A CRISE ECONÔMICA MUNDIAL E SEUS IMPACTOS NA ECONOMIA BRASILEIRA

  • Wallace da Silva de Almeida UFRN
  • Denílson da Silva Araújo UFRN

Resumo

Este artigo busca analisar a partir de uma abordagem dialética os efeitos iniciais gerados a partir da crise financeira que eclodiu nos Estados Unidos da América no ano de 2008 e que afetaram, direta ou indiretamente, grande parte dos países do mundo provocando, desde então, modificações importantes no plano político-econômico internacional. Buscar-se-á realizar uma brevemente análise a cerca das ações tomadas pelo governo brasileiro a fim de minimizar os efeitos potencialmente negativos que a crise financeira poderia - não fosse uma efetiva atuação do Estado - ter gerado aos setores produtivos nacionais, deprimindo o nível de produção, emprego e renda do país. Diante de tal ambiente de incertezas criado a partir da conjuntura econômica mundial no período abriu-se espaço para que outros atores assumam papéis mais relevantes do plano político e econômico internacional. O BRICS é o mais notável exemplo disso. Os países membros do agrupamento passaram a assumir um espaço importante no processo de tomada de decisão em âmbito internacional. Apesar disto o grupo permanece mantendo relações assimétricas entre seus componentes, tanto no âmbito comercial como no âmbito dos investimentos, com grande predomínio chinês sobre os demais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wallace da Silva de Almeida, UFRN
Graduando em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Denílson da Silva Araújo, UFRN
Professor Adjunto do Departamento de Economia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Publicado
01-04-2016
Como Citar
ALMEIDA, W. DA S. DE; ARAÚJO, D. DA S. A CRISE ECONÔMICA MUNDIAL E SEUS IMPACTOS NA ECONOMIA BRASILEIRA. Revista de Economia Regional, Urbana e do Trabalho, v. 2, n. 2, 1 abr. 2016.