A TEORIA DA ANOMIA SOCIAL NO ESTUDO CRIMINAL

UMA ABORDAGEM A PARTIR DAS SOCIOLOGIAS DE DURKHEIM E MERTON

  • Martin Ramalho de Freitas Leão Rego UFAL - Universidade Federal de Alagoas
Palavras-chave: Anomia, Criminologia, Émile Durkheim, Roberto Merton

Resumo

O presente estudo avalia as bases teóricas da teoria da anomia social através da revisão das principais obras de seus representantes primários: Émile Durkheim e Robert Merton. Assim, objetiva-se rediscutir seus conceitos fundamentais, confrontando-os com estudos sociológicos e criminológicos contemporâneos e ligados ao contexto brasileiro. Desse modo, utiliza-se, como método, a revisão sistemática de literatura, pela qual foi possível traçar um paralelo entre as ideias originais e suas transformações ao longo do tempo, bem como a sua atualidade e suas influências à criminologia. Portanto, concluiu-se pela atualidade dos conceitos sociológicos que compõem a teoria da anomia social, bem como a sua pertinência para o estudo criminal hodierno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Martin Ramalho de Freitas Leão Rego, UFAL - Universidade Federal de Alagoas

Graduando em Direito pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL), monitor da disciplina Criminologia, membro do Núcleo de Estudos e Políticas Penitenciárias (NEPP), grupo de pesquisa registrado no CNPq, e do projeto de extensão Reconstruindo Elos: Ações interdisciplinares de cidadania e direitos humanos em unidades prisionais de Maceió.

Publicado
15-02-2020
Como Citar
RAMALHO DE FREITAS LEÃO REGO, M. A TEORIA DA ANOMIA SOCIAL NO ESTUDO CRIMINAL. Revista Transgressões, v. 7, n. 02, p. 199-223, 15 fev. 2020.
Seção
Artigos