CAPUXU - DE VESPA A GRUPO SOCIAL: A PRODUÇÃO DA ETNICIDADE EM UMA COMUNIDADE CAMPONESA NO SERTÃO DA PARAÍBA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2238-6009.2019v1n53ID13267

Resumo

Neste artigo, objetivo apresentar o povo Capuxu, um grupo camponês endogâmico do sertão da Paraíba, como grupo étnico. Para isso faço uma análise do grupo e sua identidade coletiva a partir das teorias de etnicidade utilizando-me do instrumental teórico de Weber (1921) e Barth (1969). O povo Capuxu constitui um grupo cuja diferenciação está nitidamente marcada através da produção de fronteiras e de um forte sentimento de pertença que envolve o povo tendo sido a estes dois elementos que eu me dediquei em campo. Além disso, analiso os sinais diacríticos do povo, sendo estes: a aparência comum aos membros do grupo; o sotaque peculiar; o etnônimo; o sistema endogâmico de parentesco; e a contigüidade territorial. A partir destes três vetores: produção de fronteiras, sentimento de pertença e sinais diacríticos, realizo uma análise da produção da etnicidade Capuxu e das estratégias de permanência e reprodução social de um grupo camponês que se esforça por manter seu ethos e sua identidade coletiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emilene Leite Sousa, Universidade Federal do Maranhão

Graduada em Ciências Sociais pela UFCG.

Mestre em Sociologia pela UFPB.

Doutora em Antropologia Social pela UFSC.

Pós-Doutorado em Antropologia pela UFPB.

 

Downloads

Publicado

05-05-2020

Como Citar

SOUSA, E. L. CAPUXU - DE VESPA A GRUPO SOCIAL: A PRODUÇÃO DA ETNICIDADE EM UMA COMUNIDADE CAMPONESA NO SERTÃO DA PARAÍBA. Vivência: Revista de Antropologia, [S. l.], v. 1, n. 53, 2020. DOI: 10.21680/2238-6009.2019v1n53ID13267. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/vivencia/article/view/13267. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Fluxo Contínuo/Continuous Flow