NOMBRE Y ROSTRO, AMISTAD Y PARENTESCO: DIMENSIONES DE LA RELACIÓN INTERSUBJETIVA HUMANO - PERRO EN UN ÁREA CON LEISHMANIASIS VISCERAL EMERGENTE (DEPTO. IGUAZÚ, MISIONES, ARGENTINA¹ / NOME, ROSTO, AMIZADE, PARENTESCO. DIMENSÕES DA RELAÇÃO INTRERSUBJETIVA A HUMANO-CAES EM UMA AREA COM LEISHMANIOSES VISCERAL EMERGENTE (DEPTO. IGUAZÚ, MISIONES, ARGENTINA) NAME AND FACE, FRIENDSHIP AND FAMILY BONDS: DIMENSIONS OF THE HUMAN INTERSUBJECTIVE RELATIONSHIP - DOGS IA AN ARE A WITH EMERGENTE VISCERAL LEISHMANIASIS (DEPT. IGUAZÚ, MISIONES, ARGENTINA)

Autores

  • Andrea Mastrangelo Universidade Nacional de Misiones

Resumo

Para os cães e as mulheres a biologia não é um destino (Haraway, 2008 apud Beauvoir). Neste artigo, com base no conceito de espécies companheiras (Haraway 2003, 2008) apresentam-se resultados de pesquisa etnográfica de campo obtida em 2014-2015 numa área de emergência e dispersão de Leishmaniose Visceral, o Departamento de Iguazú, Misiones Nordeste Argentina, parte do território da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina. O método empregado foram os de trabalho de campo com entrevistas em profundidade e observação participante numa amostra teórica intencional não probabilística de todos os sujeitos sociais, individuais e coletivos, na área de estudo foram relacionados no público e no privado com os cães. Estes materiais foram analisados com Atlas.ti® sob o código das relações interespecíficas (encorpados cão-humano), com análise comparativa baseada na teoria fundada nos fatos. Conclui-se que no Porto Iguazú convivem em grupos sociais que podem ver no cão uma coisa, um sujeito (o rosto de parente ou amigo) ou reconhecê-lo como apenas um princípio vital. As relações homem-cão estudadas mostram como diferentes definições de ligação com o animal são expressas e vivem na mesma sociedade e o que é ainda mais complexo, na mesma pessoa, independentemente da sua educação formal e do acesso à informação em saúde. Neste fato social que chamamos de “multinaturalismo em ação” há sociedades e circunstâncias humanas onde a “posse responsável” do cão não pode ser exercida. Sugere-se a reformulação da vigilância em saúde, baseada em uma ética consciente que reconheça o direito de cães e seres humanos a viverem em um ambiente saudável.

 

Palavras-chave: Leishamiose visceral; zoonose; eutanásia

RESUMEN (ESPAÑOL)

Para los perros, como para las mujeres la biología no es un destino (Haraway 2008 apud De Beauvoir). En este artículo, se parte de la conceptualización de las especies de compañía (Haraway 2003, 2008) para presentar resultados de investigación etnográfica de campo obtenidos en 2014-2015 en un área de emergencia y dispersión de Leishmaniasis Visceral, el Departamento Iguazú, Misiones Nordeste argentino, parte del territorio de triple frontera entre Brasil, Paraguay y Argentina.

El método de trabajo de campo fueron las entrevistas en profundidad y la observación participante a una muestra teórica intencional no probabilística de todos los sujetos sociales individuales y colectivos que en el área de estudio se relacionaban en lo público y en lo privado con perros. Estos materiales fueron analizados con Atlas.ti® bajo el código relaciones interespecíficas (vínculo humano-perro), con análisis comparativo por la teoría fundada en los hechos.

