Fogo Morto e a recepção da crítica literária

  • Izabel Cristina da Costa Bezerra Oliveira
Palavras-chave: Literatura, Romance, Crítica Literária, História e Sociedade

Resumo

O presente estudo faz uma leitura sobre as várias relações que a crítica literária pode expressar com a sociedade, a História e o leitor. Toma-se como ponto de partida as ideias de Antonio Candido, Alfredo Bosi, Hans Robert Jauss e Octávio Paz. A segunda parte da análise comporta a receptividade da crítica sobre o romance Fogo morto, de José Lins do Rêgo, no momento de sua publicaçáo em 1943 até a contemporaneidade.

 

Izabel Cristina da Costa Bezerra Oliveira é professora de Literatura Luso-Brasileira e Literatura Infanto-juvenil da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte. Doutora em Literatura Comparada pela UFRN e Pesquisadora dos Grupos de Pesquisa PRADILE/UERN e Estudos da modernidade/NCCEN/UFRN.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
17-10-2011
Como Citar
OLIVEIRA, I. C. DA C. B. Fogo Morto e a recepção da crítica literária. Imburana: revista do Núcleo Câmara Cascudo de Estudos Norte-Rio-Grandenses, v. 2, n. 4, p. 45-58, 17 out. 2011.