História da donzela Teodora: uma narrativa de transgressão feminina em direção ao reino da alma selvagem

  • Luciana Carlos Celestino

Resumo

Ao adentrar o mundo da literatura com a história da Donzela Teodora e o universo do mito, com as histórias deLilith, Eva, Pandora, Psique e Cheherazade, percebemos um processo similar, arquetípico: é preciso um ato transgressorpara que uma nova ordem se estabeleça. A mulher aparece no cerne desse movimento, pois figura comoo princípio da criação, da inquietação e, portanto, da continuidade da vida. Este processo, que significa o desenvolvimentodo conhecimento e da individuação no ser humano, se dá miticamente através da tríade: curiosidade(pelo que está interditado) – transgressão de normas – obtenção do conhecimento. Este movimento de desorganizaçãocausado pela curiosidade, transgressão e domínio do conhecimento implica nos mitos aqui abordadossofrimento, perdas e punições para seus atores. A maturação psíquica e o domínio do próprio destino só parecemser alcançados a custa de muito esforço e superação de obstáculos. A narrativa da donzela Teodora é tomada comofio condutor desta pesquisa porque a transgressão, personificada pela própria Donzela, mulher que, apesar dedetentora de todo conhecimento, ao contrário dos outros mitos relatados, não é punida, mas exaltada. Teodoraaparece como uma personagem emblemática que transita pelo mundo feminino – pela anima, desordem que cria –e pelo mundo masculino – pelo ânimus, que põe em ação a força de realização. Pode ser entendida como umaexpressão da totalidade psíquica do ser humano, sua androginia fundamental.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
09-01-2013
Como Citar
CELESTINO, L. C. História da donzela Teodora: uma narrativa de transgressão feminina em direção ao reino da alma selvagem. Revista Cronos, v. 8, n. 1, 9 jan. 2013.