O LUGAR DA CULTURA NO DEBATE SOBRE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL: UM OLHAR A PARTIR DE MOÇAMBIQUE

  • Renata Menasche Doutora em Antropologia Social. Professora do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal de Pelotas (PPGAnt/UFPel) e do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PGDR/UFRGS). Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Alimentação, Consumo e Cultura (GEPAC –https://www.ufrgs.br/gepac/) https://orcid.org/0000-0002-8707-6037
  • Jone Januário Mirasse Engenheiro agrônomo, Mestre em Desenvolvimento Rural. Pesquisador pela Direcção Nacional de Gestão e Garantia da Qualidade no Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, Maputo, Moçambique. https://orcid.org/0000-0002-0130-9822
  • Fabiana Thomé da Cruz Engenheira de Alimentos, doutora em Desenvolvimento Rural. Professora da Escola de Agronomia/ Universidade Federal de Goiás (EA/UFG) https://orcid.org/0000-0001-8697-7362

Resumo

Este artigo problematiza o lugar da cultura alimentar em projetos e políticas públicas voltados à segurança alimentar e nutricional (SAN). São analisados dados empíricos de pesquisa acerca de um programa público na província de Nampula (Nordeste de Moçambique) por meio do qual famílias rurais foram estimuladas a produzir e consumir batata-doce de polpa alaranjada. Apesar de nutritivo, esse tubérculo — por razões que remetem ao sofrimento vivenciado no processo de colonização e ao respeito aos ancestrais — é aceito com restrições pela população. Desse modo, seu emprego para combater a insegurança alimentar pode ser considerado pouco eficaz. Esse contexto, favorável à análise das interfaces entre cultura alimentar e SAN, proporciona refletir sobre como se conformam, em uma sociedade, adesões, adaptações ou rejeições a práticas alimentares nela introduzidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
29-05-2020
Como Citar
MENASCHE , R.; MIRASSE, J. J.; CRUZ , F. T. DA. O LUGAR DA CULTURA NO DEBATE SOBRE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL: UM OLHAR A PARTIR DE MOÇAMBIQUE . Vivência: Revista de Antropologia, v. 1, n. 54, 29 maio 2020.
Seção
Fluxo Contínuo/Continuous Flow