Mídia e globalização: o maracatu e a cultura midiática no Brasil

Autores

  • Roberto Antônio Sousa da Silva FAC-CE

Resumo

Debate-se sobre o maracatu e sua relação com a mídia sob a lógica dos grandes investimentos do capital e a transformação do maracatu num fator de promoção de consumo com interesses transnacionais. Aborda-se a ascensão do maracatu do Mangue beat como estratégia para atingir o mercado mundial e a transformação das festas populares em espetáculo para a mídia. Discute-se também o conceito de aura em Walter Benjamim, para refletir sobre o que se perde e o que se ganha ao nutrir a permanência do velho (a tradição) e a presença do novo (o moderno) sem privilegiar, do ponto de vista analítico, o purismo originário e estanque, nem a degeneração artística sem caráter contestador e político. Também se delineia aqui o questionamento feito por Peter Fly sobre os símbolos e a ideia de identidade nacional brasileira, criações fantasiosas no que se refere à música negra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

18-11-2015

Como Citar

SOUSA DA SILVA, R. A. Mídia e globalização: o maracatu e a cultura midiática no Brasil. Revista Cronos, [S. l.], v. 15, n. 1, p. 118–128, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/cronos/article/view/8264. Acesso em: 25 jul. 2024.