CARTOGRAFIAS E CONFLITO TERRITORIAL NO QUILOMBO RIO DOS MACACOS

  • Paula Regina de Oliveira Cordeiro Doutoranda em Geografia. Mestra em Geografia pela Universidade Federal da Bahia, pesquisadora do Grupo Costeiros – UFBA e da Nova Cartografia Social – Núcleo de Estudos Agroecológicos – UFRB https://orcid.org/0000-0002-5832-3860

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar as relações de conflito no território do Quilombo Rio dos Macacos, comunidade que desde a década de 1950 está em conflito com a Marinha do Brasil. A partir da judicialização do conflito, em 2009, a cartografia é utilizada tanto pelos sujeitos que detêm o conhecimento especializado quanto pela comunidade, pelos sujeitos autóctones. As diferentes formas de representação do território quilombola são notadas a partir da finalidade com que o mapa é construído. Com a apropriação da cartografia, os quilombolas avançam nos debates acerca das propostas apresentadas pelos sujeitos hegemônicos do conflito, produzindo contrapropostas e imprimindo novas cartografias e contornos para o conflito territorial.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
10-07-2020
Como Citar
CORDEIRO , P. R. DE O. CARTOGRAFIAS E CONFLITO TERRITORIAL NO QUILOMBO RIO DOS MACACOS . Vivência: Revista de Antropologia, v. 1, n. 55, 10 jul. 2020.
Seção
Fluxo Contínuo/Continuous Flow