NECROPOLÍTICA E BIOPODER:

A postura antivacina contra a Covid-19 do governo Bolsonaro

Autores

  • Carlijaniele dos Santos Silva UFRN
  • Luan Amador de Assis UFRN
  • Márcia Andrea Coelho UFRN

Palavras-chave:

Necropolítica, Biopoder, COVID-19

Resumo

O presente trabalho propõe uma discussão sobre a necropolítica relacionando-a ao biopoder a partir de uma reflexão sobre a obra A História da Sexualidade [1976 (1999)] de Michel Foucault. O poder de ditar quem pode viver e quem deve morrer trabalhado por Achille Mbembe, em Necropolítica. Biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte (2018), ajuda a pensar sobre como se construíram e se legitimaram os discursos antivacinas do governo Bolsonaro no Brasil. Para isso, são propostas uma revisão bibliográfica e a análise de discursos disponíveis nas redes on-line, jornais e revistas de grande circulação. Este estudo objetiva apresentar os conceitos de necropolítica e biopoder diretamente relacionados ao cenário pandêmico recentemente vivenciado. A reflexão acerca da atuação dos gestores no tocante não só a tomada de decisões, mas principalmente à forma como essas ações foram postas em prática torna-se indispensável na análise sociológica a que nos propomos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

02/26/2024

Como Citar

DOS SANTOS SILVA, C.; DE ASSIS, L. A.; COELHO, M. A. NECROPOLÍTICA E BIOPODER:: A postura antivacina contra a Covid-19 do governo Bolsonaro. Revista Cronos, [S. l.], v. 24, n. 1, p. 67–76, 2024. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/cronos/article/view/35403. Acesso em: 24 maio. 2024.