Qualidade de vida dos idosos inseridos em programa de integração social

  • Maria Francinete do Nascimento Silva Centro Universitário Unifacid/Wyden
  • Márcia de Morais Sousa Centro Universitário Unifacid/Wyden
  • Thalita carvalho Cipriano Centro Universitário Unifacid/Wyden
  • Rosilda Araújo Fernandes Neta Centro Universitário Fametro
  • Endy Márjory Reis de Sousa Lima Centro Universitário Unifacid/Wyden
  • Emanuelly Batista Pereira Centro Universitário Unifacid/Wyden
  • Geórgia Freitas Barbosa Serrano Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Laisa Ribeiro Rocha Centro Universitário Unifacid/Wyden
  • Jayris Lopes Vieira Centro Universitário Unifacid/Wyden
Palavras-chave: Qualidade de Vida; Idosos; Integração.

Resumo

A qualidade de vida é um termo abrangente e multidimensional, que se estabelece a partir de um conceito que aborda saúde física, estado psicológico, relações sociais e ambiente com base em avaliações subjetivas. É de grande importância as relações sociais pois promovem o bem-estar mental e físico na terceira idade. O presente estudo tem como objetivo avaliar a qualidade de vida dos idosos inseridos em programa de integração social. Trata-se de uma pesquisa do tipo avaliativa, e de caráter qualitativa, teve como instrumentos de coleta questionários realizados pelo pesquisador e outro WHOQOL-BEFF já validado. Foi realizada em uma instituição de ensino superior privada na cidade de Teresina Piauí. Os resultados indicaram que houve uma significativa melhoria na qualidade de vida dos idosos alvo da pesquisa, e não somente isso, mas também um desenvolvimento de autoconfiança e funcionalidade tanto motora quanto cerebral. Além disso, a participação dos idosos nesses grupos sociais proporcionam também uma maior participação em atividades de lazer, dança, viagens, atividade ocupacionais e lúdicas, e isso corrobora com os resultados achados na presente pesquisa. Nesse sentido, as instituições que propõem esses programas conferem aos indivíduos maior interação, inclusão social/cultural e uma forma de resgatar a autonomia e o processo do viver saudável.  Concluiu-se que a partir da inserção dos Idosos no programa de integração social, interferiu positivamente em sua vida pessoal, familiar e de socialização. Contribuindo em sua qualidade de vida, e nas relações ligadas aos direitos a eles atribuídos, assim enaltecendo o padrão de ensino da instituição privada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA . M . A . B ; GUTIERREZ . G . L ; MARQUES R. Qualidade de vida : Definição , conceitos e interfaces com outras áreas de pesquisa . São Paulo ; edições EACH , 2012.

ALONSO, J.; BUROB, A.; BRUFFAERTS, R.; HE, Y.; POSADANA-VILLA, J.; LEPINE, J. P. Association of perceived stigma and mood and anxiety disorders: results from the world mental health surveys. Acta Psychiatr Scand. v.118, n.4, p.305-314, 2012.

ALVERZO, J. P. Predictors of disorientation among brain injury and stroke patients during rehabilitation. Rehabilitation Nursing. v.30, n.6, p.230-238, 2010.

BORGLIN, G.; EDBERG, A. K.; HALLBERG, I. R. The experience of quality of life among older people. Journal of Aging Studies, v.19, n.2, p.201-220, 2014.

BOTH, J. E.; LEITE, M. T.; HILDEBRANDT, L. M.; PILATI, A. C. L.; STAMM, B.; JANTSCH, L, B. Grupos de convivência: uma estratégia de inserção do idoso na sociedade. Contexto & Saúde. v.11, n.20, p.995-998, 2013.

CAMPOS, M; NETO, J. Qualidade de vida: um instrumento para promoção da saúde. Revista Baiana de Saúde Pública. Salvador - Bahia, v. 32, n. 2, p. 232-240, 2008.

DE PAULA, C. L. M.; SANTOS, E. V. L.; MAIA, P. C. G. G. S.; GOUVEIA FILHO, P. S.; SOUSA, M. N. A. Qualidade de vida de idosos participantes de um grupo de convivência no munícipio de São Mamede-PB. REBES. v.6, n.2, p.1-7, 2016.

