CORPO DEFICIENTE E TÉCNICAS DE SI NA PANDEMIA

Autores

  • Jéferson Alves Doutorando em Antropologia Social (UFRGS) - Bolsista CAPES – Pesquisador do NUPACS (Núcleo de Pesquisa em Antropologia do Corpo e da Saúde). https://orcid.org/0000-0002-6286-1696
  • Ceres Gomes Victora Departamento de Antropologia do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (UFRGS) – Pós-Doutora em Antropologia Social - Professora titular do PPG em Antropologia Social (UFRGS) e coordenadora do NUPACS. https://orcid.org/0000-0001-9363-3883

DOI:

https://doi.org/10.21680/2238-6009.2021v1n58ID27601

Resumo

O objetivo do presente texto é considerar experiências de pessoas com deficiência (PCD) na pandemia de Covid-19 e as estratégias criadas para (sobre)viver ao contexto que se/lhes impõe. Os relatos e dados apresentados advém de entrevistas e conversas informais, via Skype e Whatsapp, como forma de manter o isolamento social, mas também de gerar acessibilidade para corpos deficientes (do pesquisador e dos entrevistados), bem como de uma pequena autoetnografia. Esses relatos demonstram que a pandemia atinge corpos de maneiras diferentes, e que os corpos deficientes são atingidos de formas mais perigosas, daí a necessidade de se criar estratégias e técnicas de si (FOUCAULT, 2010) para (sobre)viver na/à pandemia. Isso demonstra, ainda, a potencialidade, criatividade e inventividade dos corpos deficientes, tanto em relação a si mesmos, quanto como pontos de contraste e de reflexão acerca da sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

21-12-2021

Como Citar

ALVES, J. .; GOMES VICTORA, C. CORPO DEFICIENTE E TÉCNICAS DE SI NA PANDEMIA. Vivência: Revista de Antropologia, [S. l.], v. 1, n. 58, 2021. DOI: 10.21680/2238-6009.2021v1n58ID27601. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/vivencia/article/view/27601. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê/Dossier