IDENTIDADE E ALTERIDADE EM HERÓDOTO: VISÃO DE UM GREGO A RESPEITO DOS EGÍPCIOS

  • Liliane Pessoa
  • Arthur Fabrício

Resumo

Considerando os avanços dos estudos acerca da etnicidade, alteridade e identidade no campo da História Antiga, o referido artigo se propõe a compreender as relações entre gregos e os “outros”, tomando como referência os três primeiros livros das Histórias de Heródoto. A análise do livro I Clio permite a identificação dos aspectos relevantes à compreensão do livro II e III, indicando qual o sentido de História, além da descrição dos outros povos. Com o intuito de registrar os grandes feitos de gregos e bárbaros, Heródoto apresenta a sua narrativa sobre os outros, tentando se “distanciar” da sua condição de grego, para mostrar as visões existentes sobre um determinado povo. Nos livros II e III – Euterpe e Tália – pretende-se observar como os egípcios, baseando-se no método de análise do discurso aplicado pelo historiador François Hartog, em sua obra O Espelho de Heródoto. Pretende-se, por fim, fazer uma crítica à fonte e identificar aspectos relevantes que podem ser entendidos sobre aquela civilização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liliane Pessoa
Licenciada em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.Graduanda em História, na modalidade bacharelado, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.Membro do grupo MAAT- Núcleo de Estudo de História Antiga.
Arthur Fabrício
Licenciado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.Graduando em História, na modalidade bacharelado, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.Membro do grupo MAAT- Núcleo de Estudo de História Antiga.Assistente em Administração - Biblioteca Central Zila Mamede - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Publicado
04-05-2014
Como Citar
PESSOA, L.; FABRÍCIO, A. IDENTIDADE E ALTERIDADE EM HERÓDOTO: VISÃO DE UM GREGO A RESPEITO DOS EGÍPCIOS. Revista Alétheia, v. 9, n. 1, p. 142-159, 4 maio 2014.
Seção
Artigos