DE’LUCA, D. E.; BONACCI, S.; GIRALDI, G. Aging populations: the health and quality of life of the elderly. Clin Ter. v.13, n.8, p.162-169, 2016.

FERNANDES, C. P. Um programa de qualidade de vida voltado para o bem estar. Especialização em Gestão de Qualidade de Vida nas Empresas - UNICAMP - Campinas – São Paulo, 2010.

FERREIRA, A. A Qualidade de Vida em Idosos em Diferentes Contextos Habitacionais: A Perspectiva do Próprio e do Seu Cuidador. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, Universidade de Lisboa, 2009.

FERREIRA, O. G. L., M, S. C.; COSTA, S. M. G.; SILVA, A. O.; MOREIRA, M. A. S. P. Envelhecimento ativo e sua relação com a independência funcional. Texto & contexto enferm, Florianópolis - SC v. 21, n. 3, p.513-518, 2012.

FLECK, M. P. A.; LOUZADA S.; XAVIER, M.; CHACHAMOVICH, E.; VIEIRA, G.; SANTOS, L.; PINZON, V. Desenvolvimento da Versão em Português do Instrumento abreviado de Avaliação da Qualidade de Vida “ WHOQOL – BREF”. Revista de Saúde Pública. São Paulo, v.34, n.2, p.178-83, 2000. Disponível em:http://www.scielo.br/pdf/rsp/v34n2/1954.pdf. Acesso em: 17 mar 2017.

GOBBENS, R. J, LUIJKX, K. G. van Assen MA. Explaining quality of life of older people in the Netherlands using a multidimensional assessment of frailty. Qual Life, v. 22, n. 20, p. 51-61, 2013.

GUTIERREZ, B. A. O.; AURICCHIO, A. M.; MEDINA, M. V. J. Mensuração da qualidade de vida de idosos em centros de convivência. J Health Sci Inst. São Paulo - SP, v.29, n.3, p.186-190, 2011.

IBGE, Diretoria de Pesquisas. Departamento de população e indicadores sociais: Tábuas de mortalidade para o Brasil – 2010 a 2016. Brasília, DF, 2017.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010: sinopse do censo e resultados preliminares do Universo. 2011. Disponível em:<http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/imprensa/ppts/0000000402.pdf >. Acesso em: 20/03/17.

LOBLET, M.P.; ÁVILA, N.R.; FARRÀS, J.F.; CANUT, M.T. L. Quality of Life, Happiness and Satisfaction with Life of Individuals 75 Years Old or Older Cared for by a Home Health Care Program. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 19, n 3, p. 467-475, 2011.

LUCCHESI, L. M.; PRADELLA-HALLINAN, M.; LUCCHESI, M.; MORAES, W. A. S. O sono em transtornos psiquiátricos. Rev Bras Psiquiatr. São Paulo, v.27, n.1, p.27-32, 2017.

MEIRELES, A. E.; PEREIRA, L. M.; OLIVEIRA, T. G.; FONSECA, A. L. Alterações neurológicas fisiológicas ao envelhecimento afetam o sistema mantenedor do equilíbrio. Rev Neurocienc. Goiânia- GO, v.18, n.1, p. 103-108, 2010.

MINICUCI, N.; MAGGI, S.; PAVAN, M.; ENZI. G.; CREPALDI G. Prevalence rate and correlates of depressive symptoms in older individuals: the Veneto study. J Gerontol. v.57, n.3, p.155-159, 2016.

MINAYO, M. C. S.; HARTZ, Z. M. A.; BUSS, P. M. Qualidade de vida e saúde: um debate necessário. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1. 2000. Disponível em: <http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413- -81232000000100002&lng=pt&nrm=iso>. acesso em mai. 2017.

MINAYO, M.C.; COIMBRA, J.C.E.A. Antropologia, saúde e envelhecimento (org) FIOCRUZ, Rio de Janeiro, p.209. 2000.

