ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE AS POLÍTICAS DA NEGATIVIDADE NO GIRO ANTI-SOCIAL DOS ESTUDOS QUEER E DO AFROPESSIMISMO NEGRO

Autores

  • Fiorella Guaglianone UNR-CONICET

Palavras-chave:

Afropessimismo, Anti-socialidade, Políticas da negatividade radical

Resumo

Este artigo explora as relações entre duas perspectivas críticas sobre as políticas de hegemonia nos movimentos LGBT e antirracistas: a virada antissocial da teoria queer e o afropessimismo nos estudos negros. Ambas as teorias partilham um interesse em compreender a negatividade e o seu significado dissolvente como inerente ao sexo e/ou raça, bem como uma visão anti-identitária, não relacional e inarticulável da queeridade e da negritude. Investigaremos a obra de Lee Edelman, central na virada antissocial da teoria queer em seu antirreprodutivismo e antifuturismo, provocando algumas interseções com o afropessimismo de Frank Wilderson III, que entende a negritude como uma posição estrutural. de abjeção e morte social, irredutíveis a articulações hegemônicas e contra-hegemônicas. Este diálogo leva-nos à questão de saber se é possível encontrar uma dimensão generativa da política, para além da recusa dos autores em seguir esta direção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

02-07-2024

Como Citar

GUAGLIANONE, F. ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE AS POLÍTICAS DA NEGATIVIDADE NO GIRO ANTI-SOCIAL DOS ESTUDOS QUEER E DO AFROPESSIMISMO NEGRO. Revista Cronos, [S. l.], v. 25, n. 2, p. 87–98, 2024. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/cronos/article/view/36532. Acesso em: 22 jul. 2024.