A FACE VITIMADA: MORBIDADE ENTRE MULHERES ATENDIDAS EM SERVIÇOS SENTINELAS NO BRASIL

Autores

  • Flávia Christiane de Azevedo Machado Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Anna Paula Serejo da Costa Secretaria Municipal de Saúde de Natal
  • Maria Ângela Fernandes Ferreira Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.21680/2446-7286.2023v9n1ID29026

Resumo

Introdução: Ao longo da história, muitos homens utilizam-se da violência contra suas parceiras como forma de afirmação da sua identidade e domínio viril. Em muitas situações, as agressões são direcionadas à face que justamente representa o centro da atenção do ser humano. Objetivo: O presente artigo tem como objetivo analisar os atendimentos de emergência em mulheres vítimas de violência na região de cabeça e pescoço. Metodologia: Foram analisados dados do inquérito de Vigilância e Acidentes em 25 capitais e no Distrito Federal no ano de 2011. Analisaram-se 351 atendimentos de mulheres adultas entre 15 e 49 anos em relação à ocorrência de violência na região de cabeça e pescoço, o que corresponde a 40,6% das mulheres vítimas de violência. Resultados: A ocorrência da violência foi predominante em mulheres jovens, negras e com pouca escolaridade. As violências foram mais frequentes no domicílio (45,5%) e a referência à intencionalidade do ato de violência pelo agressor predominou entre as vítimas de violência. Em todos os casos, as vítimas de agressão na região de cabeça e pescoço sofreram violência física, sendo o agressor do sexo masculino (77,4%) e identificado como parceiro ou ex-parceiro íntimo em 44,5%. Conclusões: É cada vez mais importante que o serviço esteja preparado para receber essas mulheres vítimas de violência, mediante conformação de Redes de Atenção e efetivação da instersetorialidade. Isto pressupõe, inclusive, a maior inserção do cirurgião-dentista na identificação e acolhimento dessas vítimas para posteriores encaminhamentos.

Palavras-Chave: Violência doméstica, face, morbidade, feminino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Ângela Fernandes Ferreira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Professora adjunta do Departamento de Odontologia. Doutora em odontopediatria pela Universidade de Pernambuco

Downloads

Publicado

27-04-2023

Como Citar

DE AZEVEDO MACHADO, F. C. .; SEREJO DA COSTA, A. P. .; FERNANDES FERREIRA, M. Ângela. A FACE VITIMADA: MORBIDADE ENTRE MULHERES ATENDIDAS EM SERVIÇOS SENTINELAS NO BRASIL. Revista Ciência Plural, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 1–22, 2023. DOI: 10.21680/2446-7286.2023v9n1ID29026. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/29026. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

Análise Documental