“AVIÕES 1”, DE JORGE FERNANDES: A MODERNIDADE NOS ARES DE NATAL

Autores

  • Charlyene Santos de Souza Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Palavras-chave:

Poesia norte-rio-grandense. Representação social. Modernidade. Ironia.

Resumo

Neste artigo, realizamos uma leitura interpretativa do poema “Aviões 1”, de Jorge Fernandes, poeta norte-rio-grandense, que trouxe elementos da vida social e histórica da cidade do Natal representados em seus versos. No início do século XX, a capital potiguar passava por diversas transformações, algumas ligadas à chegada do bonde, do automóvel e do avião, figuras recorrentes no Livro de Poemas. Todavia, tais símbolos do progresso são, muitas vezes, apresentados de forma irônica pelo autor, que, mesmo em terra provinciana, não se deixou fascinar pela modernidade que se estabelecia. A partir do quadro apresentado, ancoramos nossa leitura nas considerações de Costa Lima (2003), com o conceito de representação social; de Berman (1986), com a compreensão de modernidade; e de Brait (2008), com o conceito de ironia.

Charlyene Santos de Souza é Especialista em Literatura e Cultura do RN e Mestre em Estudos da Linguagem (área de concentração em Literatura Comparada - PPgEL/UFRN).


 Artigo submetido para avaliação em 17/10/2016; publicado em 26/10/2016.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Charlyene Santos de Souza, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Licenciada em Letras - Língua Portuguesa, Especialista em Literatura e Cultura do RN e Mestre em Estudos da Linguagem (área de concentração em Literatura Comparada - PPgEL/UFRN). 

Downloads

Publicado

26-10-2016

Como Citar

DE SOUZA, C. S. “AVIÕES 1”, DE JORGE FERNANDES: A MODERNIDADE NOS ARES DE NATAL. Imburana: revista do Núcleo Câmara Cascudo de Estudos Norte-Rio-Grandenses, [S. l.], v. 7, n. 13, p. 59–70, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/imburana/article/view/10416. Acesso em: 8 ago. 2022.