PESCA ARTESANAL NO LITORAL SUL POTIGUAR: PERFIL SOCIOECONÔMICO, DIFICULDADES E PERSPECTIVAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2238-6009.2019v1n53ID20595

Resumo

A pesca artesanal representa uma das importantes atividades econômicas do Rio Grande do Norte (RN). O município de Arez, localizado no litoral sul do RN, tem forte tradição pesqueira, tanto na exploração de peixes quanto na coleta de mariscos (moluscos) às margens da Lagoa de Guaraíra. Este estudo teve como objetivo delinear o perfil socioeconômico dos pescadores e marisqueiras que vivem nas comunidades de Patané e Camocim. Para tanto, fez-se uso da pesquisa bibliográfica, observação em campo, aplicação de entrevistas e análise da Estatística Descritiva. Entre os meses de janeiro a julho de 2014, foram aplicadas as entrevistas semiestruturadas com 41 e 23 pessoas de Patané e Camocim, respectivamente; totalizando 64 entrevistados. As perguntas incluíram o nível de escolaridade, idade, tempo de trabalho na pesca, cadastro na Colônia de Pesca, forma de comercialização e rendimento mensal. Os resultados indicaram que os entrevistados têm idade entre 40 e 60 anos, possuem apenas o nível de ensino fundamental incompleto, são casados e têm fi lhos, sobrevivem com um rendimento mensal menor do que um salário mínimo e não recebem o seguro desemprego. As principais dificuldades relatadas na execução de suas atividades são a Colônia de Pesca não ter sede própria e a falta de uma fábrica de beneficiamento para o peixe/marisco. Diante dessa conjuntura, a atividade pesqueira se desenvolve em meio a entraves técnicos, burocráticos e financeiros em que a necessidade cotidiana de homens e mulheres é o fator determinante na disposição de continuar trabalhando na Lagoa de Guaraíra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

29-04-2020

Como Citar

SILVA, L. K. T. da; MILLER, F. de S. PESCA ARTESANAL NO LITORAL SUL POTIGUAR: PERFIL SOCIOECONÔMICO, DIFICULDADES E PERSPECTIVAS. Vivência: Revista de Antropologia, [S. l.], v. 1, n. 53, 2020. DOI: 10.21680/2238-6009.2019v1n53ID20595. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/vivencia/article/view/20595. Acesso em: 16 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê/Dossier