NARRATIVAS DA PESTE NA HISTÓRIA DA GUERRA DO PELOPONESO DE TUCÍDIDES

  • Marinalva Vilar de Lima UAHIS/UFCG

Resumo

Tucídides, General e estadista ateniense, dedicou parte de seu tempo à narrativa da guerra que para ele fora o acontecimento digno de ser mimetizado para a posteridade: a história da guerra do Peloponeso. Conflito iniciado em 431 a.C., a partir de que as cidades de Atenas e Esparta levaram as demais cidades gregas a se organizarem nas ligas de Delos, de apoio à Atenas, e a do Peloponeso, dos aliados de Esparta. Em meio à narrativa dos antecedentes da guerra, no Livro II, Tucídides insere a temática da peste localizando-a no momento em que a Ática é invadida. Invasão narrada após destacar o discurso fúnebre feito por Péricles em homenagem às vítimas daquele primeiro ano da guerra. O flagelo da peste vai se fazer presente entre os atenienses, concomitantemente a entrada dos inimigos no território ático, agravando a situação de calamidade que vai assolar os atenienses e seus aliados. Apesar da peste já ter se dado em outros lugares, antes de acometer a população de Atenas, Tucídides considera que nesta cidade ela assumiu proporção tamanha que veio a colocar a prova todos os recursos médicos e as práticas costumeiras da população em face às doenças, demonstrando grande sensibilidade de percepção para um aspecto, aparentemente irrelevante. Com isso, mobiliza os sentidos do leitor para a eleição da cidade de Atenas enquanto opção a ser assumida na compreensão que quer mimetizar sobre o relato da guerra.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
14-02-2015
Como Citar
LIMA, M. V. DE. NARRATIVAS DA PESTE NA HISTÓRIA DA GUERRA DO PELOPONESO DE TUCÍDIDES. Revista Alétheia, v. 10, n. 1, p. 30-40, 14 fev. 2015.
Seção
Artigos