A REINVENÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO EM TEMPOS DE CRISE: AUTONOMIA E PRECARIEDADE

Resumo

Neste artigo discute-se o processo de flexibilização do trabalho e as novas formas de submissão e exploração que reproduzem trabalhadores livres, precários e passivos. O avanço da tecnologia e do sistema de informação vem reforçar a individualização e racionalização do trabalho humano, recriando e ressignificando o lugar do trabalho na vida social. O aumento das ocupações por conta própria, a informalidade do trabalho e o crescimento dos microempreendedores individuais, expressam as condições estruturais de um ambiente econômico em transformação que tende a desenvolver atividades com características de trabalho precário, gerando baixas remunerações e ausência de direitos pelo trabalho, fatores que contribuem para a preservação e reprodução da pobreza e das desigualdades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rejane Gomes Carvalho, 83 98880 2423

Doutora em Sociologia do Trabalho - PPGS/UFPB, mestre em Economia Rural e Regional e graduada em Ciências Econômicas - UFPB. Atualmente, é professora do Departamento de Economia da UFPB, pesquisadora da Rede e Estudos e Monitoramento da Reforma Trabalhista – REMIR TRABALHO. Pesquisadora do projeto Erasmus + LATWORK: Pesquisa e inovação das instituições de ensino superior da América Latina para a análise do trabalho informal e da economia informal.  Coordenadora de projeto PIBIC/UFPB sobre trabalho informal e coordenadora de projeto de extensão sobre trabalho e gênero.

Publicado
29-07-2020
Como Citar
GOMES CARVALHO, R. A REINVENÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO EM TEMPOS DE CRISE: AUTONOMIA E PRECARIEDADE. Revista de Economia Regional, Urbana e do Trabalho, v. 9, n. 1, p. 150 - 172, 29 jul. 2020.