CRIMINOLOGIA E NARRATIVIDADE: FAZENDO ECOAR A ALTERIDADE

Autores

  • Moysés da Fontoura Pinto Neto
  • Alexandre Costi Pandolfo

Resumo

O artigo argumenta que as raízes da Criminologia, inspiradas por Cesare
Lombroso e Enrico Ferri, estão fixadas na matriz epistemológica
positivista, baseada nas idéias de neutralidade, objetividade e
experimentação. Essa metodologia – além de ter sido útil à criminologia
racista latino-americana e aos estados totalitários nas suas terríveis
“experiências” com humanos – perde a toda a compreensão da
complexidade humana, irredutível à dimensão da “objetividade”.
Sustentamos que a narratividade, trabalhada a partir do famoso ensaio de
Benjamin, é um método com temporalidade muito útil para penetrar na
riqueza humana, que não pode ser enjaulada na “representação”.
Finalmente, baseado nessas premissas, o paper defende uma nova
aproximação da Criminologia e Literatura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

28-01-2015

Como Citar

PINTO NETO, M. da F.; PANDOLFO, A. C. CRIMINOLOGIA E NARRATIVIDADE: FAZENDO ECOAR A ALTERIDADE. Revista Transgressões, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 231–247, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/transgressoes/article/view/6606. Acesso em: 19 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos