O ILÊ OBÁ OGUNTÉ: PATRIMÔNIO E IDENTIDADE AFRO-BRASILEIRA

Autores

  • Zuleica Dantas Pereira Campos Professora Titular e Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião da UNICAP, Doutora em História do Brasil http://orcid.org/0000-0002-4149-1833

DOI:

https://doi.org/10.21680/2238-6009.2020v1n55ID23533

Resumo

O objetivo deste trabalho é refletir sobre o processo de patrimonialização ocorrido nas religiões afro-brasileiras e a importância atribuída à musealização da sua cultura, tanto material quanto imaterial. Para tanto, tomamos como estudo o Ilê Obá Ogunté, localizado no Recife, Pernambuco. O terreiro conta com o reconhecimento não só dos adeptos, mas de estudiosos especializados uma vez que se constitui no espaço de culto mais antigo em funcionamento na cidade. A partir de nossas investigações, buscamos explicitar que os processos de patrimonialização lidam com a religião e com a identidade afro-brasileira no sentido de inserir seus praticantes na história das lutas por legitimidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

11-12-2020

Como Citar

CAMPOS, Z. D. P. O ILÊ OBÁ OGUNTÉ: PATRIMÔNIO E IDENTIDADE AFRO-BRASILEIRA. Vivência: Revista de Antropologia, [S. l.], v. 1, n. 55, 2020. DOI: 10.21680/2238-6009.2020v1n55ID23533. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/vivencia/article/view/23533. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê/Dossier