O processo inquisitorial de Manuel Fragoso de Albuquerque e a circulação de pessoas e notícias nos sertões coloniais

Autores

  • Amanda Teixeira UFCA

Resumo

O objetivo deste artigo é investigar o processo inquisitorial movido contra Manuel Fragoso de Albuquerque, um ferreiro condenado pelo Santo Ofício por ter se casados duas vezes, sendo uma delas nos Cariris Novos, sertão do Ceará, e a outra, em Mamanguape, no litoral da Paraíba. O documento foi integralmente transcrito e analisado com o objetivo de compreender quais foram os meios de circulação das informações que levaram à prisão do réu. Neste trabalho buscamos apresentar os eventos que concorreram para a sua prisão, bem como as testemunhas que estiveram cientes dos dois casamentos, a despeito da grande distância existente entre as duas localidades em que o ferreiro contraiu os dois matrimônios. Concluímos que existiram, graças não somente aos trânsitos por terra, mas principalmente à navegação fluvial entre as duas capitanias, constantes trocas comerciais e trânsitos entre sujeitos nascidos no Império português, seja no continente europeu, seja no território americano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Teixeira, UFCA

Doutora em História Social pela Universidade Federal do Ceará (UFCA).

Downloads

Publicado

02-02-2024

Como Citar

TEIXEIRA, A. O processo inquisitorial de Manuel Fragoso de Albuquerque e a circulação de pessoas e notícias nos sertões coloniais. Mneme - Revista de Humanidades, [S. l.], v. 24, n. 47, 2024. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/32140. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos