O FENÔMENO DA ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO NO RIO GRANDE DO NORTE

  • Denilson da Silva Araujo UFRN
  • Rebeca Marota da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Noret

Resumo

Analisa a real contribuição das Zonas de Processamento de Exportações (ZPEs), no mundo, no Brasil e, em particular, no Rio Grande do Norte no que tange a integração econômica de diferentes áreas produtivas e a dinamização de seus processos de crescimento e de desenvolvimento econômicos. A partir do debate nacional entre os que são a favor e contra a implantação de zonas de exportações em regiões específicas, a análise parte do registro da importância das ZPEs em países que optaram em diferentes momentos históricos, para o aumento dos investimentos produtivos e para a diversificação da produção e de suas exportações a partir da inovação, notadamente em suas políticas fiscais. Nesses países desenvolvidos e em desenvolvimento as ZPEs mostraram-se muito mais eficientes no que tange a captação de novos blocos industriais, de aumento de produção e de exportações mais elaboradas. Conclui-se que essa eficiência não tem se manifestado no Brasil, onde as ZPEs funcionam de forma não integrada a um projeto nacional de industrialização e muito menos no Rio Grande do Norte, onde o fenômeno da ZPE é significativamente ineficiente e por esse motivo não passa de um mito quanto à sua contribuição para o desenvolvimento e a integração econômica estadual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denilson da Silva Araujo, UFRN
Dr. em Desenvolvimento Econômico e Regional
Publicado
11-09-2018
Como Citar
ARAUJO, D. DA S.; DA SILVA, R. M. O FENÔMENO DA ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO NO RIO GRANDE DO NORTE. Revista de Economia Regional, Urbana e do Trabalho, v. 7, n. 1, p. 56-82, 11 set. 2018.