MOURÃO, C. A, SILVA N. M. Influência de um programa de atividades físicas recreativas na autoestima de idosos institucionalizados. RBCEH, 2010. Disponível em:<http://www.upf.br/seer/index.php/rbceh/article/view/494/pdf>. Acesso em: 27/04/17.

NELYSE, A.; JUNIOR, J.; ARAGÃO, J.; FERREIRA, M.; DANTAS, E. Nível de atividade física, autonomia funcional e qualidade de vida em idosas ativas e sedentárias. Rev Fisioter Mov.Curitiba-PA v.23, n.3, p. 473-481, 2010.

NERI, A. L. Qualidade de vida na velhice: enfoque multidisciplinar. Revista Alínea, Campinas, v. 8, n. 3, p. 246-252, 2007.

NOGUEIRA, E. L.; RUBIN, L. L.; GIACOBBO, S. S.; GOMES, I.; CATALDO NETO, A. Screening for depressive symptoms in older adults in the Family Health Strategy. Rev Saúde Pública. Porto Alegre, Brazil, V.48, n.3, p.368-377, 2014.

OKUMA, S. O Idoso e a Atividade Física. 3ºed. Papirus, Campinas, SP, 1998.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). Envelhecimento ativo: um projeto de política de saúde: OMS. Madrid, 2002.

Organização Mundial de Saúde. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Organização Pan-Americana de Saúde, Brasilia, DF, 2005. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/envelhecimento_ativo.pdf> Acesso em: 20/04/17.

Organização Mundial de Saúde. Envelhecimento ativo. Organização Pan-Americana de Saúde, Brasilia, DF, 2018. Disponível: https://www.paho.org/bra/brasil-lanca-estrategia-para-melhorar-vida-de-idosos-com-base-em-recomendacoes-da-oms&Itemid=820 Acesso: 16/05/2018

PAIM, L. M. D., NIESTCHE, E. A., LIMA, L. G. R. História da tecnologia e sua evolução na assistência e no contexto de cuidado de enfermagem. In: Niestche EA, Teixeira, Porto Alegre. p.17-36, 2014.

PARK, S. H, HAN, K. S, KANG C. B. Effects of exercise programs on depressive symptoms, quality of life and self-esteem in older people: A systematic review of randomized controlled trials. Applied Nursing Researce, v. 26, n. 4, p. 219-226, 2014.

PASCHOAL, S. Qualidade de vida do idoso: construção de um instrumento de avaliação através do método do impacto clínico. Tese de Doutorado, Universidade São Paulo, 2004.

PEREIRA, J. K.; GIACOMIN, K. C.; FIRMINO, J. O. A. A funcionalidade e incapacidade na velhice: ficar ou não ficar quieto. Cad Saúde Pública. Rio de JANEIRO- RJ, v.31, n.7, p. 1451-1459, 2015.

PETERS, E. N.; FUCITO, L. M.; NOVOSAD, C.; TOLL, B. A.; O'MALLEY, S. S. Effect of night smoking, sleep disturbance, and their co-occurrence on smoking outcomes. Psychol Addict Behav. v.25, n.2, p.312-319, 2011.

RUMOR, P. C. F; BERNS, I.; HEIDEMANN, I. T. S. B.; MATTOS, L. H. L.; WOSNY, A. M. A promoção da saúde nas práticas educativas da saúde da família. Cogitare enferm, Curitiba , v. 15, n. 4, p. 674-680, 2010.

SCHONS, C. R.; PALMA, L. T. S. Conversando com Nara Costa Rodrigues: sobre gerontologia social, Passo Fundo - RS, 2° ed. ., p.77-81 , 2000.

SILVA, C. R. B. P.; GUERRA, R. O.; FONSÊCA, A. M. C.; GOMES, A.C.; MACIEL, A. C. C. Mobility, balance and muscle performance according to self-efficacy for falls in the elderly. Fisioter Mov. Natal- RN, v.28, n.2, p.231-240, 2015.

