IDENTIDADES CRISTÃS NA ANTIGUIDADE TARDIA: RESSIGNIFICAÇÕES DOS VALORES E PRÁTICAS ROMANAS NA APOLOGIA DE TERTULIANO

  • Talita Oliveira Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Resumo

O presente artigo analisa a escrita de Tertuliano, teólogo africano do século II, considerando as articulações feitas pelo autor com outras produções e discursos da época. Sua principal obra Apologia (197) se configura no momento de conflitos entre a religião emergente, o cristianismo, e as crenças tradicionais dos romanos. Neste contexto, buscamos estudar as contribuições de Tertuliano no processo de construção de uma identidade para o cristianismo em sua fase inicial, que posteriormente influenciou o pensamento cristão ocidental. Examinamos as semelhanças e diferenças entre os mecanismos de legitimação de uma “moral cristã”, marcada pela apropriação e (re)significação dos valores morais dos antigos, no qual Tertuliano coloca os romanos como o “outro” num cenário em que era preciso constituir um ideal de identidade para o cristianismo. Neste sentido, problematizamos os discursos de Tertuliano a partir do diálogo com escritores clássicos e estudiosos contemporâneos que nos permitem compreender o jogo de alteridade presente nas relações entre os dois modelos de “moral” existentes neste contexto histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
14-02-2015
Como Citar
OLIVEIRA, T. IDENTIDADES CRISTÃS NA ANTIGUIDADE TARDIA: RESSIGNIFICAÇÕES DOS VALORES E PRÁTICAS ROMANAS NA APOLOGIA DE TERTULIANO. Revista Alétheia, v. 10, n. 1, p. 60-68, 14 fev. 2015.
Seção
Artigos