ESPAÇO AGRÁRIO ALAGOANO

AVANÇOS DA MODERNIZAÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA NA AGROINDÚSTRIA SUCROENERGÉTICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2177-8396.2021v33n3ID27421

Resumo

A economia e a sociedade alagoana estruturaram-se mediante a cultura da cana-de-açúcar, delineando seu território e os sistemas de exploração, tendo no engenho o primeiro motor da economia, precursor das modernas agroindústrias sucroenergéticas. A transição do século XX ao XXI traz transformações significativas para o campo brasileiro, as quais atingem diretamente o espaço agrário de Alagoas, intensificadas através do processo de globalização e das imposições do mercado global. Destarte, as agroindústrias alagoanas passaram a se moldar conforme às exigências de competitividade econômica do período atual, contando com investimentos governamentais, usos de novas terras (os tabuleiros costeiros) e presença de novos objetos técnicos-científicos-informacionais (fertilizantes, colheitadeiras, sistemas de irrigação, mudanças administrativas etc.) no espaço agrário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paul Firmino, Universidade de São Paulo/USP

Doutorando do Programa de Pós-graduação em Geografia Humana/PPGH da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas/FFLCH da Universidade de São Paulo/USP (2017 - atual). Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo/FAPESP. Pesquisador do grupo de pesquisa Geografia e Gênero: trabalho e produção no campo brasileiro - competitividade econômica e resistência - no século XXI, no Laboratório de Geografia Política e Planejamento Territorial e Ambiental/LABOPLAN/USP, coordenado pela Prof. Dra. Rosa Ester Rossini do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo. Pesquisador do Laboratório de Geografia Econômica e Planejamento Territorial/LAGEP/UNEAL - Campus V União dos Palmares.

Downloads

Publicado

18-03-2022

Como Citar

FIRMINO, P. ESPAÇO AGRÁRIO ALAGOANO: AVANÇOS DA MODERNIZAÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA NA AGROINDÚSTRIA SUCROENERGÉTICA. Sociedade e Território, [S. l.], v. 33, n. 3, p. 159–181, 2022. DOI: 10.21680/2177-8396.2021v33n3ID27421. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/sociedadeeterritorio/article/view/27421. Acesso em: 17 ago. 2022.