SILVA, L. W. S., SANTOS, R. G.; SQUARCINI, C. F. R.; SOUZA, A. L.; AZEVEDO, M. P.; BARBOSA, F. N. M. Perfil do estilo de vida e autoestima da pessoa idosa. Perspectivas de um programa de treinamento físico. Revista Temática Kairós Gerontologia, São Paulo – SP. v. 14, n.3, p.145166, 2011.

SIMÕES, R. Qualidade de vida: complexidade e educação. Papirus, Campinas, 2001.

SOUZA, L. B., et. al. Práticas de educação em saúde no Brasil: a atuação da enfermagem. Rev enferm. Rio de janeiro, v. 18, n.1, p. 55-60, 2010.

STREY, M. N.; PULCHERIO, G. As tramas de gênero na saúde. Rev Gênero e Saúde: diálogos Ibero-brasileiros. Porto Alegre. v.3, n.4, p. 11-33, 2010.

TOMICKI, C.; ZANINI, S.C.C.; CECCHIN, L.; BENEDETTI, T.R.B.; PORTELLA, M.R. LEGUISAMO, C.P. Efeito de um programa de exercícios físicos no equilíbrio e risco de quedas em idosos institucionalizados: ensaio clínico randomizado. Rev Bras Geriatr Gerontol. RIO DE JANEIRO- RJ, v.19, n.3, p.473-482, 2016.

VECCHIA, R. D.; RUIZ, T.; BOCCHI, S.C.M.; CORRENTE, J.E. Qualidade de vida na terceira idade: um conceito subjetivo. Rev Bras Epidemiol, Botucatu – SP, v.8, n.3,p246-252, 2005. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/11992>.

VERDERI, E. O Corpo Não Tem Idade: Educação Física Gerontológica. São Paulo: Fontoura, 2004.

VIGETA, S. M.; HACHUL, H.; TUFIC, S.; DE OLIVEIRA, E. M. Sleep in postmenopausal women. Qual Health Res. v.22, n.4, p.466-475, 2012.

VRYONIDES, S.; PAPASTAVROU, E.; CHARALAMBOUS, A.; ANDREOU,P.; MERKOURIS, A. The ethical dimension of nursing care rationing: A thematic synthesis of qualitative studies. Nursing Ethics. v.22, n.8, p. 881 –900, 2014.

ZIMERMAN, G. I. Velhice: aspectos biopsicossociais. Artes Médicas Sul, Porto Alegre, 2000.

WICHMANN, F. M. A.; COUTO, A. N.; AREOSA, S. V. C.; MONTA-ÉS, M.C. M. Grupos de convivência como suporte ao idoso na melhoria da saúde. Rev Bras Geriatr Gerontol. Rio de janeiro- RJ, v.16, n.4, p.821-832, 2013.

WILSON, F.; INGLETON, C.; GOTT, M.; GARDINER, C. Autonomy and choice in palliative care: time for a new model? Journal of Advanced Nursing. v. 70, n. 5, p. 1020–1029, 2013.

WHOQOL. The World Health Organization Quality of Life assessment (WHOQOL): position paper from the World Health Organization. Social Science & Medicine, Oxford, v. 41, n. 10, p. 1403-1409, 1995.

World Health Organization. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Organização Pan-Americana da Saúde. Brasília, DF, 2005.

WHITAKEN , M. C. O, A vida após o câncer infanto-juvenil : experiência dos sobreviventes . Revista Brasileira de Enfermagem . São Paulo , v. 66 , n. 6 , p 873-874 nov./des., 2013. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/reben/v66n6/10.pdf> Acesso em : 22 mar 2017.

Publicado
23-10-2020
Como Citar
SILVA, M. F. DO N.; SOUSA, M. DE M.; CIPRIANO , T. CARVALHO; FERNANDES NETA, R. A.; LIMA, E. M. R. DE S.; PEREIRA, E. B.; SERRANO, G. F. B.; ROCHA, L. R.; VIEIRA, J. L. Qualidade de vida dos idosos inseridos em programa de integração social. Revista de Casos e Consultoria, v. 11, n. 1, p. e11117, 23 out. 2020.
Seção
Artigos