OS PROCESSOS DE IMPIEDADE CONTRA OS FILÓSOFOS NA ATENAS CLÁSSICA

Autores

  • Priscilla Gontijo Leite

Resumo

Na Atenas do século V e IV a.C. vários filósofos foram processados por crimes de impiedade por causa da divulgação de suas ideias, que por vezes colocam em xeque os valores tradicionais da sociedade. O presente trabalho tem o objetivo de demonstrar o fenômeno da impiedade no contexto grego antigo e suas implicações na esfera jurídica para entender as razões pela qual a impiedade se tornou uma ferramenta eficaz na acusação contra os filósofos. O trajeto investigativo será a discussão do conceito de impiedade e a demonstração breve de um levantamento dos filósofos processados no período. O objetivo é demonstrar a causa da acusação e não fazer uma análise aprofundada do pensamento e da obra de cada filósofo. Percebe-se que a maioria das acusações de impiedade contra os filósofos é motivada por interesse políticos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Priscilla Gontijo Leite

Doutora em Mundo Antigo pela Universidade de Coimbra com a tese "Ética e retórica forense: asebeia e hybris na caracterização dos adversários em Demóstenes". Mestre em História pela Universidade Federal de Minas Gerais com a dissertação "Contra Mídias: a utilização da impiedade por Demóstenes". Possui graduação em História com habilitação em licenciatura pela Universidade Federal de Minas Gerais. Possui experiência na área de docência e de pesquisa.

Downloads

Publicado

02-05-2014

Como Citar

LEITE, P. G. OS PROCESSOS DE IMPIEDADE CONTRA OS FILÓSOFOS NA ATENAS CLÁSSICA. Revista Alétheia, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 61–81, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/aletheia/article/view/6151. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos