Feitiçaria na Angola oitocentista: razões por detrás de uma suposta maior tolerância administrativa face a crenças locais

Autores

  • João de Castro Maia Veiga Figueiredo

Palavras-chave:

Feitiçaria, Escravatura, Religiosidade Popular

Resumo

Este artigo contesta os motivos por detrás de um suposto relaxamento das autoridades coloniais portuguesas quanto à perseguiçáo de costumes e valores culturais africanos. Partindo do princípio de que uma tal circunstância náo se deve a uma política deliberada, mas sim a um desfasamento entre a teoria e a prática coloniais portuguesas, recorre-se às fontes oficiais do Governo da colónia de Angola para demonstrar como durante o século XIX é a adopçáo de elementos da religiosidade africana por parte dos agentes coloniais que vai impor um freio às políticas persecutórias traçadas a partir de Luanda ou da metrópole.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

05-08-2011

Como Citar

FIGUEIREDO, J. de C. M. V. Feitiçaria na Angola oitocentista: razões por detrás de uma suposta maior tolerância administrativa face a crenças locais. Mneme - Revista de Humanidades, [S. l.], v. 12, n. 29, 2011. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/1026. Acesso em: 29 maio. 2024.