Estar e não estar lá, eis a questão: pesquisa etnográfica no Second Life

Autores

  • Débora Krischke Leitao Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
  • Laura Graziela Gomes Universidade Federal Fluminense (UFF)

Resumo

Partindo de nossas experiências de pesquisa no Second Life, discutimos nesse artigo algumas particularidades da etnografia em ambientes digitais imersivos online. Nossas reflexões versam sobre a noção de ambiente e sua importância no trabalho de campo, sobre os desafios gerados pelo processo de dividuação característico dos mundos virtuais 3D e sobre os engajamentos recíprocos entre o pesquisador e seu avatar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Krischke Leitao, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Doutora em Antropologia Social pela UFRGS (2007), professora do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da UFSM.

Laura Graziela Gomes, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Doutora em Antropologia pela Universidade de São Paulo (1997) e professora do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Downloads

Publicado

06/04/2013

Como Citar

LEITAO, D. K.; GOMES, L. G. Estar e não estar lá, eis a questão: pesquisa etnográfica no Second Life. Revista Cronos, [S. l.], v. 12, n. 2, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/cronos/article/view/3159. Acesso em: 29 maio. 2024.