Novos mapas de (trans) sexualidade e de gênero: pistas para pensar políticas trans e práticas pedagógicas

Autores

  • Thiago Ranniery Moreira de Oliveira
  • Claudiene Santos

Resumo

Esse artigo parte de três preocupações distintas: insistir que modos de ver e interpretar a transexualidade como um tipo de sujeito pode tornar-se um movimento de definição da própria transexualidade; um imperativo de deslocamento da imagem dogmática e escolarizada da pedagogia, um território avesso, ao primeiro momento, à experimentação de práticas sexuais não normatizadas; e, finalmente, uma análise daquilo que gostaríamos de chamar, de novos mapas culturais de sexualidade e gênero e seus desdobramentos sobre o campo pedagógico. O argumento, aqui, desenvolvido, é de que as políticas trans pressupõem, por um lado, uma pedagogia e, por outro, fazem da pedagogia um objeto disputado e, porque não, a ser inventado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

11/28/2012

Como Citar

OLIVEIRA, T. R. M. de; SANTOS, C. Novos mapas de (trans) sexualidade e de gênero: pistas para pensar políticas trans e práticas pedagógicas. Revista Cronos, [S. l.], v. 11, n. 2, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/cronos/article/view/2152. Acesso em: 17 abr. 2024.