SUS COMO PATRIMÔNIO CULTURAL BRASILEIRO:

Notas para incentivar iniciativas de reconhecimento e preservação

Autores

  • Elizabethe Souza Fagundes de Souza UFRN
  • Renata Montechiari FLACSO

Palavras-chave:

Patrimônio, Memória, Sistema Único de Saúde, Covid-19

Resumo

Este ensaio apresenta alguns elementos para justificar a importância do reconhecimento social do Sistema Único de Saúde na perspectiva de vir a ser patrimônio cultural. O estudo apresenta pontuações sobre sua trajetória e, particularmente, evidencia seu papel no enfrentamento da pandemia de covid-19 quando demonstrou grande capacidade de cuidar de pessoas e de salvar vidas, ganhando visibilidade positiva na sociedade e nas mídias. Recupera, na literatura, alguns aportes conceituais sobre patrimonialização a partir da Constituição Federal de 1988, que ampliou a noção de patrimônio ao abranger diversas tipologias, recortes temporais e sociais. Destaca a importância de desencadear o debate na sociedade para difundir e pleitear junto às instituições competentes o reconhe cimento e a preservação do Sistema Único de Saúde como patrimônio cultural brasileiro, articulando memória, história e conquistas sociais, com ênfase nos diferenciais culturais e políticos que permeiam a construção do sistema de saúde brasileiro. Por fim, apresenta algumas anotações que podem servir de trilha para compor o quadro de referências argumentativas que dê base a uma possível proposta de reconhecimento e preservação do Sistema Único de Saúde como patrimônio cultural brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Montechiari, FLACSO

Doutora em Antropologia Social. Coordenadora do Programa Estudos e Políticas de Cultura e Diversidade da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais – FLACSO Brasil.

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/9735573124792202

Downloads

Publicado

02/26/2024

Como Citar

FAGUNDES DE SOUZA, E. S.; MONTECHIARI, R. . SUS COMO PATRIMÔNIO CULTURAL BRASILEIRO:: Notas para incentivar iniciativas de reconhecimento e preservação. Revista Cronos, [S. l.], v. 24, n. 1, p. 77–94, 2024. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/cronos/article/view/34084. Acesso em: 24 maio. 2024.