UM ESPELHO SOBRE O PASSADO: BREVE ANÁLISE SOBRE MEMÓRIA DA INTERTEXTUALIDADE NA OBRA O ASNO DE OURO

  • Liliane Pessoa

Resumo

Com o passar dos anos, muitas pesquisas sobre a obra apuleiana, com diferentes enfoques, vem ganhando espaço no cenário da historiografia atual. Contribuindo com esta perspectiva, este trabalho objetiva apresentar outro viés nos estudos sobre a obra O Asno de Ouro, escrita no século II d.C. De acordo com a literata alemã Renate Lachmann, uma obra, seja ela qual for, corresponde a uma junção de vários outros textos, através de trocas e contatos, formais e semânticos, o que a autora denomina como intertextualidade. Esta, por sua vez, será a responsável por formar a memória de um texto e surge no ato da escrita, à medida que cada novo ato de escrita é um percurso no espaço entre os textos existentes. Assim, conforme Aleida Assmann, quem escreve, permanece. Ora, esta frase resume exatamente a que este trabalho se propõe: analisar a obra O Asno de Ouro, do escritor madaurense Apuleio, através do conceito de memória da intertextualidade, buscando identificar e avaliar a presença de outros textos nos escritos apuleianos, a fim de compreender as intenções do autor ao referenciar outras obras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liliane Pessoa

Licenciada em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Graduanda em História, na modalidade bacharelado, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Membro do grupo MAAT- Núcleo de Estudo de História Antiga.

Publicado
14-02-2015
Como Citar
PESSOA, L. UM ESPELHO SOBRE O PASSADO: BREVE ANÁLISE SOBRE MEMÓRIA DA INTERTEXTUALIDADE NA OBRA O ASNO DE OURO. Revista Alétheia, v. 10, n. 1, p. 69-78, 14 fev. 2015.
Seção
Artigos