Se concluye que conviven en Iguazú distintos grupos sociales que pueden ver en el perro una cosa, un sujeto (el rostro de pariente o amigo) o reconocer en él apenas un principio vital. Las relaciones humano-perro estudiadas, muestran cómo diversas definiciones del vínculo con lo animal se expresan y conviven en la misma sociedad y, lo que es más complejo aún, en la misma persona, independientemente de su educación formal y acceso a la información sanitaria. En ese hecho social que denominamos “multinaturalismo en acto” hay sociedades y humanas circunstancias donde la “tenencia responsable” del perro no puede ser ejercida. Se sugiere reformular la vigilancia sanitaria en base a una ética sintiente que reconozca el derecho de perros y humanos a convivir en un ambiente saludable.

Palabras clave

Leishmaniasis visceral- zoonosis -eutanasia

ABSTRACT

For dogs as for women, biology is not a destiny (Haraway 2008 apud De Beauvoir). In this paper, we began from the companion species concept (Haraway 2003, 2008) to present ethnographic research results obtain between 2014-2015 in an emergency and spread area of Visceral Leishmaniasis, Iguazú Departament, Misiones argentine NE, part of triple border among Brazil, Paraguay and Argentina.

Research method was in deep interview and participant observation to a non probabilistic sample of collective and individual social subjects related privately or publically with dogs. These materials were analyzed with Atlas.ti® under “interespecific relationship” code, making comparative analisys with grounded theory.

We concluded that coexist at Iguazú three different social groups, seeing the dog as thing, subject (the face of a relative or friend) or recognizing it as a mere vital principle. Relation human-dog shows how diverse links with animal may express and live together in the same society and, what is even more complex in the same person. In the research these links were independant from formal education or health information. This social fact is what we named as “in act multinaturalism”. This social fact means that in some societies or human circumstances, “responsable ownership” is not possible. We suggest to base health surveillance in sensitive ethic, recognizing right to dogs and people to cohabit in a healthy environment.

Keywords

Leishmaniasis visceral – zoonosis - euthanasia

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea Mastrangelo, Universidade Nacional de Misiones

Possui Pós Doutorado em Antropologia pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa(2013), Doutorado em Ciências Sociais (Antropologia) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2005) e Mestrado em Antropologia pela Universidade Federal de Pernambuco (1993) . Atualmente é professora Associada II da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia da Pesca, Etnologia Indígena, atuando principalmente nos seguintes temas: Sociedade e Meio Ambiente, Pesca artesanal, Pesca e turismo, Ecologia Cultural e Meio Ambiente, Etnoconhecimento, Conhecimento tradicional e Comunidades tradicionais. Realiza atualmente pesquisa sobre Cooperativismo pesqueiro e valores no Brasil e em Portugal. É líder do Grupo de Pesquisa Etnologia, Tradição, Ambiente e Pesca Artesanal (ETAPA - CNPq/DAN/UFRN).

Downloads

Publicado

09-10-2017

Como Citar

MASTRANGELO, A. NOMBRE Y ROSTRO, AMISTAD Y PARENTESCO: DIMENSIONES DE LA RELACIÓN INTERSUBJETIVA HUMANO - PERRO EN UN ÁREA CON LEISHMANIASIS VISCERAL EMERGENTE (DEPTO. IGUAZÚ, MISIONES, ARGENTINA¹ / NOME, ROSTO, AMIZADE, PARENTESCO. DIMENSÕES DA RELAÇÃO INTRERSUBJETIVA A HUMANO-CAES EM UMA AREA COM LEISHMANIOSES VISCERAL EMERGENTE (DEPTO. IGUAZÚ, MISIONES, ARGENTINA) NAME AND FACE, FRIENDSHIP AND FAMILY BONDS: DIMENSIONS OF THE HUMAN INTERSUBJECTIVE RELATIONSHIP - DOGS IA AN ARE A WITH EMERGENTE VISCERAL LEISHMANIASIS (DEPT. IGUAZÚ, MISIONES, ARGENTINA). Vivência: Revista de Antropologia, [S. l.], v. 1, n. 49, p. 97–120, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/vivencia/article/view/12800. Acesso em: 14 ago. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ 49