas.