COSMOLOGIA E POLÍTICA COMO CATEGORIAS ANALÍTICAS PARA UMA ETNOGRAFIA DA MOBILIDADE MBYÁ GUARANI

Autores

  • Fábio Martins UNESP (Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho")

DOI:

https://doi.org/10.21680/2238-6009.2018v1n52ID16040

Resumo

Pretende-se neste trabalho dar visibilidade às motivações sócio cosmológicas que qualificam a dinâmica de deslocamento e ocupação espacial realizadas por um grupo Mbyá Guarani à Terra Indígena Tekoá Mirim, localizada no município de Praia Grande no litoral paulista. Além de problematizar também, e de maneira complementar, os processos etnohistóricos que corroboram para a autenticidade desta autodemarcação territorial.  Pois, que os Guarani não só se encontram em permanente relação com a sociedade envolvente, como também, concretizam a sua agência sobre elas, o que os torna atentos aos processos de mudanças que os afetam diretamente. E neste sentido, pretende ainda, evidenciar a luta dos Mbyá pela autodemarcação territorial e pelo direito de permanecer em sua terra, já que múltiplas instâncias do Estado passaram a considerá-los “invasores”, pretendendo deste modo, inviabilizar política e institucionalmente, a manutenção indígena em sua própria territorialidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

31-05-2019

Como Citar

MARTINS, F. COSMOLOGIA E POLÍTICA COMO CATEGORIAS ANALÍTICAS PARA UMA ETNOGRAFIA DA MOBILIDADE MBYÁ GUARANI. Vivência: Revista de Antropologia, [S. l.], v. 1, n. 52, 2019. DOI: 10.21680/2238-6009.2018v1n52ID16040. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/vivencia/article/view/16040. Acesso em: 7 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê/Dossier