Religiosidade e religião no oeste de Santa Catarina: a crença no monge João Maria e a instituição do Catolicismo

Autores

  • Délcio Marquetti
  • Juraci Brandalize Lopes da Silva

Palavras-chave:

Monge João Maria D'Agostini, Religiosidade, Cultura cabocla, Oeste de Santa Catarina

Resumo

Esta pesquisa foi desenvolvida com métodos e abordagens da História Oral e, para tanto, foram entrevistados sujeitos de cultura cabocla, residentes no oeste de Santa Catarina, cujas manifestações religiosas incluem a crença no monge Joáo Maria D’Agostini. Analisou-se essa religiosidade, conhecida como popular, e as percepções dos entrevistados acerca das transformações sofridas com a introduçáo do Catolicismo oficial, a partir da década de 1920, com colonizadores oriundos do Rio Grande do Sul e, posteriormente, com a chegada de igrejas cristás náo-católicas. Os entrevistados assimilaram os ritos oficiais sem abandonarem completamente suas antigas práticas. Na medida em que o processo colonizatório, responsável por uma série de transformações econômicas e culturais, impôs-se, os vestígios da cultura cabocla tenderam a perder-se em boa parte, ou a se confrontarem com dogmas proferidos por outras denominações cristás, gerando dúvidas e descrédito, ou ainda, a servirem como elementos de afirmaçáo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

05-08-2011

Como Citar

MARQUETTI, D.; BRANDALIZE LOPES DA SILVA, J. Religiosidade e religião no oeste de Santa Catarina: a crença no monge João Maria e a instituição do Catolicismo. Mneme - Revista de Humanidades, [S. l.], v. 12, n. 29, 2011. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/1036. Acesso em: 30 maio. 2024.