DIFERENCIAL DE RENDIMENTOS POR NÍVEL DE ESCOLARIDADE ENTRE HOMENS E MULHERES NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PRIMEIROS TRIMESTRES DE 2012, 2015 E 2019

  • Danyelle Faria de Jesus Universidade Federal de Alfenas-MG
  • Ana Márcia Rodrigues da Silva Universidade Federal de Alfenas-MG
  • Otávio Junio Faria Neves Universidade Federal de Alfenas-MG

Resumo

O nível de escolaridade das mulheres tem crescido com o passar dos anos. Paralelamente a isso, elas têm aumentado sua inserção no mercado de trabalho. Diante disso, o presente trabalho tem como objetivo analisar o diferencial de rendimentos entre homens e mulheres nos primeiros trimestres de 2012, 2015 e 2019. Para tanto, foram utilizados dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua dos trimestres mencionados. A metodologia do trabalho foi elaborada por meio de estatísticas descritivas e através de uma regressão, com aplicação de uma equação minceriana. Os dados permitiram concluir que os homens ainda auferem uma renda maior que as mulheres, mesmo elas sendo mais escolarizadas, mas essa diferença salarial dos sexos tem diminuído nos trimestres analisados. Isso mostra que mesmo no período atual as mulheres sofrem discriminação no mercado de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danyelle Faria de Jesus, Universidade Federal de Alfenas-MG

Graduanda em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Alfenas-MG

Ana Márcia Rodrigues da Silva, Universidade Federal de Alfenas-MG

Professora do Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal de Alfenas (Unifal/MG)

Otávio Junio Faria Neves, Universidade Federal de Alfenas-MG

Mestrando em Economia do Programa de P´ós-Graduação em Economia pela Universidade Federal de Alfenas-MG

Publicado
29-07-2020
Como Citar
FARIA DE JESUS, D.; RODRIGUES DA SILVA, A. M.; JUNIO FARIA NEVES, O. DIFERENCIAL DE RENDIMENTOS POR NÍVEL DE ESCOLARIDADE ENTRE HOMENS E MULHERES NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PRIMEIROS TRIMESTRES DE 2012, 2015 E 2019. Revista de Economia Regional, Urbana e do Trabalho, v. 9, n. 1, p. 57 - 81, 29 jul. 2020.