O percurso dos direitos sexuais: entre margens e centros

Autores

  • Sonia Corrêa

Resumo

A trajetória de legitimação da sexualidade como uma questão de direitos humanos tem sido marcada por disputas e controvérsias que podem ser interpretadas como sendo típicas da chamada “política real” – forças visíveis, interesses e barganhas. Entretanto, este é um trajeto caracteristicamente “pós-moderno” ou biopolítico, pois corresponde a uma  sequência  de  disputas  de  linguagem  referidas  a  corpos,  identidades, nomenclaturas. As reflexões que se seguem retomam ideias desenvolvidas em trabalhos anteriores e utilizam essas duas claves para examinar os antecedentes, elaboração e efeitos dos Princípios de Yogyakarta para aplicação da Lei Internacional de Direitos Humanos em relação à Orientação Sexual e Identidade de Gênero (2006-2007).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

27-11-2012

Como Citar

CORRÊA, S. O percurso dos direitos sexuais: entre margens e centros. Bagoas - Estudos gays: gêneros e sexualidades, [S. l.], v. 3, n. 04, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/bagoas/article/view/2294. Acesso em: 13 ago. 2022.