As modernas sociedades africanas: socialmente plurais, legalmente plurais?

  • Maria Paula Meneses

Resumo

Os estudos críticos sociojurídicos têm crescentemente chamado a atenção para a necessidade de convocar outras formas de conhecimento, além do legal, para melhor se compreender o que é o direito e a justiça. Se assumirmos o direito e a justiça como fenómenos sociais e culturais, então um dos desafios que as sociedades enfrentam é o de incorporar as múltiplas identidades e as normas culturais numa estrutura ampla, articulando o direito à igualdade com o
reconhecimento da diferença. Apesar de o paradigma normativo do Estado moderno assumir que em cada Estado só há um direito e que a unidade do Estado pressupõe a unidade do direito, este texto, a partir da análise de várias situações de interlegalidade (SANTOS, 1995) presentes na região austral de África, abre campo para uma leitura mais complexa do funcionamento sociojurídico destes estados modernos, a partir das epistemologias do Sul (SANTOS, 2007, 2014).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
06-03-2017
Como Citar
MENESES, M. P. As modernas sociedades africanas: socialmente plurais, legalmente plurais?. Revista Cronos, v. 16, n. 2, p. 64-86, 6 mar. 2017.