INTERPRETAÇÃO DA PAISAGEM DO SEMIÁRIDO PIAUIENSE: PRÁTICA DE CAMPO NO MUNICÍPIO DE PRATA DO PIAUÍ E NA CIDADE DE PEDRAS

Resumo

O presente artigo teve como objetivo caracterizar as paisagens de trechos visitados nas atividades de campo, em Prata do Piauí e na Cidade de Pedras, buscando identificar sua adequação, ou não, à classificação de espaços semiáridos, a partir dos critérios de tipos climáticos e cobertura vegetal utilizado pela literatura para definir a região semiárida brasileira. Os procedimentos metodológicos foram embasados na abordagem dialética que teve início com a discussão em sala de aula, em momentos de articulação dos roteiros de observação nos municípios citados.  Durante os trabalhos de campo utilizou-se do caráter descritivo-exploratório por meio de mapas, preenchimento de fichas, uso do aparelho Global Positioning System (GPS) e câmera fotográfica. Em laboratório fez-se uso do software Qgis para trabalhar os dados e informações levantados. Para alcançar o objetivo proposto, foi realizada a caracterização fisiográfica e a observação de forma comparativa, como subsídio à análise das paisagens locais em relação à conceituação de ambiente semiárido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Wellington de Araújo Sousa, Universidade Federal do Piauí - UFPI

Graduado em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade Federal do Piauí (2011 - 2016). Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Piauí (2018 - 2020). Atualmente participa do Grupo de Pesquisa intitulado: Geomorfologia, Análise Ambiental e Educação, com cadastro na plataforma do Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq), atuando na linha de pesquisa Geomorfologia, Dinâmica de Bacias Hidrográficas e Análise Ambiental. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Física e Análise Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: Bacia Hidrográfica, Análise Geomorfológica, Paisagem, Geotecnologias, Resíduos Sólidos, Impactos Ambientais em áreas urbanas e Geodiversidade.

Géssica Maria Mesquita Monteiro Costa, Universidade Federal do Piauí - UFPI

Graduada em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade Estadual do Piauí (2010-2013) - UESPI/Campus Poeta Torquato Neto. Membro (estudante) do Núcleo de Estudos em Geografia Física da UESPI (NEGEO/UESPI) e do grupo de pesquisa (estudante) Geomorfologia, Análise Ambiental e Educação da UFPI (GAAE/UFPI). Atualmente professora da rede privada de Teresina e estudante de mestrado em Geografia pela Universidade Federal do Piauí - UFPI na linha de pesquisa Estudos Regionais e Geoambientais. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase nas seguintes áreas: Hidrografia, Análise Geoambiental e e Educação Geográfica.

Glécia Maria de Carvalho Sousa, Universidade Federal do Piauí - UFPI

Graduada em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade Estadual do Piauí (1999-2002) - UESPI /Campus de Picos.Atualmente professora da rede pública de ensino do Piauí - SEDUC e da rede municipal de Santo Antônio de Lisboa -PI, e estudante de mestrado em Geografia pela Universidade Federal do Piauí - UFPI na linha de pesquisa Estudos Regionais e Geoambientais.

Iracilde Maria de Moura Fé Lima, Universidade Federal do Piauí - UFPI

Graduada em Geografia pela Universidade Federal do Ceará. Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Membro perpétuo da Academia de Ciências do Piauí (cadeira 53). Membro perpétuo do Instituto Histórico-Geográfico do Piauí. Professor Associado, atuando nos cursos de Graduação e Mestrado em Geografia da Universidade Federal do Piauí. Orienta discentes da graduação e do Mestrado e supervisiona docentes em Pós-Doutorado. Coordena projetos de pesquisa e de extensão em análise ambiental e em educação. Tem livros publicados sobre o Piauí e sobre Teresina, capítulos de livros e artigos científicos. Atua na área de Geociências, com ênfase em Geografia Física, especificamente nas áreas de Geomorfologia, Hidrografia, Meio Ambiente e Educação. Dentre os prêmios e títulos honoríficos recebidos destacam-se: Premiação do livro didático Piauí: tempo e espaço, Ed. FTD (PNLD-Nordeste/MEC, 1998); Nome da Sala de Estudos Geográficos (Instituto Dom Barreto-Teresina, a partir de 2001); Medalha Honra ao Mérito Conselheiro José Antônio Saraiva (Prefeitura Municipal de Teresina, 2002); Honra ao Mérito pela contribuição à Cultura Piauiense (Academia Piauiense de Letras, 2007); Homenagem no XVI Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada (2015).

Publicado
25-08-2020
Como Citar
SOUSA, F. W. DE A.; COSTA, G. M. M. M.; SOUSA, G. M. DE C.; LIMA, I. M. DE M. F. INTERPRETAÇÃO DA PAISAGEM DO SEMIÁRIDO PIAUIENSE: PRÁTICA DE CAMPO NO MUNICÍPIO DE PRATA DO PIAUÍ E NA CIDADE DE PEDRAS. Revista de Geociências do Nordeste, v. 6, n. 2, p. 73-82, 25 ago. 2020.
Seção
Artigos