“ABRINDO A CAIXA DE PANDORA”: APROPRIAÇÕES DA NOSOLOGIA HIPOCRÁTICA NA REPRESENTAÇÃO DA DOENÇA NA ESCRITA DE HERÓDOTO

  • Juliene Vieira Câmara
  • Marinalva Vilar Lima Universidade Federal de Campina Grande- UFCG

Resumo

Reconhecendo os bárbaros como dotados de outros nómoi, Heródoto cultua as diferenças culturais entre povos, fundamentando suas proposições com dados colhidos, que molda, aperfeiçoa e recria. Diante de tal pensamento, pretendemos demonstrar através de nossas investigações, como Heródoto apropria-se dos preceitos nosológicos contidos no Corpus Hipocraticum, referentes à compreensão que se tinha na Grécia em relação ao conceito e significado do binômio saúde-doença, tentando fazer perceber como estes entediam e tratavam suas doenças. Explicando por meio de uma espécie de retórica da alteridade como Heródoto da à forma ao tema doenças, para então representar o outro, ou seja, os ditos povos “bárbaros” através da apresentação dos seus costumes ao longo de sua narrativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
14-02-2015
Como Citar
CÂMARA, J. V.; LIMA, M. V. “ABRINDO A CAIXA DE PANDORA”: APROPRIAÇÕES DA NOSOLOGIA HIPOCRÁTICA NA REPRESENTAÇÃO DA DOENÇA NA ESCRITA DE HERÓDOTO. Revista Alétheia, v. 10, n. 1, p. 1-13, 14 fev. 2015.
Seção
Artigos