FORMAS DE EMERGÊNCIA DE FEMINILIDADES TRANS* EM DOIS ARQUIVOS DO ESTADO NACIONAL ARGENTINO

Análise de casos, interrupções e continuidades

Autores

  • Mag De Santo CINIG-CONICET

Palavras-chave:

Colonialidade, Invertidos sexuais, Representação, Transgênero/Transexual, Queer

Resumo

Com o presente trabalho proponho traçar uma caracterização das formas de representação impostas pelo Estado Nacional, enquanto Estado Colonial Moderno, com o objetivo de dar conta de alguns elementos da matriz de inteligibilidade que se mantém desde finais do século XIX até o final do século XX para pessoas trans*. Desta forma, tenho-me interessado em gerar uma contribuição incipiente para as narrativas das Organizações de Direitos Humanos, bem como para as teorias que assumem a interdependência constitutiva e produtiva de estruturas opressivas patriarcal-capitalistas e raciais. Os materiais aos quais lhes faço as perguntas de investigação são, sobretudo, dois acervos documentais valorizados pelas estruturas de poder jurídico-médico-administrativo cujo marca oferece algumas delimitações metodológicas. A partir deste ponto de partida, concentro-me na emergência e aparecimento de feminilidades trans* em dois arquivos em particular: a revista Archivos de psiquiatría y criminología aplicada a las ciencias afines. Medicina legal-sociología-derecho-psicología-pedagogía (1902-1913) e o Arquivo da Diretoria de Inteligência da Polícia da Província de Buenos Aires (DIPBA), que funcionou entre 1956 e 1998. Destaco o aparecimento de “invertidos sexuais” no primeiro e o caso de Mariela Muñoz no segundo, traçando continuidades e descontinuidades no modo de aparecer, atentando especialmente para as omissões e deturpações nominais e territoriais da emergência de tais sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

02-07-2024

Como Citar

DE SANTO, M. FORMAS DE EMERGÊNCIA DE FEMINILIDADES TRANS* EM DOIS ARQUIVOS DO ESTADO NACIONAL ARGENTINO: Análise de casos, interrupções e continuidades. Revista Cronos, [S. l.], v. 25, n. 2, p. 65–86, 2024. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/cronos/article/view/36586. Acesso em: 22 jul. 2024.