A democracia na miséria

Autores

  • Aécio Gomes de Matos UFPE

Resumo

O acesso à educação e à saúde influencia diretamente nacapacidade dos segmentos sociais defenderem seus direitosda cidadania, tendendo a agravar as desigualdades e aexclusão social, ao mesmo tempo em que reforça o poderdos grupos hegemônicos que controlam a economia e apolítica. O senso comum internaliza esse ciclo perversocomo inerente à natureza dos sistemas sociais e alimentao descrédito nas instituições, enviesadas pelos interessesdas elites. São o alheamento e a alienação crescentes. Nospaises onde as assimetrias sociais são mais graves, não seentendem os significados de democracias onde o poderpolítico é comprometido pelo poder econômico e as instituiçõespermanecem passivas face à miséria da maioria.Neste artigo, considera-se a hipótese que não há comosuperar essa situação e aperfeiçoar a democracia, sem quese invista em processos de constituição de organizaçõesde base que consolidem as conquistas políticas dos movimentossociais de massa em instituições com respaldo econtrole popular. Nesta construção, o papel das liderançase das vanguardas políticas é fundamental à medidaque abdiquem de posturas mais diretivas para ajudar ascomunidades locais a construírem seus próprios caminhos,coordenando movimentos sociais mais amplos emredes de sujeitos autônomos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

01/10/2013

Como Citar

MATOS, A. G. de. A democracia na miséria. Revista Cronos, [S. l.], v. 5, n. 1/2, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/cronos/article/view/3232. Acesso em: 13 jun. 2024.