Feminismo, mercado de sexo e turismo: reflexões sobre as múltiplas faces e interpretações do sexo mercantil

Autores

  • Tiago Cantalice

Resumo

O consumo de sexo por mulheres vem sendo estudado desde a década de 1990 e desestabiliza o discurso vitimizante de certas alas da teoria feminista que encaravam a prostituição como uma atividade generificada, haja vista o tom radical com o qual se combatia  essa  atividade,  tida  muitas  vezes  como  o  expoente-mor  da  dominação masculina.  Por  outro  lado,  o  turismo  sexual  era  enquadrado  como  uma  atividade formadora do  ethos masculino  contemporâneo. Contudo,  a  emergência dessa nova vertente do turismo sexual revela o teor moralista do discurso das abolicionistas. Em Pipa – RN, turistas estrangeiras empreendem relacionamentos afetivo-sexuais com os caça-gringas mediados por trocas simbólico-materiais. Esse fenômeno desfaz binômios do tipo mulher-servidora sexual/ homem-cliente, e força-nos a empreender uma análise de gênero em correlação a outros eixos de poder.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

27-11-2012

Como Citar

CANTALICE, T. Feminismo, mercado de sexo e turismo: reflexões sobre as múltiplas faces e interpretações do sexo mercantil. Bagoas - Estudos gays: gêneros e sexualidades, [S. l.], v. 2, n. 03, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/bagoas/article/view/2288. Acesso em: 13 ago. 2022.