O sertão febril: impacto microbiano e escravidão nos espaços (in)salubres da Proví­ncia do Rio Grande do Norte, Ribeira do Seridó (1856-1888)

  • Avohanne Isabelle Costa de Araújo
  • Muirakytan Kennedy de Macedo
Palavras-chave: Escravidão, Moléstias, Insalubridade

Resumo

Este artigo traz uma discussáo acerca do impacto que as epidemias causavam na Província do Rio Grande do Norte, tendo como alvo principal os escravos. Para perceber estes impactos utilizamos como fontes os relatórios da referida Província, os quais nos dáo uma visáo mais detalhada das medidas e providências que os presidentes tomavam em momentos de epidemia e os inventários da segunda metade do século XIX, onde constam quais moléstias eram mais comuns nos escravos. Com isso, percebemos que a Província do Rio Grande do Norte náo fugiu da realidade do Brasil Oitocentista quando se trata de epidemias como febre amarela e bexigas e das condições em que se encontrava a medicina e a saúde neste período.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
13-12-2011
Como Citar
COSTA DE ARAÚJO, A. I.; DE MACEDO, M. K. O sertão febril: impacto microbiano e escravidão nos espaços (in)salubres da Proví­ncia do Rio Grande do Norte, Ribeira do Seridó (1856-1888). Mneme - Revista de Humanidades, v. 12, n. 30, 13 dez. 2011.