SAGAS DE FAMÍLIAS E CIVISMO ROMANO NA NARRATIVA LIVIANA

  • Breno Gomes de Lima Amorim

Resumo

Os exemplos individuais de um membro de uma gens, apresentados por Tito Lívio (59 a.C -17 d. C.), são essenciais na construção de um manual de civismo para os cidadãos de sua época. A falta de disciplina do cidadão é resultado da atenção dada à riqueza e ao luxo e, consequentemente, este afrouxamento dos costumes faz com que os indivíduos reneguem sua própria pátria, colocando em evidência os interesses individuais e desprezando os interesses da república. Assim, Lívio instrui seus contemporâneos, a partir de feitos familiares, para indicar a importância de imitação dos comportamentos dos homens e mulheres que se destacaram pela temperança, piedade, virtude e todos os costumes engendrados pelo passado romano. A imitação de atitudes de homens e mulheres virtuosos é a condição essencial para Roma recuperar a sua glória perdida, vista na observação das normas políticas, militares e religiosas. Para Tito Lívio, a família constitui um elemento fundamental na construção e formatação do civismo romano, pois este elemento social possibilitou a narração de gentes que fizeram engrandecer o nome de Roma. Destarte, procuramos neste trabalho relacionar a contribuição de narrativas de famílias na história exemplar de Tito Lívio.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
12-02-2015
Como Citar
AMORIM, B. SAGAS DE FAMÍLIAS E CIVISMO ROMANO NA NARRATIVA LIVIANA. Revista Alétheia, v. 9, n. 2, p. 1-9, 12 fev. 2015.
Seção
Artigos