OS PRESENTES DE OXUM: SENTIDOS DA MUSEALIZAÇÃO NO TERREIRO DO GANTOIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2238-6009.2020v1n55ID23537

Resumo

Este artigo discute como os aposentos de uma famosa sacerdotisa do candomblé foram transformados em um local patrimonializado. O Memorial de Mãe Menininha do Gantois mostra que o museu pode ser entendido como uma “linguagem” específica de status e prestígio. Esse lugar, portanto, permite refletir sobre o que acontece quando novos atores na esfera pública se apropriam e transformam essa linguagem. Embora as dimensões profanas da musealização sejam evidentes, argumentamos que, no caso deste memorial, esse processo não diminui a natureza sagrada desse sítio, mas a articula de uma nova maneira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

11-12-2020

Como Citar

ADINOLFI, M. P.; VAN DE PORT, M. OS PRESENTES DE OXUM: SENTIDOS DA MUSEALIZAÇÃO NO TERREIRO DO GANTOIS. Vivência: Revista de Antropologia, [S. l.], v. 1, n. 55, 2020. DOI: 10.21680/2238-6009.2020v1n55ID23537. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/vivencia/article/view/23537. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê/Dossier