DA PERDA DE TODOS À PERDA DE SI: AS MULHERES NO CONTEXTO PÓS-GUERRA EM AS TROIANAS DE EURÍPIDES

Autores

  • Valtyana Kelly Silva
  • Marinalva Vilar de Lima UFCG

Resumo

Ao ouvirmos falar em guerras adentramos diretamente em um mundo masculino. Pensamos nos homens em combates, nas mortes, nas vitórias, e nos demais acontecimentos provenientes da batalha. E as mulheres, em especial as esposas e mães dos homens que vão à guerra? Ou as que residem nas cidades destruídas? O que acontece com elas? Tendo em vista os questionamentos alçados, o artigo tem por objetivo analisar a obra As Troianas de Eurípides, poeta trágico grego que viveu em meados de 480 a.c. à 408 a.c., visando expor que apesar de geralmente não participarem ativamente das guerras, as mulheres são atingidas diretamente por elas. Relegadas ao esquecimento, veem filhos, maridos e netos sendo mortos, tornam-se prisioneiras e nas partilhas, são concedidas aos seus novos senhores. Objetiva também explicar a visão de um dramaturgo, que apesar de grego, tece no decorrer da obra inúmeras críticas ao seu povo, com a intenção de manifestar-se contra a alguns empenhos políticos no contexto em que vivia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14-02-2015

Como Citar

SILVA, V. K.; LIMA, M. V. de. DA PERDA DE TODOS À PERDA DE SI: AS MULHERES NO CONTEXTO PÓS-GUERRA EM AS TROIANAS DE EURÍPIDES. Revista Alétheia, [S. l.], v. 10, n. 1, p. 109–117, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/aletheia/article/view/6688. Acesso em: 12 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos